desenvolvimento social da criança

Veja a importância do desenvolvimento social da criança

Qual atividade extracurricular é a cara do seu filho?

O desenvolvimento social da criança tem importante papel na construção do conhecimento, da autopercepção e da consciência de ser um indivíduo que vive em coletividade. Desde muito pequenos, aprendemos que fazemos parte de grupos, a começar pela nossa própria família. Contudo, essa noção de vivência coletiva se amplia conforme passamos a ter contato com pessoas em outro contexto.

A escola ocupa um espaço fundamental na definição da criança enquanto ser social. Nesse cenário, o desenvolvimento infantil ocorre em vários aspectos, sobretudo, intelectual e social. O convívio com outras pessoas da mesma faixa etária, que passam pela mesma fase de aprendizados e descobertas, é determinante para a formação completa do indivíduo.

Neste post, vamos explicar por que o desenvolvimento social da criança é tão importante e de que maneira podemos facilitar esse processo. Acompanhe!

Como a falta de estímulo ao desenvolvimento infantil afeta as crianças?

Para que a criança se desenvolva plenamente, ela precisa ser estimulada em diversos sentidos: físico, psicológico, afetivo, cognitivo e social. Esses aspectos estão presentes nas vivências cotidianas do ser humano. Portanto, se houver falha em alguma dessas áreas, o desenvolvimento infantil, em seu todo, pode ser prejudicado.

Os reflexos da falta de estímulo poderão ser observados desde a infância até a vida adulta. A criança pode apresentar dificuldades de aprendizagem e socialização, o que prejudica o seu aproveitamento acadêmico e inibe sua capacidade de se expressar e fazer amigos.

Quando adulto, o indivíduo que não conseguiu se desenvolver de forma harmônica e linear pode enfrentar maiores desafios para construir relacionamentos interpessoais, trabalhar em grupo e exercer a comunicação assertiva.

A pouca interação com outras pessoas desde a infância também acarreta dificuldades para gerir conflitos, inter e intrapessoais, além de aumentar a propensão para o isolamento. Consequentemente, podem surgir transtornos emocionais, como ansiedade e depressão.

Que habilidades estão relacionadas ao desenvolvimento social?

O desenvolvimento social prepara a criança para o convívio com outras pessoas, a partir da construção das seguintes habilidades. 

Empatia

Empatia é a capacidade de se colocar no lugar do outro, de se sensibilizar e de tentar ver uma situação pelo ponto de vista da outra pessoa. Até entre os adultos, colocar essa habilidade em prática é um verdadeiro desafio. Se a criança for estimulada desde cedo a desenvolver uma postura empática, isso certamente influenciará em sua vivência social de forma positiva.

Respeito

Viver em coletividade exige respeito ao próximo sempre. Podemos não concordar com os posicionamentos alheios. Afinal, todos somos diferentes. No entanto, temos que evoluir o pensamento para conviver com a diversidade de ideias, de culturas e de todos os aspectos que ainda despertam atitudes desrespeitosas.

Incentivar a criança a respeitar os outros é mais que uma atitude bonita. É nosso dever como seres sociais. Isso pode começar com pequenas coisas, como aprender a esperar a vez, lidar bem com a frustração, reconhecer qualidades nos colegas etc.

conheca-as-escolas-seb

Comunicação

Comunicar-se de forma eficaz é outro desafio até para os adultos. Expressar os próprios pensamentos e emoções, mas sem ofender os outros, faz parte do conceito de assertividade e trata-se de uma habilidade rara. Normalmente, existe um hiato entre o que realmente pensamos e sentimos, e aquilo que conseguimos verbalizar.

Sendo assim, favorecer o desenvolvimento social da criança também requer o incentivo à comunicação eficaz. Isso começa na compreensão das próprias ideias e sentimentos, e ainda envolve outras habilidades, como autoconfiança, senso de argumentação e, novamente, empatia e respeito.

Trabalho em grupo

Tanto na infância quanto na fase adulta, as atividades em equipe fazem parte da nossa vida. Saber conviver em grupo é essencial para ter boas experiências e garantir resultados satisfatórios. Isso também ajuda a criança a tomar consciência de seu papel e trabalhar o seu senso de responsabilidade e participação, tanto na família quanto na escola.

Qual o papel dos pais e da escola no desenvolvimento social da criança?

O núcleo familiar e o contexto escolar são os principais cenários em que a criança interage, sendo, portanto, os locais de construção de suas habilidades sociais. Na adolescência e na vida adulta, novos ambientes serão explorados e a interação social será aprimorada de forma contínua. Contudo, a família e a escola representam os primeiros degraus desse desenvolvimento.

Em casa, ainda nos primeiros anos de vida, a criança aprende mais por modelação — observação e imitação do comportamento dos pais e irmãos —, do que por ordens diretas. Então, as primeiras noções de como interagir com outras pessoas vêm das experiências intrafamiliares. Isso significa que a família tem papel determinante no desenvolvimento social infantil.

A escola (educadores e colegas) também contribui fortemente para a formação individual e social de cada criança. Nesse ambiente, ocorrem interações constantes, o que possibilita a troca de percepções, ideias e valores. O cenário escolar é propício para a construção de habilidades socioemocionais, como respeito às diferenças e trabalho em grupo.

O que fazer para proporcionar um bom desenvolvimento social infantil?

É possível favorecer o desenvolvimento social da criança por meio de algumas ações que a coloquem em interação com outras pessoas e incentivem a formação das habilidades interpessoais. Sabemos que esse tem sido um grande desafio para os pais em situação de pandemia e distanciamento social, como a que vivenciamos recentemente.

Muitas famílias, inclusive, perceberam os impactos no desenvolvimento de seus filhos pequenos. Crianças em idade de aquisição da linguagem podem ter ficado com atraso na fala. Aqueles em idade pré-escolar, que já estariam em início de processo de alfabetização, paralisaram sua aprendizagem. Regressão comportamental para um estágio de maior dependência emocional e funcional também são reflexos da restrição de convívio social.

Entendemos que os pais também precisam trabalhar em meio a esse cenário em que as crianças tanto exigem atenção em casa. Contudo, na medida do possível, algumas ações dos familiares podem ajudar no desenvolvimento social da criança, como:

  • incentive seu filho a socializar com as pessoas que ele convive;
  • evite o uso excessivo de celular e reserve horários para atividades produtivas com a criança;
  • aproveite brincadeiras e jogos interativos;
  • escute o que seu filho tem a dizer; estimule o diálogo e a comunicação;
  • converse (e demonstre) sobre o que é empatia e respeito ao próximo;
  • permita que a criança participe de atividades simples na organização da casa, para que ela desenvolva o senso de responsabilidade e trabalho em grupo;
  • evite a superproteção; nossos pequenos precisam crescer com autonomia;
  • quando possível, frequente lugares em que haja outras crianças.

Na prática, o estímulo ao desenvolvimento social da criança deve ser contínuo. Nesse sentido, a parceria entre família e escola é fundamental para formarmos indivíduos conscientes, confiantes, respeitosos e bem preparados para conviver em sociedade.

Interessante o tema, não é mesmo? Curta nossa página no Facebook e acompanhe mais conteúdos sobre aprendizagem e desenvolvimento infantil!