Reduzir, reciclar e reutilizar: você conhece a política dos 3 Rs?

Reduzir, reciclar e reutilizar: você conhece a política dos 3 Rs?

Em 2014, o prazo para a aplicação da Política Nacional de Resíduos Sólidos terminou, marcando assim o fim do ciclo de busca para que empresas nacionais providenciassem as condições necessárias ao tratamento adequado de seus resíduos. Mas, na prática, mesmo após a implantação dessas medidas, a situação do lixo em nosso país mudou pouco. No mesmo ano, 41,7% do lixo gerado por aqui ainda era depositado em locais inadequados, como aterros controlados e lixões.

Mas o que a escola pode fazer para contribuir com a redução do lixo e o adequado descarte dos resíduos em nossas cidades? Pois algumas ferramentas básicas norteiam as lições em sala de aula, incluindo os 3 Rs — de reduzir, reciclar e reutilizar. Quer saber como esses verbos se complementam na formação de seu filho para um mundo mais sustentável? Acompanhe!

Os verbos nas escolas

Pensar em educação ambiental nas escolas não é uma tarefa simples — especialmente pelo desafio de se manter discursos coerentes. De que adianta, afinal, implantar lixeiras de coleta seletiva se os funcionários da limpeza não sabem como usá-la corretamente e os alunos não conhecem os motivos de separar o lixo, por exemplo? Além disso, quantas atividades escolares exigem grandes quantidades de papel e plástico, descartados em grande volume após o período de duração dessas tarefas? Por tudo isso e muito mais, as instituições têm como desafio construir sistemas holísticos, que repensem todo o ciclo de geração do lixo.

E um caminho para chegar a esse fim envolve exatamente a política dos 3 Rs, que consiste em um conjunto de ações propostas durante a Conferência da Terra, sediada pelo Rio de Janeiro em 1992. Consolidada no 5º Programa Europeu para o Ambiente e Desenvolvimento de 1993, essa política visa oferecer soluções para as elevadas quantidades de lixo geradas pelo estilo de vida que levamos hoje em dia.

Representando reduzir, reutilizar e reciclar, os 3 Rs são colocados nessa sequência por um motivo lógico: antes de pensarmos na reciclagem, precisamos nos ater a formas de reutilizar o que não usamos e de reduzir a necessidade de bens para termos ainda menos trabalho de descarte. Por isso, ensinar somente a coleta seletiva nas escolas não é uma forma eficiente para entendimento da ecologia. Quando pensamos sobre o lixo de maneira holística, realmente nos inserindo na cadeia, desenvolvemos uma relação diferente com os itens que descartamos, com uma maior responsabilidade sobre sua origem e seu destino.

A prática em casa

Tem crianças pequenas em casa? Sabia que as fraldas descartáveis demoram cerca de 400 a 500 anos para se decompor? Então faça as contas: um bebê usa aproximadamente 6 fraldas por dia até os 2 anos de idade. Isso significa que só uma criança no mundo usa pelo menos 4.380 fraldas descartáveis, que podem causar assaduras, alergias e, claro, prejudicar o bolso dos pais. Por isso, cada vez mais pessoas têm optado pelas fraldas de pano modernas, que, se bem cuidadas, não pecam nada no quesito higiene! Há inclusive modelos que servem para o bebê desde o nascimento até o desfralde.

E se você vive com a constante sensação de que não tem roupa, que tal tirar todas as suas peças do armário e as arrumar novamente? Analise cada item cuidadosamente e verifique o que pode ser doado, o que pode ser consertado ou adaptado. Esse diagnóstico é fundamental tanto para conhecer melhor seu estilo e fazer compras mais direcionadas, diminuindo o consumo sem propósito, como para fazer uma boa triagem, dando um destino mais adequado ao que não usa mais. A dica vale especialmente para os filhos adolescentes, que estão em crescimento e constante processo de questionamento sobre a própria identidade.

E o que acha de procurar alternativas para os absorventes descartáveis? O coletor menstrual é uma ótima opção para economizar com esse item, bem como para parar de gerar tanto lixo, por exemplo. Mas se você não se sente à vontade com isso, procure por absorventes orgânicos, que se decompõem de maneira menos nociva, ou mesmo absorventes de pano, que podem ser lavados e reutilizados.

A aplicação no ensino

Antes de efetivamente descartar qualquer item, procure pensar nos possíveis usos que esse objeto pode ter. Um exemplo são os livros escolares. Muitas vezes inevitavelmente, novas aquisições devem ser feitas, o que dificulta o armazenamento dos volumes e praticamente inutiliza materiais ainda excelentes. O ideal, portanto, é fazer uma boa reforma nos livros que tenham marcas de uso e doá-los a bibliotecas comunitárias.

Vale ainda lembrar que, para manter seu funcionamento, uma escola precisa adquirir uma série de produtos e, consequentemente, de embalagens. E, normalmente, essas embalagens acabam indo parar no lixo. Mas com criatividade é sim possível dar uma nova vida esses itens, viu? Latas de alumínio podem se transformar em porta-lápis e potes de vidro podem virar presentes de Dia das Mães, por exemplo. E para o que não puder ser reaproveitado, uma boa ideia é fechar acordos com cooperativas de catadores.

Além do mais, o momento da compra de material escolar deve ser cuidadosamente alinhado com a política dos 3 Rs. Com uma boa avaliação sobre o que seu filho já tem, fica mais fácil produzir uma lista de compras econômica. Procure adquirir produtos mais resistentes e de maior durabilidade, evitando os artigos descartáveis. Fora isso, que tal conversar com seus filhos sobre o impacto do desperdício de alimentos? Uma boa pedida é cogitar a implementação de medidas na cantina da escola, que provavelmente gasta diversos litros de óleo, bem como desperdiça quilos e mais quilos de cascas de alimentos, repletos de nutrientes.

Procure se alimentar de forma mais saudável e barata, com refeições produzidas em casa. Dessa forma, além de ter maior controle sobre os ingredientes, essa é uma ótima oportunidade para reutilizar embalagens de vidro. As saladas em pote, por exemplo, fazem um enorme sucesso por sua estética diferenciada. E por serem tão bonitas são também uma ótima forma de estimular o consumo de legumes e verduras frescos. Experimente inseri-las nas refeições de seus filhos e as leve para o trabalho para ter um almoço saudável e prático!

E então, gostou de nossas dicas para implantar a política dos 3 Rs em sua casa e na escola de seus filhos? Que outro conselho você daria para reduzir, reciclar e reutilizar produtos, tornando o processo de aprendizado do seu filho ainda mais sustentável? Compartilhe suas impressões e sugestões conosco!