Como se preparar para o ENEM: veja as 11 dúvidas mais frequentes

Como se preparar para o ENEM: veja as 20 dúvidas mais frequentes

Atualmente, uma das provas mais almejadas (e ao mesmo tempo mais temidas) pelos estudantes que desejam entrar em uma boa universidade é o Enem. Criado para ser uma ferramenta de democratização do acesso à educação, o exame funciona como um certificado de conclusão do Ensino Médio para estudantes maiores de 18 anos.

Além de ser usada como processo de seleção para entrar em uma instituição de Ensino Superior, a nota da prova também pode servir de base para conseguir bolsas de estudos em faculdades particulares — fornecidas pelo programa Universidade Para Todos (ProUni).

E não para por aí! O desempenho dos alunos ainda pode ser usado para conseguir benefícios junto ao Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), para se candidatar a uma vaga do Sistema de Seleção Unificada da Educação Profissional e Tecnológica (Sisutec) e para participar do programa Ciência sem Fronteiras. De fato, a nota do exame abre tantas possibilidades que o exame acaba sendo bastante disputado.

O problema é que, por mais que a maioria dos alunos estude com máximo afinco, acabam se perdendo nos detalhes sobre como se preparar para o Enem. E você, por acaso sabe o que pode, o que não pode e o que deve ser feito no dia da prova?

Pois confira aqui as 20 dúvidas mais frequentes sobre o Enem para se orientar da melhor forma possível!

1. Como se preparar para o Enem?

Essa é uma das perguntas que mais aflige os estudantes. Afinal, para conseguir uma boa nota no Enem, é preciso estudar bastante! Além de ter que se preocupar com a prova em si, parte dos inscritos ainda está matriculada no colégio e, portanto, deve dividir a atenção com os deveres escolares.

Mas esse desafio pode se transformar em um trunfo, sabia? Aproveitar as aulas para tirar dúvidas, fazer resumos e definir um cronograma de estudos a fim de evitar se perder entre os diversos temas cobrados é uma ótima pedida!

Além do mais, manter-se bem informado é outra dica que você deve adotar o quanto antes. É preciso ler reportagens, ouvir noticiários no rádio, assistir a programas educativos e discutir ideias com os amigos para manter os conhecimentos gerais fresquinhos na hora da prova.

Outra ideia envolve os tão famosos podcasts, que podem ser consumidos enquanto estiver a caminho da escola, por exemplo. Você consegue, inclusive, tornar essa atividade um hábito da família. Assim, todos estarão atualizados com as notícias do Brasil e do mundo, o que rende boas conversas e debates. Já pensou?

2. Quem pode se inscrever e como são feitas as inscrições?

O exame é destinado principalmente a alunos de Ensino Médio, mas também pode ser feito por quem já se formou. As inscrições são feitas exclusivamente pela internet, no site do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

Aqui, vale ressaltar um detalhe importante: a participação só é confirmada após o pagamento da taxa de inscrição — o comprovante fica disponível online, também no endereço do Inep. Fique atento para acompanhar a sua situação e evitar que fique de fora do exame por um descuido!

3. Quem está isento do pagamento da taxa de inscrição?

Existe sim a possibilidade de pedir a isenção da taxa de inscrição do Enem. Para isso, é preciso estar matriculado em uma escola pública, declarar-se pertencente à família de baixa renda ou estar em situação de vulnerabilidade socioeconômica. Mais uma vez, todas as informações estão disponíveis no site do Inep.

4. É possível pedir recurso para a isenção do pagamento da taxa de inscrição?

Caso a solicitação seja recusada, há a possibilidade de pedir recurso no próprio site do Inep. Para isso, basta enviar os documentos comprobatórios da sua situação.

5. Como são as provas do Enem?

O exame inclui 4 provas objetivas, cada uma com 45 questões de múltipla escolha. As áreas de conhecimento exigidas são Ciências Humanas (História, Filosofia, Sociologia e Geografia), Linguagens (Língua Portuguesa em geral), Língua Estrangeira (tendo as opções em inglês ou espanhol no momento da inscrição), Literatura e Comunicação, Ciências da Natureza (Física, Química e Biologia) e, claro, Matemática.

Além disso, também há uma avaliação discursiva de redação. Um tema do momento vai atestar os seus conhecimentos sobre atualidades e a capacidade de formular argumentos convincentes. Aqui, vale lembrar que a banca não aceita desrespeito aos direitos humanos, combinado?

6. Como é o atendimento a alunos em condições especiais?

Na hora da inscrição, o candidato deve informar sua condição especial e declarar quais são os recursos necessários para que possa realizar a prova tranquilamente. Lembrando que, caso faça a solicitação, ele pode ter que apresentar os respectivos documentos comprobatórios.

Nesses casos, os recursos oferecidos são:

  • tradutor/intérprete de Libras (a Língua Brasileira de Sinais);
  • prova em braile;
  • prova em vídeo com a tradução em Libras;
  • prova com letra ampliada ou superampliada;
  • transcritor;
  • ledor;
  • leitura labial;
  • guia-intérprete;
  • tempo adicional;
  • sala com acesso e mobiliário acessível.

Participantes com deficiência visual

Pessoas acometidas por cegueira, baixa visão ou visão monocular podem utilizar recursos (como lupa, caneta de ponta grossa e cão guia). Entretanto, é necessário que a condição seja comprovada no ato da inscrição. Além disso, todos os materiais passam por uma vistoria pelo responsável pela aplicação da prova.

Participantes com deficiência auditiva

Ao comprovarem a condição no ato da inscrição, deficientes auditivos podem usar implante coclear e aparelho auditivo. Também podem contar com videoprova, leitura labial, tempo adicional e tradutor-intérprete, como citado.

Participantes com transtorno de desenvolvimento

Os candidatos que tiverem algum transtorno de desenvolvimento (como deficit de atenção ou dislexia) podem contar com um tempo maior para a realização do exame. A condição deve ser comprovada por meio de declaração feita por profissional da saúde.

Além desses, participantes em classe hospitalar, gestantes e lactantes também contam com atendimento especial.

As lactantes poderão ser acompanhadas por uma pessoa adulta, que será responsável por ficar com o bebê em uma sala reservada. Na hora da amamentação, a mãe deverá se direcionar para esse ambiente. Um aplicador deverá supervisionar todo o processo.

O acompanhante precisa cumprir todas as recomendações que são repassadas aos alunos. Isso vale para os horários de entrada, materiais e até mesmo a passagem pelo detector de metais.

Participantes transexuais e travestis

Participantes transexuais e travestir podem ser reconhecidos pelo nome social, caso seja requerido e comprovado. O processo de solicitação é feito depois da inscrição, por meio do requerimento de Atendimento pelo Nome Social.

Nesses casos, é necessário apresentar a documentação comprobatória para a motivação. Isso inclui:

  • fotografia atual (individual, colorida, com fundo branco, nítida e com o enquadramento da cabeça até os ombros, sem qualquer adereço);
  • cópia digitalizada (frente e verso) de um dos documentos oficiais de identificação com foto.

Os arquivos devem ser enviados com um tamanho máximo de 2MB e nos formados JPG, PNG ou PDF.

7. Quais documentos são aceitos no dia da prova?

No dia da prova, é preciso levar um documento de identificação original. Cédula de identidade (RG), carteira de trabalho, certificado de reservista, passaporte e carteira de motorista (CNH) com foto são os documentos aceitos.

Já a certidão de nascimento e o título eleitoral não são aceitos, pois não possuem foto. Lembre-se ainda de conferir a condição do documento, viu? Se houver algo ilegível ou danificado, você corre o risco de ser impedido de realizar a prova.

8. Quais são os horários das provas?

É recomendado chegar com antecedência ao local onde o exame será realizado. Geralmente, os portões são fechados às 13h (horário de Brasília), impedindo a entrada de participantes após o encerramento.

A aplicação é feita das 13h30 às 19h no primeiro dia e às 18h30 no segundo dia de provas. Porém, para os participantes que têm tempo adicional para a realização do exame, os horários vão das 13h30 às 20h no primeiro dia e às 19h30 no segundo dia.

9. Quais objetos são proibidos?

A regra é clara: o participante do Enem não pode usar bonés, chapéus, óculos escuros, fones de ouvido, gorros e similares. Também é proibido o uso de lápis, lapiseiras, borrachas, livros, manuais e anotações. Obviamente, qualquer tipo de arma também é vedado, mesmo com documento de porte.

Aparelhos eletrônicos e celulares também devem permanecer desligados e guardados no devido porta-objetos fornecido pela organização. O recipiente será lacrado e só poderá ser aberto quando deixar o local.

10. Quais atitudes podem eliminar o participante?

O candidato deve evitar condutas impensadas para não colocar tudo a perder. É importante prestar bastante atenção desde a inscrição, pois informações erradas podem impedir você de fazer a prova. E aqui também vale a regra do bom senso.

Os aplicadores e demais colaboradores devem ser tratados com cortesia, uma vez que quem perturba ou cria desordem pode ser eliminado na hora. A comunicação com outra pessoa (seja verbalmente, por escrito ou por meio de equipamento eletrônico), leva à anulação da prova dos candidatos envolvidos.

11. Como é calculada a nota da prova?

A Teoria de Resposta ao Item (TRI) é utilizada como base para a realização dos cálculos das proficiências dos alunos — e é feito a partir das respostas marcadas nas provas objetivas (questões de múltipla escolha).

Você pode entender melhor a metodologia utilizada acessando o documento, que informa os critérios usados, no portal do Inep.

12. Como é calculada a nota da redação?

Já a nota da redação é calculada com base em diversos critérios. São alguns deles:

  • a correção é feita por dois corretores, de maneira totalmente independente;
  • são levadas em consideração cinco competências. Cada corretor deve atribuir uma nota que vai de 0 a 200 em cada uma delas;
  • a nota total é a soma das pontuações de cada competência (e isso vale para todos os corretores).

Vale lembrar que a nota da redação pode variar de 0 a 1.000 pontos. Você pode obter mais informações sobre o processo na Cartilha do Participante.

13. O que pode zerar a redação?

Especialmente no Enem, a redação é bem importante, tanto que os critérios de correção são rigorosos, abrangendo do conteúdo à estrutura do texto. Serão zeradas as redações que não forem escritas na folha correta, que tiverem menos de 8 linhas ou que contenham algo impróprio, como palavrões ou opiniões que desrespeitem os direitos humanos, por exemplo. Por isso, é fundamental que ler muito, praticar a escrita e desenvolver seu senso crítico ao longo de sua formação escolar.

14. Quando são divulgados os gabaritos e resultados das provas?

As notas finais são divulgadas pelo Inep em até 3 dias úteis após a conclusão do processo do exame. Para ter acesso ao resultado, é só fazer seu login no site do Instituto, informando o número de sua inscrição ou seu CPF e a senha cadastrada.

15. É possível pedir revisão da nota da redação?

A metodologia adotada na correção das notas atualmente contempla uma revisão automática. O objetivo é fornecer essa revisão a qualquer aluno, sem que ele tenha que se manifestar formalmente (por meio do recurso de ofício).

Você pode entender melhor sobre a metodologia e os critérios adotados nesse processo na Cartilha do Participante.

16. É possível ver a nota da redação corrigida?

A revisão da prova de redação é liberada pelo Inep, mas apenas para contribuir para o aprendizado — ou seja, com objetivos totalmente pedagógicos. Isso é feito após a divulgação do resultado (em uma data que é definida pelo instituto). A vista é disponibilizada no portal do participante.

17. A nota é divulgada publicamente?

Pode ficar tranquilo que apenas o candidato terá acesso à nota. Ela somente é utilizada com a finalidade de premiações e publicidade caso o próprio participante autorize a divulgação dos resultados. Lembrando que, nesses casos, a responsabilidade não fica a cargo do Inep.

18. Existe algum comprovante relacionado à nota do Enem?

Existe um comprovante, chamado de Boletim Individual do Resultado. Ele pode ser acessado no portal do participante ou no aplicativo do Enem. Para isso, basta fazer o login utilizando CPF e senha.

Porém, é importante deixar claro que o Inep não fornece certificados, atestados e nem certidões ligadas ao desempenho que o aluno teve nas provas.

19. A nota do Enem pode ser usada pra concluir o Ensino Médio?

Não. Para isso, existe o Encceja — o Exame Nacional Para Certificação de Competências de Jovens e Adultos, também sob responsabilidade do Inep. Ele é voltado para jovens e adultos que ainda não conseguiram terminar os estudos na idade adequada para cada nível.

20. Como conseguir uma vaga em uma instituição pública?

Com os resultados em mãos, o que os alunos mais querem saber é se fizeram pontos suficientes para ingressar em uma instituição de Ensino Superior, certo? Quem busca uma vaga em uma universidade pública deve se inscrever no Sistema de Seleção Unificada (Sisu). É por meio desse sistema, gerenciado pelo Ministério da Educação (MEC), que as instituições públicas de educação superior oferecem vagas aos participantes do Enem.

Após a inscrição, é necessário definir, por ordem de preferência, até 2 opções de vagas em cursos participantes do Sisu. Mas fique tranquilo, porque essa escolha pode ser modificada durante todo o período de inscrição. Nessa hora, também é possível escolher se vai concorrer a vagas de ampla concorrência ou àquelas destinadas a políticas afirmativas. Encerrado o período de inscrição, os candidatos com as melhores colocações em cada curso serão selecionados automaticamente pelo sistema.

Agora que você já tirou suas maiores dúvidas sobre como se preparar para o ENEM, assine a nossa newsletter e compartilhe este conteúdo em suas redes sociais.