atividades pedagógicas na Educação Infantil

Saiba a importância das atividades pedagógicas na educação infantil

Você sabe como ajudar seu filho nas tarefas escolares?

Em um mundo com tantos atrativos tecnológicos, pode parecer que as atividades pedagógicas perderam espaço e não são mais tão importantes. Não é verdade. Aliás, pelo contrário: as atividades lúdicas na Educação Infantil de 0 a 5 anos são fundamentais, porque contribuem com o desenvolvimento e a socialização da criança.

Não que a tecnologia interfira de forma negativa no aprendizado dos pequenos. Inclusive, existem aplicativos e jogos bastante educativos. No entanto, o foco deste post são as atividades pedagógicas que podem ser realizadas em qualquer espaço físico, promovendo maior interação entre pais e filhos.

Com a correria do dia a dia e o estresse causado pela rotina profissional, encontrar tempo para passar com os filhos, em alguns casos, não é uma tarefa fácil. Por meio de atividades lúdicas e pedagógicas, mais do que desfrutar de bons momentos com as crianças, você fará com que esse tempo seja valioso e educativo.

Para ajudar, listamos algumas atividades para você se divertir com seus pequenos e ainda contribuir com o desenvolvimento deles. Vamos lá?

A importância das atividades lúdicas na Educação Infantil

Antes de iniciar a nossa sugestão de atividades, é bom deixar claro o quanto essa prática é fundamental. É na Educação Infantil — isto é, na primeira infância, que corresponde à faixa de idade de 0 e 5 anos — que as crianças desenvolvem importantes funções que as auxiliarão ao longo do seu crescimento.

Por isso, todas as atividades de caráter pedagógico devem ser inseridas com muito cuidado e dedicação por pais, professores e outros responsáveis. Durante essa fase, as potencialidades humanas das crianças são plenamente desenvolvidas.

Inserir atividades pedagógicas no dia a dia dos seus filhos proporciona condições favoráveis para o desenvolvimento socioafetivo, físico, cognitivo e linguístico, o que gera reflexos que os acompanharão por toda a vida.

Brincadeiras que envolvem leitura e memorização de figuras, por exemplo, são excelentes e servem para estimular a inteligência, além de ampliar o conhecimento dos pequenos. Outro ponto importante são os momentos de descontração e interação proporcionados pelas brincadeiras, tanto com os pais quanto com outras crianças.

As quatro grandes áreas do desenvolvimento infantil

Pois bem, é importante entender que o desenvolvimento dos pequenos envolve diversos aspectos — a saúde física é apenas um dos indicadores importantes na primeira infância. O desenvolvimento integral da criança também envolve diversas habilidades e competências que impactarão diretamente na qualidade de vida e no aprendizado dos pequenos.

Isso traz impactos até mesmo mais tarde, na vida adulta, pois é a partir de uma formação integral que a criança tem as bases para alcançar bons resultados em sua futura vida acadêmica, profissional, pessoal e também nas relações interpessoais.

Basicamente, existem quatro grandes áreas do desenvolvimento:

  • motora — tem a ver com o desenvolvimento físico, isto é, o crescimento do corpinho da criança, além das habilidades de movimento e equilíbrio, como pular, correr, desenhar, equilibrar objetos etc.;
  • cognitiva — diz respeito às atividades mentais, à capacidade de receber informações do ambiente e “processá-las” para compreender e responder a elas. O desenvolvimento cognitivo envolve a atenção, a linguagem, o pensamento abstrato, o raciocínio e a memória;
  • socioafetiva — se refere à capacidade de interação com terceiros e de administrar emoções. Envolve a empatia, a compreensão de regras sociais e a autorregulação (gerenciamento dos próprios sentimentos, isto é, a inteligência emocional), entre outras coisas.
  • linguística — trata-se da capacidade de usar a linguagem para se expressar e interagir com o mundo à sua volta, sendo esse um dos mais importantes aspectos da socialização humana. Na primeira infância, esse desenvolvimento se dá a pleno vapor, sendo, inclusive, uma ótima fase para o aprendizado de um segundo idioma.

O papel dos estímulos no desenvolvimento infantil

Você provavelmente já ouviu falar que a criança aprende brincando, não é? Outros fatores entram em jogo no desenvolvimento infantil, como a hereditariedade e até mesmo a qualidade da nutrição da criança. No entanto, as brincadeiras e jogos recreativos contribuem muito!

Isso porque a interação com o meio é a responsável por boa parte da nossa formação como indivíduos. Os especialistas, como psicólogos do desenvolvimento, pedagogos e até neurocientistas, concordam que, na primeira infância, as crianças são pequenas esponjas e podem absorver tudo o que está à sua volta.

Isso porque é nos primeiros anos de vida que a plasticidade cerebral é mais intensa, pois o cérebro ainda está se formando. Assim, os circuitos neuronais estão se moldando e se remodelando a todo momento, o que explica a facilidade incrível com que as crianças aprendem coisas novas.

É devido a essa plasticidade cerebral que os estímulos têm tanto impacto no desenvolvimento dos pequenos: as experiências sensoriais, sejam elas motoras, cognitivas ou emocionais, definem a “montagem” dos circuitos neuronais.

Assim, as atividades pedagógicas e lúdicas ocupam um papel fundamental no desenvolvimento infantil, pois são direcionadas mais especificamente para determinados processos. Desse modo, são um estímulo superprodutivo!

Sugestões de atividades lúdicas na Educação Infantil de 0 a 5 anos

Entendeu por que os estímulos ambientais interferem positivamente no desenvolvimento na primeira infância? Pois bem, destacada a essencialidade das atividades lúdicas, confira abaixo algumas sugestões para complementar a educação do seu filho!

Adivinhando os gostos

Doce, azedo ou salgado? Essa atividade, além de muito divertida, ensina nossas crianças a reconhecerem e diferenciarem os vários sabores dos alimentos. A brincadeira auxilia também na percepção da textura da comida, fazendo com que os pequenos identifiquem se o alimento é duro, mole, líquido ou está em pedaços, por exemplo.

Realizar essa brincadeira é bem fácil! Basta separar os alimentos em recipientes, diversificando-os quanto ao seu gosto. Depois, coloque uma venda na criança e dê a ela um tipo de alimento por vez, deixando claro o limite de tempo que ela tem para adivinhar. Sem dúvida alguma, é diversão garantida!

Essa atividade é também uma ótima oportunidade para os pais oferecerem novos alimentos aos seus filhos.

Gincana diferente

A gincana para brincar com os pequenos pode ser diferente das tradicionais, com movimentos e orientações que fogem dos padrões da brincadeira. A ideia é a mesma, mas com uma pitada de inovação.

Você pode criar um circuito no quintal da sua casa, no playground do prédio ou até mesmo em uma praça tranquila. A seguir, é só “inventar” os movimentos a serem seguidos pela criançada, como correr de costas, de um pé só, com os braços levantados e por aí vai. O que vale aqui é a descontração e a prática da atividade.

Essa brincadeira, além de servir como incentivo aos exercícios físicos, auxilia para melhorar a coordenação motora da criança e o seu equilíbrio.

Onde está o erro?

Essa também é uma atividade bem legal! Chame seus filhos para um determinado ambiente (sala, quarto, varanda etc.) e peça-os para observarem atentamente todos os objetos e móveis do espaço. Em seguida, retire as crianças do local e esconda algum item que fazia parte do ambiente.

Feito isso, chame novamente os pequenos e os incentive a descobrirem o que está faltando. Essa atividade trabalha o senso de observação da criançada e ajuda no desenvolvimento da noção espacial deles.

Joguinho da memória

Esse jogo com certeza você já conhece, principalmente por se tratar de uma das atividades pedagógicas mais tradicionais que existem. Mas nem por isso a brincadeira é menos importante ou divertida do que as demais.

Com imagens de animais, frutas ou objetos, o jogo consiste em espalhar e misturar os cartões com essas figuras — de cabeça para baixo, claro —, para que depois as crianças tentem, uma por vez, adivinhar onde estão os pares correspondentes.

Você pode inovar e criar imagens de outros objetos, bem como pedir para que seus filhos construam o próprio joguinho — recortando figuras iguais de jornais ou revistas e colando em cartões, por exemplo. Por meio desse jogo, a criançada estimula a concentração e o raciocínio, e o que é melhor: se divertindo bastante!

conheca-as-escolas-seb

Caixa de canudos coloridos

Qual a criança que não gosta de brincar com as cores? Exatamente por isso, a caixa para colocar canudos coloridos faz muito sucesso entre os pequenos.

E realizar essa brincadeira é muito fácil! Basta pegar uma caixa de papelão e encapá-la com papel colorido, tomando o cuidado de fazer esse processo separando uma cor para cada face da caixa. Em cada uma dessas faces, são feitos vários furos — possibilitando que as crianças encaixem os canudos, também de diversas cores, no furo correspondente.

Além de lidar com as cores, a brincadeira também trabalha a coordenação motora dos seus filhos e os familiariza com a Matemática, por meio da quantidade de canudos e furos.

Contação de histórias

O ser humano é um contador de histórias. Além de ser um dos meios de transmitir costumes culturais, tradições e conhecimento, a leitura é um exercício riquíssimo para o estímulo da imaginação, da experiência de diferentes emoções e das capacidades crítica e expressiva.

Portanto, uma boa pedida de atividade infantil pedagógica é contar histórias, seja com o auxílio de livros, seja de formas alternativas. Por exemplo, você pode confeccionar, com a ajuda dos pequenos, um “baú mágico de histórias”, contendo objetos variados, como bonecos, garrafas, relógios, saquinhos de sementes etc.

A história deve ser contada com base nos objetos retirados do baú. O adulto pode improvisar os acontecimentos e pedir ajuda dos pequenos para guiar a narrativa.

Orquestra em casa

A música é um excelente recurso para o desenvolvimento das crianças. Por meio dela, é possível desenvolver habilidades motoras de dança, ritmo e equilíbrio. Além disso, tocar (ou brincar de tocar) instrumentos musicais ajuda os pequenos a desenvolver a coordenação motora fina.

Sem contar que as coreografias, sejam livres ou guiadas, são excelentes para a percepção do próprio corpo, aspecto essencial para a formação da personalidade infantil. Por fim, as músicas favorecem bastante as habilidades linguísticas. Você pode, por exemplo, estimular os pequenos por meio de músicas infantis em inglês.

Os benefícios das atividades pedagógicas para o desenvolvimento infantil

Agora que você já conferiu algumas ideias legais de atividades infantis pedagógicas de 0 a 5 anos, vamos conhecer melhor os benefícios delas? Veja, abaixo, alguns dos principais ganhos!

Facilita o aprendizado

Essas atividades oferecem um elemento fundamental para o aprendizado infantil: a ludicidade. Para crianças, elementos lúdicos favorecem funções cerebrais importantes e, desse modo, contribuem com a assimilação de conteúdos e com o pensamento crítico, por exemplo.

Além disso, atividades que unem ensino e diversão atraem mais a atenção dos pequenos, ajudando a manter o foco durante o aprendizado.

Aprimora a criatividade

A criatividade é um motor do desenvolvimento humano, de forma geral. É por meio dessa característica que as sociedades se transformam e que novas ideias surgem. No dia a dia, a criatividade também é fundamental para driblar obstáculos e encontrar soluções para problemas de diferentes naturezas.

Estimulá-la desde cedo é muito importante, e as atividades pedagógicas são grandes aliadas. Isso porque jogos educativos e processos de aprendizagem lúdicos fazem com que a criança tenha diferentes experiências sensoriais, cognitivas e sociais que expandem sua capacidade de reflexão crítica e de construção de novos conhecimentos.

Aumenta a sociabilidade

Muitas atividades pedagógicas são realizadas em grupos. Assim, a criança aprende a interagir com os colegas de forma direcionada a um objetivo comum. Esse tipo de exercício é muito rico para a sociabilidade da criança, que aprende a respeitar os demais, a ter empatia e a cooperar nas tarefas.

Assim, a atividade infantil pedagógica funciona como um importante instrumento de construção de uma sociedade mais tolerante às diferenças. Afinal, ao desenvolver a sua sociabilidade e ao ter contato com colegas, a criança começa a construir suas percepções de mundo já com o entendimento de que há realidades diferentes daquela que ela conhece em casa.

Ajuda na memorização e na atenção

Quando temos um estilo de vida sedentário, por exemplo, é normal que a ausência de atividades físicas levem a uma perda da capacidade cardiorrespiratória e muscular, não é? O contrário também ocorre: estímulos frequentes promovem uma melhora desses aspectos.

O cérebro é um órgão que precisa ser estimulado tanto quanto qualquer outro. A realização de atividades pedagógicas favorece a melhora das potencialidades cognitivas. Quanto mais a criança tiver contato com jogos que exigem memorização e concentração, por exemplo, mais beneficiadas serão essas funções.

Promove a participação parental

Por fim, um dos grandes benefícios da atividade infantil pedagógica para além do espaço escolar, isto é, praticada também por parte dos pais ou responsáveis, é a promoção da participação parental no desenvolvimento dos pequenos. Então, além de ocorrer um fortalecimento das relações afetivas, a família passa a ter um contato maior com a vida escolar dos filhos.

Os pais ou responsáveis ficam mais atentos em relação aos avanços dos pequenos, além de observarem mais de perto a existência de possíveis transtornos ou dificuldades de aprendizagem que podem interferir no pleno desenvolvimento infantil. Há, assim, um compartilhamento de responsabilidades entre as instituições de ensino e a família.

Além disso, esse movimento fortalece a ideia de uma educação integral, em que escola e família compartilham a responsabilidade pela formação da cidadania. Os conhecimentos construídos nesses dois espaços também vão ao encontro de uma gestão democrática da educação, em que não apenas professores e gestores participam, mas também os próprios alunos, os pais e a comunidade como um todo.

Os marcos do desenvolvimento da criança de 0 a 5 anos

Depois de tantas informações, é importante saber como acompanhar o desenvolvimento infantil. O melhor meio para isso é ficar de olho em marcos universais, tomando-os como referência para observar se os pequenos se encontram excessivamente adiantados ou atrasados em relação ao que é esperado em cada idade.

Por exemplo, sabemos que as crianças conseguem engatinhar, caminhar e falar em idades mais ou menos previsíveis, não é? Veja, abaixo, alguns dos principais marcos universais de 0 a 5 anos, relacionados ao desenvolvimento motor, cognitivo e socioafetivo!

0 a 1 ano

  • pode dar os primeiros passos sem apoio;
  • responde a comandos simples de voz;
  • balbucia as primeiras palavras;
  • tenta reproduzir as palavras que ouve;
  • chora na ausência dos familiares;
  • começa a ter noção de causa-efeito — por exemplo, sabe o que vai acontecer ao bater em um objeto que produz som.

1 a 2 anos

  • expande seu vocabulário e pode dizer frases simples;
  • entende os significados de “sim” e “não”;
  • aponta para partes do corpo;
  • começa a ter maior consciência de si próprio;
  • é capaz de chutar uma bola;
  • gosta de imitar os outros, adultos e crianças;
  • começa a aprender formas e cores;
  • é bastante sensível à aprovação e desaprovação dos adultos.

2 a 3 anos

  • consegue manipular um lápis para desenhar;
  • apresenta grande curiosidade e entra na fase do “Por quê?”;
  • conhece os números até dez;
  • a memória e a concentração aumentam, sendo que o pequeno pode se engajar por períodos mais longos em uma mesma atividade;
  • apresenta emoções muito intensas, por exemplo, de raiva, ansiedade e de alegria, sobre as quais deve aprender a lidar com a prática e o auxílio dos adultos.

3 a 4 anos

  • consegue pular com os dois pés e, perto dos 4 anos, com um pé só;
  • já consegue se comunicar com clareza;
  • consegue desenhar linhas retas e formas geométricas simples;
  • começa a usar uma mão mais do que a outra;
  • interessa-se vivamente pela interação com outras crianças;
  • gosta de brincar de “faz de conta”, por exemplo, interpretando bonecos e outros brinquedos.

4 a 5 anos

  • a preferência manual já está bem-estabelecida;
  • pode se vestir e se despir sem ajuda;
  • têm mais autonomia quanto à higiene pessoal;
  • consegue seguir instruções para realizar atividades;
  • começa a entender conceitos de tempo, como “antes”, “depois”, “ontem”, “hoje” e “amanhã”;
  • já inventa brincadeiras de forma independente, sem supervisão;
  • torna-se mais sensível aos sentimentos dos outros, por exemplo, desculpando-se espontaneamente ao magoar um amigo.

Embora esses marcos sejam bons parâmetros, é importante respeitar o tempo de cada um nos mais diversos aprendizados. Não se esqueça de que cada criança é única! Além disso, vale a pena lembrar que há diferentes tipos de inteligência e, desse modo, o pequeno pode se dar melhor com certas atividades e com outras não.

Assim, o melhor modo de acompanhar o desenvolvimento da criança é partir de uma perspectiva bastante particular, não generalista — os marcos universais são apenas referências. Se o pequeno apresenta avanços em relação à resolução de problemas que envolvem raciocínio lógico, por exemplo, o que vale é essa conquista pessoal, em vez de seu desempenho em relação a outras crianças.

Entretanto, é essencial ficar de olho em dificuldades persistentes e que podem indicar algum atraso no desenvolvimento. Assim, anotar constantemente o desempenho dos pequenos nas atividades infantis é útil para identificar ocorrências como essa e, desse modo, conversar com profissionais caso seja necessário.

O planejamento de atividades lúdicas para os pequenos

Para preparar atividades diferentes, você pode se valer da internet. É isso mesmo! Lembra da reflexão que fizemos no início sobre como a tecnologia pode ser uma aliada? Existem canais no YouTube, blogs, e-books e outros materiais disponíveis na rede com sugestões de atividades lúdicas para as crianças.

Além disso, na hora de planejar, lembre-se de não sobrecarregar o seu filho com atividades muito formais. Na primeira infância, o lúdico é a palavra de ordem. Então, em vez de ensinar diretamente conceitos e movimentos, por exemplo, aposte em brincadeiras que estimulem esses aspectos mas que também garantam a diversão. Outras dicas são:

  • esteja presente — as atividades são mais significativas e divertidas quando os pais interagem com os pequenos nas brincadeiras;
  • pense na segurança — considere a idade do seu filho para planejar atividades adequadas ao tamanho dele;
  • envolva a criança — pergunte o que o pequeno gosta de fazer e, a partir disso, pense em como isso pode ser aproveitado para o seu desenvolvimento;
  • elogie sempre — quando a criança for bem-sucedida no objetivo da tarefa, elogie! Esse reforço é importante para sua motivação;
  • não repreenda — por outro lado, se o pequeno não fizer a tarefa conforme o esperado, não ridicularize nem demonstre decepção. Lembre-se de que o mais importante é o momento compartilhado e a diversão da criança;
  • prefira atividades curtas — mesmo que fique muito interessada, a criança pode se cansar e se entediar facilmente. Por isso, prefira tarefas rápidas.

Diante dessa leitura, você pôde ver melhor como as atividades lúdicas na Educação Infantil de 0 a 5 anos contribuem de forma significativa para o desenvolvimento das crianças, nos mais diversos aspectos. Sem contar nos bons momentos de afetividade, interação e proximidade com seus filhos, proporcionados por meio dessas atividades.

Se você gostou das dicas, não deixe de assinar a nossa newsletter! Assim, poderemos avisar por e-mail sobre as novidades do blog!