Entenda agora a importância da tecnologia na educação atual

tecnologia na educação
12 minutos para ler

Por muito tempo, a escola foi um espaço que oferecia métodos defasados de ensino, fundamentados em quadros-negros, livros e aulas completamente expositivas. Essa didática estava descontextualizada da vida dos jovens fora da instituição. A mudança desse cenário tornou necessária a aplicação da tecnologia na educação.

Isso porque a diferença de realidade entre o que o aluno tinha acesso na sala de aula e fora dela fazia com que o estudante perdesse o interesse pelas aulas e pelas práticas escolares, e voltasse suas atenções para o mundo externo, repleto de opções inovadoras. Com isso, fica mais claro, a cada dia, que uma metodologia que transforma tecnologia em ferramentas pedagógicas pode prender muito mais a atenção do jovem contemporâneo.

Sendo assim, adaptar os sistemas educativos é cada vez mais necessário. Pensando nisso, selecionamos algumas informações sobre a importância da tecnologia no processo de ensino e aprendizagem na escola. Confira!

O que é tecnologia na educação?

Quando pensamos em tecnologia na escola, imediatamente remetemos aos computadores e meios digitais: lousas digitais, gadgets etc. No entanto, o uso de ferramentas sempre esteve a serviço do aprendizado. Um exemplo são as copiadoras, aparelhos de DVD, projetores e muitos outros equipamentos utilizados há décadas.

Foi a partir dos anos 2000, com a popularização dos computadores, que as TICs (Tecnologias de Informação e Comunicação) começaram a se tornar cada vez mais presentes nos processos educativos. Estamos tratando de tecnologias que garantem cinco pontos:

  • criação;
  • captura;
  • armazenamento;
  • recebimento;
  • transmissão de informações.

Assim, no contexto educacional, as TICs mostram ser ferramentas excelentes, que otimizam as técnicas que surgem a cada dia e são capazes de gerar resultados muito positivos.

Qual a importância da tecnologia na educação?

Os alunos da educação básica já nasceram conectados ao mundo virtual — são chamados nativos digitais. Assim, todos esses jovens têm o mundo on-line muito mais integrado a sua realidade.

Esse contexto desafia as escolas e os professores a respeito do uso de novos recursos tecnológicos em prol do ensino. Com isso, evitar a presença deles não é mais uma opção, sendo preciso integrá-los à educação da melhor forma possível. Assim, os educadores ganham o auxílio de novas ferramentas para tornar as aulas:

  • instigantes;
  • interativas;
  • diferenciadas;
  • participativas;
  • menos monótonas;
  • com menos absenteísmos.

O aluno, por sua vez, sente-se mais à vontade e motivado a estudar, aumentando sua autoestima. Como as opções são muitas, cabe ao professor buscar alternativas para trazer até a sala de aula os recursos que as crianças e os adolescentes já utilizam em suas rotinas, de forma a despertar o interesse deles e engajá-los no aprendizado.

Quais são os seus benefícios?

As tecnologias precisam agregar o interesse de pais, alunos e professores, de forma a deixar as aulas mais motivadoras, criativas e interessantes. Além disso, oferecem formas mais práticas, lúdicas, interativas e dinâmicas de explicar um conteúdo, envolvendo e dando autonomia aos estudantes. Confira outros benefícios da tecnologia na educação!

Respeita a individualidade

As ferramentas tecnológicas estimulam a autonomia e a individualidade do estudante, que passa a atuar como um agente ativo na construção do seu próprio conhecimento. Com isso, observa-se a formação de um indivíduo mais responsável e preparado para a vida adulta.

A inserção da tecnologia ao ensino ainda permite que o professor avalie melhor o desempenho de cada criança nas atividades propostas. Isso porque é possível que o educador receba um feedback das atividades realizadas pelo estudante, sobre o número de acertos e as dúvidas que ele revela ter enquanto estuda.

As matérias podem ser adaptadas de acordo com o perfil de cada aluno. Dessa forma, aqueles com alguma deficiência cognitiva podem realizar atividades diferentes, enquanto os demais colegas avançam nos exercícios conforme seu conhecimento — buscando, cada vez mais, novos desafios para todos.

Aumenta a atenção

As aulas no modelo tradicional de ensino, expositivas e com cerca de 50 minutos de duração, são cansativas e dificilmente prendem a atenção dos alunos por tanto tempo. Com as novas possibilidades de ensino, o professor tem autonomia para aplicar aquelas que mais atendem ao perfil dos seus alunos, de forma a mantê-los sempre focados.

Estimula a interação

Como já nascem familiarizados com as ferramentas tecnológicas, os jovens conseguem interagir muito bem por meio delas. Assim, com o auxílio da internet, mesmo os mais tímidos são capazes de realizar trabalhos em grupo, expressar suas opiniões e mostrar seus conhecimentos. Por consequência, sentem-se motivados, pois percebem que são parte ativa e importante do desenvolvimento do aprendizado de todos.

Aumenta a motivação

É possível tornar o ambiente escolar instigante e atrativo para crianças e adolescentes. Desse modo, a escola se torna um local agradável de se frequentar, evitando, inclusive, a evasão. Para isso, existe uma série de recursos a serem explorados por alunos e professores, como:

  • jogos desafiadores (gameficação);
  • exercícios estimulantes;
  • vídeos didáticos;
  • atividades lúdicas.

Ajuda a preparar futuras carreiras

Preparar os alunos, desde os mais jovens, para o mercado de trabalho é outra grande vantagem da tecnologia na educação. Se no ensino tradicional, é cada vez mais comum que os estudantes passem de ano em ano sem assimilar efetivamente as matérias, no ensino pautado na tecnologia, o aprendizado é notável.

O reflexo no futuro dos jovens é natural, auxiliando, sobretudo, na hora de escolher um curso de graduação ou na busca por um emprego. Soma-se a isso o fato de a tecnologia ajudar as crianças na formação de um pensamento crítico perante aos desafios diários.

O resultado é o aumento da criatividade e da iniciativa para resolver os problemas propostos no meio acadêmico e fora dele. Além disso, grande parte das profissões do futuro estão relacionadas, de alguma forma, com a tecnologia e, assim, proporcionar esse método de ensino faz com que estejam preparadas para suas carreiras no futuro.

Permite imersão na tecnologia

Atualmente, a tecnologia está em praticamente todos os lugares, incluindo a palma de nossas mãos, graças aos “computadores de mão”, mais conhecidos como smartphones. Mas além dela, a televisão está mais interativa, os games mais realistas, os carros cada vez mais inteligentes.

Tudo isso afeta a vida de todos, incluindo a dos estudantes, e de maneira mais positiva. Abaixo, estão exemplos da imersão na tecnologia.

1. Favorece o acesso a conteúdos virtuais

O ambiente virtual garante o acesso a uma infinidade de conteúdos de qualidade que visam a complementar e enriquecer os estudos. Dessa forma, as novas tecnologias não apenas facilitam usar os materiais complementares, como também, torna a procura por novos conhecimentos mais fácil e muito mais abrangente.

2. Possibilita acessar recursos multimídia

Os recursos de multimídia fazem parte do dia a dia de todos, inclusive, de crianças e adolescentes. Essa realidade fez com que a educação precisasse se voltar para as novas ferramentas, todas fomentadas pela tecnologia.

Além disso, a recente onda de transformação digital e a tendência de um mundo mais conectado a cada dia, e os recursos dinâmicos, como vídeos, conteúdos interativos e animações, colaboram para que o processo de aprendizagem seja mais efetivo, em comparação com as metodologias de ensino tradicionais.

3. Oferece acesso a ferramentas essenciais

Certas ferramentas são cada vez mais essenciais para o dia a dia de todos, e tanto melhor se esse contato se der, também, durante a vida acadêmica. Assim, a tecnologia é capaz de colocar os estudantes frente a frente com esses recursos fundamentais. Eles não são importantes apenas como exigência ou competência básica, mas também, como forma de enfrentar os desafios do mundo cada vez mais conectado e digital.

4. Melhora as condições para estudos e pesquisas

Se a pandemia tivesse ocorrido há 40 anos, seria muito provável que os alunos perdessem o ano escolar. Porém, a tecnologia permitiu uma forma de estudar remotamente, ou seja, poder acessar os conteúdos das aulas e o contato virtual com os professores pelo uso do computador, do smartphone ou do tablet.

As plataformas em nuvem também garantem o compartilhamento de materiais a distância. Assim fica claro perceber que tecnologia e educação sempre estiveram juntas, mas não tão conectadas com a mesma finalidade: disseminar conhecimento.

5. Favorece as novas metodologias

Como vimos no período de distanciamento da pandemia de Covid-19, as videoaulas e aulas on-line garantiram a possibilidade da continuidade dos estudos, bem como contribuíram para o surgimento das novas metodologias de ensino. Elas se tornaram mais bem adaptadas às necessidades dos alunos e mais flexíveis, facilitando o aprendizado dos estudantes. Essa adequação foi possível graças ao trabalho de profissionais da educação e instituições de ensino.

Como a tecnologia pode ser aplicada?

O uso da tecnologia na educação vem causando transformações não só nos processos de ensino, mas nos de aprendizagem. Portanto, as escolas precisam inovar e se reinventar para despertar o interesse dos estudantes e o engajamento dos professores. Confira algumas tecnologias que já são tendência na sala de aula!

Realidade virtual e realidade aumentada

A realidade virtual é capaz de “enganar” os sentidos por meio de uma simulação realista de imersão. Ela pode simular e induzir efeitos sonoros, visuais e táteis no usuário. Dessa forma, o estudante tem a possibilidade de fazer viagens virtuais e conhecer diferentes ambientes ou épocas, por exemplo, sendo perfeito para aulas de Geografia, História e Arte.

Já a realidade aumentada coloca o mundo digital no mundo real. É possível acessar os conteúdos por meio de códigos especiais e criar interações únicas no aprendizado, dentro e fora da sala de aula. Um exemplo de utilização da realidade aumentada é o jogo Pokémon Go, que se tornou sucesso entre jovens e adultos.

Gamificação

A gamificação na sala de aula usa jogos digitais para motivar e engajar os estudantes em algum método de aprendizado. Os games são completamente interativos e utilizam pontuações, premiações e níveis de dificuldade para ensinar diversos assuntos.

Além de ser uma opção muito eficaz para atrair os alunos — que aprendem brincando —, a gamificação aperfeiçoa e desenvolve habilidades, como o trabalho em equipe, o espírito competitivo e a criatividade. O jogador precisa estar sempre atento e tomar decisões, de forma a resolver problemas.

Lousas digitais

A lousa digital é a solução atual para substituir o antigo quadro-negro. Basicamente, consiste em usar um grande monitor de computador sensível ao toque. Por meio dos seus recursos interativos, o educador trabalha os conteúdos com seus alunos de forma completa e abrangente.

Outra grande vantagem desses quadros digitais é que as matérias ensinadas não se perdem pela ação do velho apagador de giz. É possível usar a ferramenta para salvar e compartilhar os assuntos posteriormente. Assim, os estudantes não precisam interromper seus raciocínios para copiar os textos e as explicações.

Plataformas de marketplace

Didaticamente falando, o marketplace nada mais é do que um mercado on-line (um site de e-commerce), em que as informações do produto ou serviço são oferecidas por terceiros. A página funciona como uma vitrine para os produtos à venda em e-commerces. Entretanto, ssse modelo também é usado como plataforma educacional por permitir a reunião de uma centena de cursos virtuais e semipresenciais no modelo de educação continuada.

A opção de cursos 100% digitais permite ao aluno estudar em universidades de qualquer país que também tenham acesso à internet. Outra possibilidade é o treinamento para equipes de empresas — educação continuada — propiciando várias modalidades de certificados e diplomas, inclusive, o de ensino superior.

Quais são os desafios atuais da tecnologia na educação?

Da mesma maneira que a tecnologia amplia o acesso às informações, se as ferramentas não forem aplicadas adequadamente, o abismo que separa a rede pública da rede privada de ensino pode aumentar. Além disso, por mais elevada que seja uma tecnologia, ela é incapaz de substituir a ação dos professores no processo de educação.

No entanto, é fundamental que esses educadores sejam capacitados a utilizar e a conduzir todas as ferramentas que estão à sua disposição. Por isso, é essencial que as escolas invistam na formação continuada dos professores, para que eles estejam aptos a manusear os recursos tecnológicos e a desenvolver práticas que deixem as aulas mais próximas à realidade de todos os estudantes.

Como vimos, a tecnologia aplicada ao processo da educação não visa a suceder professores e abolir completamente os métodos tradicionais de ensino, mas agregar melhorias aos estudos. O Projeto Político Pedagógico das escolas que utilizam ferramentas tecnológicas na sala de aula precisa ser consistente, e os professores devem estar preparados para as mudanças.

Por fim, considerando o mundo totalmente dinamizado e unificado em que vivemos, a tecnologia na educação é um verdadeiro divisor de águas. O processo oferece todas as chaves para formar cidadãos muito mais informados, autônomos, críticos e participativos.

Se você se interessou pelo assunto, não deixe de conhecer os sistemas educacionais da Escola SEB — pioneira na utilização de tecnologias aplicadas à educação!

Você também pode gostar