leitura na educação infantil

Entenda a importância da leitura para o desenvolvimento da criança

Você sabe como ajudar seu filho nas tarefas escolares?

Se você já reserva ao menos 15 minutos da sua noite para ler com seu filho antes de colocá-lo para dormir, pode até imaginar que está somente cuidando de sua relação com o pequeno. Mas a leitura na educação infantil é um importante hábito a ser desenvolvido, porque gera grandes benefícios no desenvolvimento do indivíduo.

Estimular o interesse por livros é, além de uma forma de cuidado, atenção e carinho, uma importante atitude que contribui para fomentar o hábito da leitura na criança. Como lembra a frase do romancista André Maurois, “a leitura de um bom livro é um diálogo incessante: o livro fala e a alma responde”. Permitir que tais sensações façam parte da vida dos filhos é essencial!

Mas também existem dados que mostram como os livros são positivos. Algumas pesquisas apontam que o hábito da leitura entrega uma série de benefícios, que vão desde o aumento da empatia ao fortalecimento da criatividade, além da redução dos níveis de estresse e a crescente criatividade.

O melhor? Tudo isso pode ser feito sem sair de casa ou sem precisar de grandes recursos — basta uma história que pode, até mesmo, estar em um arquivo digital. Quer saber mais sobre a importância da leitura para o crescimento das crianças? Vamos falar, neste post, sobre como esse costume pode ser a ponte para um desenvolvimento de excelência. Continue a leitura!

O que a leitura efetivamente possibilita?

O hábito da leitura oferece muitos benefícios, tanto para o corpo quanto para a mente. Entre eles, melhora o funcionamento do cérebro, contribui para a construção do senso crítico e, como diz a máxima popular, permite uma viagem ao mundo sem que o leitor saia do lugar.

Antes de tudo, vamos dar uma olhada no que a leitura efetivamente proporciona para seus adeptos? Entenda como esse universo pode ser benéfico para o desenvolvimento da criança!

Promove o desenvolvimento

Criar uma rotina de leitura ajuda no desenvolvimento pessoal, intelectual e profissional da criança. Ler é um costume que aprimora as habilidades de comunicação.

Essa é uma das muitas competências que serão extremamente importantes para o crescimento do jovem e para a manutenção de todas as relações constituídas ao longo de sua vida.

Apura o senso crítico

Quem cria o costume de ler desenvolve um senso crítico maior, o que será extremamente valioso para o progresso intelectual do indivíduo. No final das contas, ao inserir a leitura na rotina seu filho, conseguirá desenvolver melhor suas ideias, suas opiniões e sua maneira de pensar e agir.

Proporciona entretenimento

Estamos acostumados a ver as crianças, em seus momentos de lazer, brincarem com videogames, computadores, aplicativos online e demais tecnologias. Acabamos, dessa maneira, nos esquecendo do valor que os livros têm também como instrumentos de distração.

Na prática, quando a criança se acostuma com a leitura, consegue sentir prazer ao conhecer novas histórias, de forma que esse hábito se torna uma forma de entretenimento extremamente eficiente.

Amplia o conhecimento

A leitura também possibilita a geração de novos conhecimentos acerca do mundo, das pessoas e até de nós mesmos. Por essas e outras razões, acaba ampliando as referências do leitor, modulando sua maneira de pensar e agir, além de aprimorar seu raciocínio.

Para as crianças, sobretudo, é uma ótima forma de desenvolver suas habilidades de compreensão para que consigam opinar, criticar e ter maior enriquecimento cultural, intelectual e social.

Enriquece o vocabulário

Ler livros é uma ótima maneira de descobrir novas palavras e aumentar cada vez mais o vocabulário — além de melhorar a gramática, ser uma forma de aprender a norma padrão da língua da forma mais natural possível e ajudar a construir uma linha lógica de pensamento.

Aprimora a escrita de redações

Durante o período escolar, uma das maiores dificuldades dos alunos costuma ser a escrita da redação. Como demonstrado anteriormente, a leitura é a peça-chave para o desenvolvimento da capacidade linguística, por incrementar o vocabulário, expandir as habilidades de interpretação e criatividade, fazendo com que uma maior capacidade de criação se desenvolva, elaborando mais facilmente suas próprias histórias.

Por isso, o hábito de leitura se torna ainda mais importante durante o período acadêmico, em que a redação representaria uma demanda mais complexa. Os resultados positivos podem ser notados em provas avaliativas, vestibulares e até na vida profissional!

Minimiza dificuldades acadêmicas

Para obter qualquer conhecimento na escola, é preciso saber interpretar. Como o hábito da leitura aprimora a habilidade de comunicação e interpretação, a criança acaba tendo maior facilidade ao aprender os conteúdos em sala de aula.

Por essas e outras é que não terá dificuldade para se adaptar quando a escola começar a exigir mais no que se refere à leitura de textos e livros.

Desenvolve o afeto

As crianças que leem livros conseguem se sentir afetadas (positiva ou negativamente) com as histórias. Por essa razão, os livros são tidos como instrumentos relevantes para liberar a emoção. Lendo as narrativas, as crianças podem sentir medo, empolgação e compaixão, bem como vários outros sentimentos importantes para seu desenvolvimento.

Reduz o estresse

A leitura é uma atividade que contribui para o controle e a redução do estresse. Um levantamento indica que apenas alguns minutos na companhia de um livro, por dia, são capazes de diminuir os níveis de ansiedade em até 68%.

Qual a importância da leitura na educação infantil?

A leitura é um dos pilares da formação do conhecimento e do desenvolvimento do jovem estudante. No entanto, o hábito deve acompanhar (e respeitar) o desenvolvimento psíquico e intelectual. Para isso, é importante que os pais compreendam os estágios que caracterizam o relacionamento da criança com os livros.

Os estágios da leitura

Até os dois anos, a criança não interage tão ativamente com as palavras. O ponto de interesse está, quase que essencialmente, direcionado às imagens e texturas. É o momento no qual os livros devem ter páginas grossas e rígidas, que permitam a interação com a história. Afinal, o objetivo é que os livros, nessa idade, sejam capazes de despertar a curiosidade!

Entre os dois e três anos, os livros podem começar a carregar um pouco mais de contexto e se relacionam à rotina da criança. É a hora de fazer a ligação entre as tarefas e hábitos do dia a dia, com o que é contado.

Vale, para tal, utilizar os livros como forma de validar e auxiliar no desfralde ou mesmo para ensinar pequenas tarefas, como arrumar a cama. Nessa hora, a criança já pode começar a compreender e relacionar palavras com o que está registrado nas páginas.

Dos três até os seis anos de vida, a criança já pode encontrar no livro uma forma de lazer. As imagens ainda são de grande importância, mas o pequeno já encontra nas histórias um ponto de interesse. Cabe aos pais explorar os momentos de união em família — como o tempo antes de dormir — para ler histórias, contextualizar e falar sobre o que é contado no enredo.

Após tantos poderosos argumentos, fica fácil entender que a importância da leitura já está clara. No entanto, a partir de qual momento os pais podem começar a incentivar esse hábito? Continue a leitura deste post para entender.

A partir de quando se deve incentivar a leitura?

A quarta edição da pesquisa Retratos da Leitura no Brasil trouxe alguns dados alarmantes. O brasileiro lê, em média, somente 2,43 livros inteiros por ano. Outro ponto relevante que o levantamento indicou é que o gosto pela leitura está diretamente relacionado a uma escolaridade mais elevada. Em outras palavras, pessoas que leem mais têm, geralmente, acesso mais amplo ao conhecimento.

Ao se falar sobre o incentivo ao hábito da leitura, a figura da mãe foi apontada como bastante importante para o desenvolvimento do gosto por livros. Especialistas indicam que, ainda que a criança aprenda a ler por volta dos cinco anos de idade, é recomendado que o costume seja explorado antes de tal idade para despertar, de fato, o interesse deles.

Em outras palavras, a criança pode observar e replicar o comportamento dos pais e cuidadores e, assim, pegar gosto pelos livros. Por isso, explore oportunidades lúdicas para incorporar a leitura na rotina da criança e dê o exemplo. Além disso, quanto mais tarde o hábito de leitura for implementado, menos eficientemente os benefícios descritos acima serão incorporados. Assim, a verdade é que nunca é cedo demais para incentivar a imaginação das crianças.

Os pais podem contar histórias para seus filhos quando eles ainda forem bebês! Se estiverem dando seus primeiros sinais de comunicação, que seja apenas balbuciando, já é possível começar a contar as histórias. Nessa fase, só garanta que esses contos sejam mais curtos e leves. Vá, gradativamente, aumentando a intensidade das emoções e o tamanho das narrativas. Quando menos esperar, seus filhos vão devorar livros inteiros!

conheca-as-escolas-seb

Alguns cuidados são essenciais para que a criança se interesse pela leitura. Podemos citar algumas dicas, como:

  • apresente ao pequenos livros que estão de acordo com a faixa etária deles, com histórias adequadas e que eles vão compreender;
  • deixe que o bebê ou a criança explore o livro, folheie as páginas e viva um momento de descoberta;
  • não empurre ou force a leitura, porque pode surtir o efeito contrário. Por isso, deixe livros espalhados por lugares estratégicos, para que o interesse surja naturalmente;
  • ao ler para os filhos, interprete frases e história, dando vida aos personagens ao descrever as imagens que decoram as páginas.

Falaremos melhor, a seguir, sobre cada uma dessas questões. No mais, como a criança pequena está em fase de imitação, é positivo quando os pais também gostam de ler e dedicam um tempo para tal. Assim, esse pode ser um ponto a ser trabalhado em família. Já pensou?

Como aprimorar a técnica?

Existem algumas dicas que você pode adotar para que a técnica de leitura seja aprimorada. Por isso, tenha em mente que, para o hábito ser mais eficiente, você pode:

  • optar por histórias que aguçarão a curiosidade da criança, buscando temas de seu interesse e compatíveis à sua realidade;
  • levar seu filho a uma livraria ou biblioteca para que ele possa escolher os livros que considerar mais estimulantes e atraentes;
  • estar presente no momento da leitura, pois essa interação será preenchida por maior atenção, carinho e melhores lembranças;
  • ajudar o pequeno a desenvolver uma entonação mais adequada, contribuindo ainda mais para seu desenvolvimento linguístico;
  • criar um ambiente propício para aumentar a imaginação e melhorar a atmosfera literária, promovendo maior interesse pela leitura. Montar um cantinho aconchegante, com luz um pouco mais baixa e menos estímulos que possam distrair a criança já é um bom começo.

Outras formas interessantes de fazer com que a criança tenha um maior interesse pela literatura é criar um clube da leitura entre os amigos! Combine com os pais de outras crianças do prédio, condomínio ou escola de realizar uma troca periódica entre livros. Vocês podem, até mesmo, combinar uma lista de títulos, para evitar repetições.

Ainda com pouca idade, os pequenos podem interagir e decidir pelas obras que têm preferência em conhecer. O clube também contribui para uma relação interpessoal mais saudável.

É possível, ainda, estimular a leitura a partir de uma abordagem ativa para a evolução do hábito literário. Peça que seu filho represente em desenhos o que viu ou compreendeu das histórias compartilhadas em livros. Vocês podem conversar sobre as obras, levantando dúvidas e questões que podem potencializar o interesse por novas histórias. Nessa hora, deixe que a criança explore sua mente e sua criatividade.

Quais são os gêneros da literatura infantil?

Engana-se, quem pensa que livros infantis são todos a mesma coisa. A verdade é que a literatura infantil é muito rica e cheia de características próprias. A seguir, confira alguns tipos de narrativas usadas nessa categoria.

Lendas e mitos

Você sabia que existem diferenças entre lendas e mitos? As lendas são narrativas populares repassadas de geração em geração e falam sobre acontecimentos históricos. Como podem surgir em vários locais, existem diversas versões da mesma lenda. Por mexer com o imaginário, estimulam a criatividade, que é uma capacidade importante na infância.

Já os mitos vêm das lendas e envolvem seres mágicos e objetos sobrenaturais. No passado, eles foram muito usados para explicar o que era desconhecido na época e por aquela comunidade, como os fenômenos naturais. Bons exemplos são os deuses gregos e o os personagens do nosso rico folclore.

Fábula

As fábulas são histórias mais curtas, comumente protagonizadas por objetos ou animais. Entretanto, também existem pessoas como personagens dessas histórias. Elas sempre terminam dando alguma lição, por isso, são muito interessantes no desenvolvimento infantil, pois estimulam o senso moral.

Quem nunca ouviu a história da cigarra e a formiga? Essa fábula é muito conhecida e nos dá o devido valor do trabalho desde a infância. Caso você ainda não conheça, aí vai um resumo: a formiga trabalha todo o verão, enquanto a cigarra canta o dia inteiro. No inverno, a formiga tem alimento e a cigarra fica sem ter o que comer.

Conto

Os contos são narrativas mais resumidas em que os personagens se envolvem em conflitos que precisam ser resolvidos rapidamente. Entre os autores que ficaram conhecidos por esse tipo de literatura infantil estão Machado de Assis e Oscar Wilde.

No desenvolvimento infantil, a leitura de contos ajuda os pequenos e os jovens a encarar seus conflitos, assim como os personagens corajosos.

Crônica

As crônicas estão relacionadas à vida cotidiana, retratando os problemas comuns do dia a dia. São parecidas com os contos, mas sem grandes conflitos para serem resolvidos. Assim, qualquer pessoa pode se identificar. Isso ajuda as crianças a desenvolver sua relação com a sociedade.

Romance

Os romances têm enredos mais complexos e extensos, com muitos conflitos e tramas secundárias dentro da mesma história. Dois exemplos desse tipo de literatura infantil são Harry Potter e Percy Jackson. O sucesso desses livros é tão grande, que incentivou muitas crianças a descobrirem a paixão pela leitura e escrita.

Como escolher um livro infantil?

Escolher um livro para uma criança pode não ser uma missão muito fácil. Em meio a diversas possibilidades, ficamos até confusos nessa hora. Além disso, é importante se preocupar em fazer a escolha certa, pois pode influenciar a relação que o pequeno terá com a leitura.

Ao presentear com livros adequados, você evita que a criança se frustre com histórias complexas demais para o seu entendimento ou que tenha livros que não o despertem o interesse pela leitura. Pensando nisso, resolvemos trazer alguns pontos que você deve considerar na escolha.

Complexidade do texto

A complexidade do texto é um fator muito importante, pois ela pode ser decisiva na hora manter o interesse da criança no livro ou não. Para saber se está de acordo com o pequeno, é preciso entender o nível de linguagem e de leitura dele. Uma boa ideia é seguir as indicações por faixa-etária, embora seja apenas um guia, pois cada criança tem seu tempo de desenvolvimento.

Para você ter uma noção, para crianças até três anos, são recomendados livros com frases mais curtas e linguagem simples, além de pouco texto. Depois da alfabetização, já pode considerar livros com histórias maiores, linguagem mais complexa e blocos de textos.

Material

Pode parecer besteira, mas é interessante se preocupar com o material do livro para a experiência da leitura. Os livros de capa dura são mais resistentes ao tempo e podem servir como lembranças para toda a vida. Além disso, existem os livros de borracha, plástico e pano para os bebês, que podem ter o primeiro contato com o hábito de ler.

Visando à segurança, você pode optar pelas versões com cantos arredondados e folhas com papel mais grosso. Assim, é possível evitar cortes e acidentes, além de contribuir para a preservação do objeto. Folhas muito finas rasgam com maior facilidade.

Ilustrações

Quando as crianças são bem pequenas, até os dois anos, o que mais chama a atenção nos livros são as ilustrações. Desenhos em cores contrastantes e vibrantes fazem com que os pequenos consigam focar mais a visão. É interessante verificar se as figuras estão coordenadas com o texto para que a criança faça a associação durante a leitura.

Existem diversos tipos de ilustrações, como as estilizadas, as minimalistas e as simbólicas. Por isso, procure diversificá-los nos livros, pois ajuda a enriquecer o repertório estético do pequeno, estimulando a leitura.

Editora e autores

Existem milhares de opções de livros infantis em diversas livrarias por aí, mas há os que têm mais qualidade, outros menos. Uma boa maneira de saber isso é verificar quem é o autor e a editora responsável.

Opte pelos que são mais reconhecidos, pois assim, fica mais fácil garantir que o livro tem uma boa qualidade literária e que foi feito por especialistas. Além disso, assegura que seguem as recomendações para produtos infantis.

Tema

Por fim, mas não menos importante, fique atento ao tema do livro. Histórias que descrevem experiências do dia a dia das crianças geram mais interesse por identificação. Por exemplo, os pequenos com até quatro anos gostam de saber sobre alfabeto e números, pois estão aprendendo na escola.

Após os seis anos, as histórias preferidas são de ação e aventuras, cheias de emoção e com super-heróis. Entretanto, é sempre bom diversificar os gêneros literários para que as crianças tenham ainda mais paixão pela leitura.

Os gostos dos pequenos também devem ser levados em conta. A criança gosta de dinossauros? De fada? De princesas? Saiba que quanto mais dentro das preferências da criança, mais interesse o livro desperta. Hoje em dia, é possível encontrar diversos temas com facilidade, até mesmo, de personagens e personalidades que os pequenos adoram. Além de todas essas dicas de como escolher um livro infantil, não deixe de considerar os gostos pessoais de cada criança antes de presenteá-la com a leitura.

De modo geral, não são muitos os pais que se dedicam adequadamente a promover a motivação de que os filhos precisam para ler mais e melhor. Faça diferente: nada de pensar que a leitura deve ser obrigação apenas da escola! Comece a incentivar essa poderosa prática ainda dentro de casa, deixando que os profissionais da educação apenas a aperfeiçoem! Lembre-se de que os pais têm um papel crucial no desenvolvimento da rotina literária dos filhos.

Viu como a leitura na educação infantil é importante para o desenvolvimento das crianças em vários aspectos? Por si só, esse hábito aumenta a imaginação, desenvolve a capacidade criativa, promove melhorias na habilidade linguística, trabalha as emoções das crianças e as ajuda a aprimorar suas habilidades comunicativas. Todos esses benefícios terão um significativo efeito em longo prazo, podendo contribuir para o maior sucesso pessoal e profissional da pessoa.

Gostou do post? Então, assine a nossa newsletter! Assim, poderemos avisar sobre novos conteúdos como este, diretamente na sua caixa de entrada!