19 vantagens do período integral na escola

o que saber antes de matricular seu filho na escola
28 minutos para ler

Com a vida dos pais cada vez mais corrida, já que eles normalmente permanecem a maior parte do dia no trabalho, a realidade educacional brasileira vem mudando gradativamente e tem provocado um crescimento cada vez maior da demanda por escolas integrais.

Manter os filhos na escola deixou de ser um luxo e passou a ser uma comodidade que permeia até mesmo o campo da necessidade. Além da segurança e do cuidado com o aluno, o período integral na escola também oferece diversos benefícios para a sua formação.

Por esse motivo, muitas escolas particulares começaram a oferecer a opção do período integral, na qual os estudantes têm acesso a diversas atividades extracurriculares. Dessa forma, eles são estimulados em suas potencialidades e contam com um acompanhamento pedagógico adequado.

Neste post, você vai entender como funciona o período integral na escola e conhecer algumas de suas vantagens, além de aprender sobre o momento certo de matricular os seus filhos e ver algumas dicas de como escolher a melhor instituição para eles.

Continue a leitura para saber mais!

Período integral sem culpa

Antes de se sentir culpado por estar distante dos filhos o dia todo, repense o andamento da sua rotina. Acordar, preparar os meninos para a escola, conferir o relatório que você precisa entregar ao seu chefe, preparar o almoço das crianças e providenciar alguém para buscá-los após o horário do seu expediente.

E não para por aí, você ainda precisa pensar em contratar alguém para tomar conta deles após a escola, voltar do trabalho, resolver pendências da casa, dar banho nas crianças, acompanhar o dever de casa e colocar as crianças para dormir, porque no dia seguinte começa tudo de novo. Ufa! Exaustivo, não é?

Mas e se você pudesse ter mais tranquilidade em sua rotina, organizando melhor as suas tarefas e o seu trabalho, tendo paz em saber que seus filhos estão seguros e sendo bem cuidados e que vocês poderão ter um tempo de qualidade juntos quando chegarem em casa? Ao avaliar as circunstâncias, você verá que vale a pena adaptar a sua rotina para o período integral na escola.

Além disso, a tecnologia pode ser utilizada para encurtar distâncias. As crianças e os adolescentes já ficam antenados no celular e você pode manter contato com o seu filho nos horários de intervalo, tomando o cuidado de dar o bom exemplo para que o uso do celular na escola não vire um problema.

Uma opção com muitos benefícios

É equivocado pensar que o período integral se trata simplesmente de passar a responsabilidade de cuidar da criança para outras pessoas para que, assim, você tenha mais tempo para o trabalho. Na verdade, essa é uma oportunidade de crescimento para o aluno, já que é uma modalidade de ensino que reorganiza espaços e conteúdos, reestruturando a rotina da criança e do adolescente.

O período integral é um tempo dedicado às atividades extraclasse e que tem como objetivo contribuir para o desenvolvimento intelectual e social das crianças, além de despertar o seu interesse para diferentes áreas. Com isso, os alunos desenvolvem mais atenção às disciplinas que cursam no horário regular.

Nesse cenário, a avaliação do aluno vai além das notas. Os resultados que ele demonstra em artes, esportes, nas atitudes diárias, nas interações e na convivência com os demais também contam.

São muitas as vantagens para a criança e o adolescente que vivencia o contraturno em ambiente escolar. A seguir, mostramos 19 benefícios do período integral na escola que com certeza vão ajudar a dar suporte à sua decisão. Acompanhe!

1. Orienta os estudos e as tarefas

No dia a dia, o grande volume de distrações e ruídos dispersa o estudante e o desconcentra de suas atividades. Na escola em período integral, o aluno recebe orientação pedagógica especializada para organizar a sua rotina. Desse modo, fica mais fácil planejar o tempo a ser dedicado a cada disciplina.

Outra vantagem para o aluno é que, com a presença diária de um pedagogo na escola, é possível desenvolver melhor o hábito de estudar, aprendendo técnicas para melhorar a concentração e assimilar o conteúdo das matérias escolares. Ao fazer as tarefas com as instruções de profissionais capacitados, a criança aprende a distribuir melhor momentos de estudo e lazer.

Dessa forma, a criança aproveita adequadamente tanto a hora das obrigações quanto os períodos de relaxamento. Outro benefício é que, ao chegar em casa, o pequeno poderá desfrutar totalmente da companhia dos pais, uma vez que as tarefas estarão todas concluídas.

2. Aumenta o rendimento do aluno

Existe um tempo determinado para tudo no período integral: assistir às aulas, resolver questões sobre as disciplinas do dia, estudar, tirar dúvidas, praticar esportes, realizar atividades culturais e tecnológicas e desfrutar de momentos de lazer. Com a organização do tempo, proporcionando um momento adequado para cada atividade, os alunos alcançam um nível incrível de autonomia.

Nos estudos, muitos passam a procurar sozinhos por respostas a questões inerentes às disciplinas. Quando se deparam com alguma dúvida, eles sabem que podem contar com profissionais especializados, o que os incentiva ainda mais.

Com essa prática, observa-se uma substancial melhora no desempenho das crianças nas aulas regulares. A rotina bem organizada faz com que o estudante se localize no tempo e assimile melhor o que fazer a cada momento.

3. Oferece diversidade de atividades

Como a escola integral tem uma carga horária extensa, os alunos são expostos a uma grande variedade de atividades ao longo do dia. Essa aposta na diversidade, que inclui artes, esportes e o desenvolvimento de outras atividades extraclasse não é à toa. A pluralidade serve para não deixar que a quantidade resulte em cansaço.

O planejamento e a variação de tarefas curriculares e extracurriculares são interessantes para os alunos como táticas que ajudam a assegurar a motivação e o compromisso em aproveitar ao máximo tudo o que o período integral na escola oferece.

A diversidade ainda permite aos estudantes ampliarem o seu universo desde a infância, com as várias opções de atividades, ajudando-os no desenvolvimento de suas habilidades e talentos. Os pedagogos e psicólogos presentes na escola não só conseguem identificar as aptidões e os gostos das crianças, como também as incentivam no desenvolvimento das habilidades em que demonstram vocação.

4. Proporciona tranquilidade aos pais

Pais e mães que precisam trabalhar fora o dia todo para suprir as necessidades básicas da família encontram na escola integral uma solução. É um ambiente seguro, saudável, confortável e promissor — que também resolve o problema logístico para proporcionar atividades extracurriculares para o filho ao longo do dia.

5. Viabiliza e incentiva a prática de esportes

A prática de esportes não é só importante para a saúde, mas também é uma das formas de ajudar a desenvolver o potencial do seu filho. Com o esporte, a criança aprende a viver melhor em sociedade, atender a normas de conduta em grupo, controlar impulsos e ansiedades, fazer amizades, melhorar a coordenação motora, ser responsável e perseverante, seguir regras de forma disciplinada, cooperar e superar a timidez.

Além de todos esses benefícios, também ganha em consciência do próprio corpo: a necessidade do cuidado, a compreensão dos pontos fortes e fracos e a sua capacidade de superar seus limites.

O período integral ajuda a resolver questões de custos adicionais e de logística para levar a criança para a prática de esportes. Uma instituição de ensino qualificada terá à disposição da criança e do adolescente um leque de possibilidades em relação à prática de esportes, bastando apenas optar pelas modalidades com que o aluno se identifica.

6. Promove lazer, cultura e tecnologia

Na escola em período integral, o aluno tem à sua disposição uma diversidade de cursos, oficinas e recreações. Além das aulas tradicionais, são oferecidas oficinas de artesanato, artes plásticas, pintura, desenho, música, expressão corporal, além de aulas de dança, teatro, culinária, informática e até de robótica.

O quesito recreação também é contemplado, uma vez que as crianças e os adolescentes são incentivados a participarem de jogos pedagógicos, lanches coletivos, festivais, passeios e excursões.

O ensino integral preza por tecnologias aplicadas à educação e pela capacidade de inovação no ensino. A ideia é não apenas acompanhar as evoluções tecnológicas, mas também antecipar as novidades e aproveitá-las em recursos didáticos.

7. Investe adequadamente o tempo

Em um mundo recheado de distrações tecnológicas, é tentador para a criança ou adolescente utilizar seu tempo de estudo com esses recursos. Uma maratona de séries na Netflix, um tutorial de Minecraft no YouTube, um novo jogo disponível no Xbox e lá se foi o dia. A pior parte é que não dá para controlar os horários e o conteúdo que seu filho acessa na internet enquanto você está no trabalho.

A escola integral também pode ser a solução para esse problema. A permanência estendida do aluno na escola permite a distribuição de tarefas e atividades diversificadas e de qualidade. O fato de a criança estar lá durante o dia todo, e não em casa, acompanhada por um tutor, faz com que ela aproveite melhor o tempo livre, seja para estudar, exercitar-se ou adquirir novos conhecimentos. A vivência na escola em tempo integral é, portanto, muito mais rica.

Outra questão importante diz respeito ao planejamento das atividades na escola integral. De forma geral, há uma busca por organizar as tarefas, para equilibrar práticas individuais às feitas em grupo. Essa dinâmica favorece uma melhor socialização.

Quando existe um projeto pedagógico que direciona o aprendizado, mesmo os momentos de descontração se transformam em oportunidade de crescimento intelectual e social. Assim, crianças e jovens são constantemente estimulados a se despertarem para novas formas de entretenimento.

8. Fortalece hábitos de higiene

Que pais nunca tiveram que dar aquela famosa geral nos dentes ou nos ouvidos do filho? Monitorar constantemente se a criança escovou os dentes após as refeições ou se lavou as mãos antes de comer, também passa a ser tarefa do passado com a escola em período integral — pelo menos nos momentos em que ele não está em casa.

9. Ajuda a criar identidade e autonomia

Por favorecer o convívio social, a escola integral contribui muito para a construção da identidade e da autonomia das crianças. Não se esqueça de que, por mais que a família seja o primeiro canal de socialização dos pequenos, a escola vem logo em seguida.

O contato com outros colegas desde cedo ajuda a estimular o autoconhecimento, começando pelo nome, pelas características físicas e pelos modos de pensar e agir. Conhecer a si mesmo e construir uma identidade significa entender os próprios desejos e gostos, além de desenvolver certas habilidades.

Vale destacar que a criança construirá a própria identidade a partir das pessoas com as quais convive e estabelece os primeiros vínculos. Daí é que vem a importância de mantê-la durante todo o dia com profissionais gabaritados, capazes de ajudar na criação dessa identidade. Isso sem falar, claro, na constante parceria entre pais e escola.

A partir do reconhecimento da própria identidade, a criança começa a adquirir uma independência progressiva, que envolve se expressar por meio de linguagem e gestos, e a cuidar de si própria.

Isso se reflete em sua higiene pessoal e na alimentação. O pequeno também desenvolve o desejo de descansar e a capacidade de tirar uma soneca sozinho, além de tomar decisões e ter vontade própria. E tudo isso contribui também para que o aluno se torne um ser sociável.

10. Disponibiliza orientação nutricional

Com a correria diária, muitos pais acabam deixando a alimentação saudável dos filhos um pouco de lado, tendo que recorrer a refeições mais rápidas e simples. Quando podem estar mais tempo com as crianças aos finais de semana, por exemplo, tentam compensar a ausência diária deixando-as comerem o que quiserem.

Ao apostar no período integral, esse problema também é superado, já que a escola oferece alimentação elaborada por um nutricionista, que prepara cardápios balanceados, com tudo o que os alunos precisam para crescerem fortes e saudáveis.

Na escola integral, as crianças podem fazer até cinco refeições diárias. Elas são espaçadas durante o dia, ajudando a organizar a rotina e a hora certa de se alimentarem, além de favorecer que eles experimentem novos alimentos.

A comida normalmente é servida em ambientes tranquilos. Além disso, a criança aprende desde cedo a comer sozinha e a não se dispersar com outras atividades, já que o momento do lanche é coletivo.

11. Garante a segurança dos alunos

Matricular os filhos em período integral na escola é garantia de segurança. Nesse cenário, os pais conseguem ter a tranquilidade de saber que as crianças passarão o dia em um espaço seguro, confiável e de conforto, com muitas atividades e estímulos pedagógicos, sempre muito bem acompanhado por profissionais especializados.

Pense bem, se seu filho está dentro da escola durante todo o dia, consequentemente, está a salvo de vários riscos das grandes cidades. Além disso, a criança que se mantém ocupada com atividades ao longo do dia terá menos tempo para se envolver em situações perigosas ou sequer pensar em aprontar. Isso tudo é possível porque a escola em tempo integral ajuda a eliminar o tempo ocioso.

12. Foca nas possibilidades da globalização

Em um mundo globalizado, que oferece significativa facilidade para viagens e troca de experiências culturais ao longo da vida, introduzir novos idiomas na rotina das crianças é uma prática extremamente válida. Por isso, o ensino de línguas estrangeiras, principalmente o inglês, ajuda a ampliar o conhecimento e traz inúmeros benefícios às crianças.

Normalmente, o período integral na escola permite que os alunos tenham contato com vários idiomas, de acordo com suas preferências ou suas necessidades. Lembre-se de que saber se comunicar em outras línguas é uma habilidade importante para a vida pessoal e profissional do seu filho, podendo abrir portas para intercâmbios no futuro.

A melhor parte é que, além das lições de idiomas, os alunos ainda podem aproveitar as aulas de cultura estrangeira, que abordam assuntos como a gastronomia, a arte e o modo de vida de várias partes do mundo. Tudo isso é apresentado de forma lúdica através de metodologias adequadas.

13. Dispõe de professores qualificados

Assim como a programação, a própria equipe de profissionais das escolas integrais é bem variada — e devidamente qualificada. Afinal, esse sistema de ensino oferece não apenas disciplinas obrigatórias, mas também eletivas, escolhidas de acordo com a necessidade ou o desejo de cada estudante.

Além de professores das matérias obrigatórias, a escola integral ainda conta com pedagogos, psicólogos, nutricionistas, educadores físicos, profissionais da arte e da tecnologia, entre outros. Os professores desse modelo também trabalham em período integral e costumam atuar em regime de dedicação exclusiva, com recebimento de gratificação acima do salário.

Esses profissionais, escolhidos criteriosamente pela instituição de ensino, avaliam constantemente as experiências a que as crianças são submetidas, observando atentamente suas respostas a cada situação. Nesse contexto, todas as metas e expectativas de aprendizagem são vinculadas às oportunidades e atividades oferecidas.

Os planos de observação são elaborados para, a partir de registros diários, identificar a singularidade de cada criança. Assim, é possível planejar novas ações para alcançar os objetivos traçados em relação a cada estudante.

As equipes que trabalham para escolas integrais são reconhecidas principalmente por sua experiência, a excelência de seu trabalho, a competência com que desempenham suas funções e, consequentemente, os resultados positivos que tiram disso tudo. São, de fato, extremamente comprometidos com a formação, o desenvolvimento e o bem-estar dos estudantes.

14. Segue o modelo de países desenvolvidos

O ensino integral é uma tendência da educação moderna que já existe em diversos países de primeiro mundo, como Coreia do Sul, Japão, Estados Unidos, Irlanda e Finlândia. Por lá, os estudantes costumam ficar até 9 horas por dia na escola.

Falando mais um pouco sobre a experiência de outros países com a educação integral, podemos trazer à tona os modelos escolares dos países escandinavos, especialmente o caso da Suécia. Sabia que a adoção do sistema integral de ensino por lá é uma reivindicação feminina?

O embasamento por trás desse apelo envolve a ideia de que os filhos não são só da mulher e, portanto, sua educação deve ser partilhada entre a sociedade e a família, com equilíbrio de poder. Assim, o acesso à escola integral não é visto como assistencialismo, e sim como o cumprimento de um papel importante: o de colocar as crianças em contato com outras, bem como com adultos que contribuirão para seu crescimento.

Na prática, com a realidade educacional brasileira começando a dar sinais de mudança, o ensino integral vem se fortalecendo também aqui no Brasil. A essa altura, você também já deve ter chegado à conclusão de que esse modelo de ensino é ideal, pois conta com turmas menores, oferece atenção individualizada aos estudantes e a gama de atividades é muito variada.

15. Forma um vínculo mais forte entre os estudantes na escola

Quando o estudante passa tempo em uma escola integral, ele gasta mais tempo desenvolvendo o relacionamento com os colegas, seja conhecendo novas pessoas ou estreitando vínculos. Isso é especialmente importante quando há atividades que permitam a junção entre turmas.

Dessa forma, é possível criar diferentes grupos de amigos, com base em interesses em comuns, ampliando o círculo social. Como resultado, as habilidades ligadas às relações interpessoais são desenvolvidas com facilidade.

16. Contribui para melhorar a convivência familiar

Ao passar a maior parte do dia na escola, o estudante pode realizar todas as tarefas (trabalhos e deveres de casa) dentro da própria instituição. Como resultado, o tempo em casa fica livre para estar com a família. O grande benefício disso é a possibilidade de investir em mais lazer e outras atividades que ajudem a tornar a convivência mais agradável e próxima.

17. Leva o estudante a passar menos tempo no computador e nas redes sociais

Quando o estudante estuda apenas em um horário, é normal que fique o restante do tempo ocioso, fazendo atividades que ele considera mais agradáveis — jogando videogame, mexendo no celular ou no computador, por exemplo. Com isso, as chances de desenvolver atividades acadêmicas e investir nos estudos caem bastante.

Porém, na escola integral, existem atividades para se realizar o tempo todo. Sem contar que lá o estudante é acompanhado por profissionais e especialistas, que contribuem para desenvolver as suas habilidades. O resultado disso é menos ociosidade e menos tempo gasto em excesso com redes sociais.

18. Possibilita aprendizagem em outras línguas

Dependendo da grade oferecida pela escola integral que você escolher, o estudante tem a possibilidade de aprender outros idiomas, indo além do inglês e do espanhol. Isso já contribui para aprimorar o currículo — o que é fundamental para conseguir uma boa colocação no mercado.

Se for uma escola internacional ou bilíngue, isso é ainda melhor, visto que os estudantes já são alfabetizados em outro idioma. Engana-se quem pensa que o aprendizado da segunda língua desde a infância pode atrapalhar o desenvolvimento do idioma materno.

Na verdade, estudiosos defendem que, quanto mais cedo o estudo começar, melhor será o desempenho da criança não só naquela língua como em outras que eventualmente aprender. Afinal, a infância é o momento ideal para o desenvolvimento das habilidades cognitivas.

19. Ajuda a otimizar a rotina dos pais

Quando os filhos estudam em uma escola integral, isso ajuda a otimizar a rotina dos pais e evita algumas preocupações, como providenciar o almoço ou ter que buscar do colégio em horário de trabalho, por exemplo. Assim, você fica com a rotina livre para organizar as suas demandas e otimizar as tarefas.

Além de todos os benefícios citados, o período integral na escola ainda garante comodidade tanto às crianças como aos pais, deixando-os tranquilos e conscientes de estarem oferecendo a melhor educação aos seus filhos.

Diferenças entre a educação em tempo integral e a educação integral

Embora os termos sejam bem parecidos, existem algumas diferenças entre a educação em tempo integral e a educação integral. Cada uma dessas modalidades tem uma proposta específica, conforme você verá a seguir.

Educação em tempo integral

Na educação em tempo integral — que não é o mesmo que contraturno escolar — o estudante tem sua permanência na escola ampliada, com uma carga horária que varia de 7h a 9h diárias. Nessa modalidade, o estudante conta com a possibilidade de, além de cursar disciplinas eletivas, participar de outras atividades que estejam alinhadas à proposta pedagógica da escola.

Entre as vantagens desse modelo de ensino estão o estímulo a uma aprendizagem continuada e diversificada e a oportunidade de aprofundar os laços de convivência construídos dentro da escola. Ao passarem a maior parte do seu dia dentro do ambiente escolar, os estudantes ainda têm a oportunidade de se aventurarem em diferentes tipos de projetos cujas atividades são realizadas com o auxílio e o acompanhamento dos professores.

Por outro lado, uma das desvantagens desse modelo de ensino é o fato de que nem todas as escolas são equipadas com a infraestrutura adequada para oferecer a realização dessas atividades extraclasse, como a prática de esportes e outros projetos artísticos e culturais.

Além disso, é preciso acompanhar de perto os resultados dos estudantes, pois uma permanência mais longa no ambiente escolar não necessariamente significa um bom aproveitamento do tempo, resultando em um melhor rendimento escolar.

Educação integral

Já a educação integral tem como principal objetivo o desenvolvimento do estudante de forma global, potencializando as suas habilidades de maneira ampla e contemplando as dimensões física, cognitiva, cultural, social e emocional.

A proposta da educação integral, portanto, não se trata apenas de proporcionar um ensino focado no conteúdo ou nos aspectos intelectuais da aprendizagem, mas sim em desenvolver o estudante em seu pleno potencial.

Esse modelo de ensino, que favorece o fortalecimento das relações humanas e dos vínculos sociais de maneira abrangente, requer dos pais e familiares um papel mais participativo e presente na formação dos estudantes.

Na educação integral, a escola proporciona, junto ao apoio da família, a oportunidade de os estudantes terem contato com atividades que permitem a identificação de seus potenciais e de suas fragilidades, aprofundando o autoconhecimento e buscando ações para um desenvolvimento completo.

Dessa forma, a educação integral estimula a autonomia e foca no desenvolvimento do estudante para que ele se torne um adulto plenamente desenvolvido em suas capacidades e apto a fazer boas escolhas em seu futuro. Os estudantes são estimulados desde cedo a articular conhecimentos interdisciplinares, uma vez que esse modelo de ensino rompe com a fragmentação dos conteúdos e disciplinas.

Entre os inúmeros benefícios da educação integral estão a oportunidade de um aprendizado amplo que foca na formação humana, e não apenas na reprodução sistemática dos conteúdos assimilados em sala de aula. A educação integral também tem o diferencial de ter seu projeto pedagógico centralizado no estudante e pensado em suas necessidades, resultando em uma educação mais personalizada e com participação ativa dos estudantes no processo de ensino e aprendizagem.

O papel da educação integral no desenvolvimento social

A proposta da educação integral é proporcionar um desenvolvimento contínuo e permanente, que se estende por todas as fases de vida do estudante. Para que isso ocorra, há o estímulo para a ampliação das interações sociais da criança, já que, quanto maiores forem as suas oportunidades de interagir socialmente em profundidade, complexidade e qualidade, maiores as chances de enriquecer seu universo social e cultural.

As conexões criadas e a participação na vida escolar em projetos diversos permite que os professores identifiquem em seus estudantes os potenciais que devem ser desenvolvidos, para que eles atuem plenamente em áreas de sua vocação.

A participação dos estudantes no processo de ensino também lhes confere mais autonomia e pode promover um engajamento maior na aprendizagem, uma vez que eles são incluídos no processo e seus interesses são considerados.

Quanto mais os estudantes têm oportunidade de participarem e de se envolverem nos processos escolares, maiores são as possibilidades de desenvolvimento cognitivo, social e cultural. Além disso, por serem agentes participantes do próprio crescimento, eles são convidados a assumirem maiores responsabilidades, o que os impulsiona rumo à maturidade e ao desenvolvimento pessoal.

A legislação pertinente à educação integral

A educação integral é contemplada em diversos documentos referentes à legislação educacional brasileira. Ela aparece na Base Nacional Curricular Comum (BNCC), que é o documento normativo que norteia a construção dos currículos estaduais e municipais para as redes de ensino públicas e privadas, do Ensino Infantil ao Ensino Fundamental.

O Ministério da Educação (MEC) considera o currículo escolar como um conjunto de experiências construídas e ofertadas, que devem se desenvolver a partir do diálogo entre educadores e educandos. Ele confere autonomia às escolas para elaborar e adequar seus currículos conforme os critérios estabelecidos pela BNCC, assim como para adaptá-los à proposta pedagógica adotada.

Essa determinação confirma a perspectiva da educação integral, que é a de que o currículo é construído a partir do estudante e de suas necessidades e interesses.

O Plano Nacional de Educação II (PNE II), sancionado por meio da Lei nº 13.005/2014, coloca a educação integral entre uma das metas a serem atingidas em todo o país. Além disso, uma das estratégias da PNE II, é fomentar a articulação da escola com outros espaços educativos, culturais e esportivos, contemplando um ensino que vai além da sala de aula e integra também equipamentos públicos, como praças, museus, centros comunitários, bibliotecas, parques, cinemas e planetários.

O momento certo de colocar os filhos na escola integral

Mesmo com a enumeração de todos os benefícios de deixar os filhos na escola integral, alguns pais ainda ficam receosos em relação ao momento certo de fazer a matrícula. Para que a decisão mais objetiva seja tomada, é preciso considerar diversos fatores, como:

  • a forma como os filhos passam o tempo livre;
  • os horários dos pais;
  • a praticidade de mudar a rotina;
  • a facilidade das crianças em ficar longe dos pais por períodos mais longos.

Do ponto de vista pedagógico, não existe uma idade certa recomendada para que a escolha de matricular os filhos em tempo integral seja feita. Todos, em qualquer fase da vida, podem se beneficiar dessa estratégia — principalmente pelo fato de a escola oferecer diversas atividades extracurriculares, que são bem lúdicas e educativas.

Assim, pode ser bem construtivo, e também educativo ficar no colégio em período integral — principalmente se considerarmos que a criança faria atividades que pouco agregam (como ficar no computador, assistir à TV por muito tempo e passar longos períodos nas redes sociais), caso estivesse em casa.

Se você coloca os seus filhos em uma idade pequena na escola integral, consegue perceber benefícios ainda maiores, principalmente por ser uma fase na qual o aprendizado é melhor absorvido. Isso sem contar nas habilidades ligadas à socialização que já começam a ser desenvolvidas desde cedo.

Como passar pelo período de adaptação de forma mais tranquila

A maior recomendação para que a adaptação seja tranquila é colocar a criança em meio período, no início. Dessa forma, se você matricula o seu filho aos 3 anos, por exemplo, o ideal é que ele permaneça até os 5 anos, mais ou menos, estudando em apenas parte do tempo. Depois que ele se acostumar com essa rotina de ficar fora de casa é que se indica partir para a escola integral.

Independentemente da escolha que você fizer, é importante observar a reação da criança com a escola integral — ainda mais no primeiro mês, que é quando ela fica mais cansada com a nova rotina e por estar longe de casa por muito tempo.

O cansaço é normal, o que merece atenção é uma mudança brusca no comportamento. Assim sendo, apresentar um comportamento apático e quieto ou muito agressivo, além do normal, adoecer com frequência ou passar por outros problemas, são indícios de que a estratégia precisa ser revista.

Se necessário, vale a pena procurar especialistas, como um psicólogo, para entender e trabalhar melhor as emoções — visto que, se não tratadas adequadamente, elas são somatizadas e se transformam em mudanças de comportamento e problemas de saúde.

Cuidados ao escolher a instituição

É preciso considerar que seu filho vai passar a maior parte dos dias na escola. Por isso, todo cuidado é pouco na hora de escolher a instituição. Aqui vão algumas dicas que podem ajudar você a tomar a melhor decisão:

  • agende visitas para conhecer o espaço físico que a escola disponibiliza e como ele é aproveitado;
  • converse com os professores e supervisores para entender as propostas e as metodologias pedagógicas, bem como as atividades extracurriculares realizadas;
  • verifique quais são os valores da instituição, que devem estar alinhados aos seus e da sua família;
  • dê preferência para escolas renomadas;
  • pesquise pela instituição na internet e veja o que está sendo falado sobre ela.

Tomando essas medidas, você consegue ouvir a opinião de outras pessoas que têm ou já tiveram contato direto com a escola e podem dar uma opinião sincera sobre a sua vivência.

Estudantes que passam o período integral na escola, têm o privilégio de contar com a orientação de pedagogos para a realização das tarefas e para a administração do tempo direcionado aos estudos. Também existem momentos para diversão, prática de esporte e descoberta de diferentes áreas do conhecimento.

Toda essa estrutura faz com que o rendimento do estudante melhore, além de permitir que ele aproveite o tempo disponível com os pais da melhor maneira possível. Assim você fica com a consciência tranquila de que está proporcionando ao seu filho o que há de melhor. Todos saem ganhando!

E então, está convencida de que esse modelo traz benefícios inquestionáveis? Ainda tem dúvidas e deseja aprofundar os seus conhecimentos sobre a escola integral? Preparamos um e-book completo especialmente para tratar sobre esse assunto. Baixe agora mesmo e confira!

Você também pode gostar