Você conhece a aprendizagem baseada em problemas? Entenda como funciona o método

Você conhece a aprendizagem baseada em problemas? Entenda como funciona o método

A aprendizagem baseada em problemas é um dos métodos alternativos de ensino que podem contribuir para aprimorar o desenvolvimento dos alunos, principalmente no que diz respeito à parte cognitiva. Você já ouviu falar dessa metodologia?

Ela é uma opção para estimular a aprendizagem dos alunos por meio da construção de cenários, análise de dados e senso crítico. Além disso, ajuda a desenvolver uma série de habilidades importantes para a vida pessoal e profissional.

Neste artigo, explicamos melhor o que é, como funciona, suas premissas básicas, as vantagens que ela proporciona e o papel dos professores nesse processo. Continue conosco para saber mais sobre a aprendizagem baseada em problemas!

O que é aprendizagem baseada em problemas?

A aprendizagem baseada em problemas, também chamada de PBL (sigla em inglês), foi criada na Holanda e no Canadá — nas universidades Maastrich e McMaster, respectivamente. Ela se baseia nos conceitos apresentados pelo filósofo John Dewey e pelo psicólogo Jerome Bruner.

O filósofo John Dewey acreditava que a educação precisa se basear nas experiências e na reprodução de vivências, o que ajuda a melhorar a aprendizagem e o crescimento das pessoas.

Já o psicólogo Jerome Bruner defendia que a educação precisa deixar os alunos em contato com diversos tipos de problemas. Dessa forma, discussões acerca de tais problemas são realizadas, levando ao desenvolvimento de soluções práticas.

Os princípios básicos dessa metodologia

Como já sabemos, a aprendizagem baseada em problemas é uma metodologia ativa, na qual os alunos precisam refletir sobre os problemas e apresentar possíveis soluções. Ela é baseada em alguns pilares, que são:

  • abordagem totalmente focada no aluno, que deve promover a aprendizagem por si mesma;
  • destaque para o desenvolvimento cognitivo;
  • integração entre os elementos práticos e teóricos, ou seja, o conhecimento é utilizado para se chegar à resolução do problema;
  • criação de temas ao redor dos problemas (em vez de disciplinas);
  • integração interdisciplinar.

Todas essas características formam a PBL e são cruciais para que ela seja colocada em prática de forma eficaz, acertada e bem-sucedida.

Vantagens da aprendizagem baseada em problemas

É praticamente impossível determinar qual é a metodologia de ensino perfeita e mais adequada para os alunos, principalmente porque isso envolve diferentes variáveis. Avaliar quais vantagens as metodologias podem proporcionar é uma das formas de identificar se vale a pena apostar em um método.

A seguir, mostramos os principais benefícios da aprendizagem baseada em problemas.

Formação de autonomia

A PBL ajuda os estudantes a desenvolverem a capacidade de analisar as informações e desenvolver conclusões e soluções por si próprios. Isso significa mais autonomia em várias áreas da vida.

Desenvolvimento cognitivo avançado

Esse tipo de aprendizagem vai além das funções básicas de identificar, reconhecer, organizar e memorizar tarefas. Em vez de focar a simplicidade, essa abordagem busca a utilização de outras tarefas, que vão explorar ainda mais o desenvolvimento cognitivo.

Tudo isso envolve a manipulação de informações, a análise de dados, a criação de previsões, a realização de análises, o levantamento de hipóteses e experimentações, entre outras coisas.

Dessa forma, o objetivo é promover um desenvolvimento cognitivo ainda maior e mais relevante para os alunos, que ficam aptos a fazer interpretações dos mais variados cenários, a identificar as prováveis consequências e a desenvolver soluções mais direcionadas — o que estimula cada vez mais seu pensamento crítico.

Trabalho em equipe

O trabalho é realizado em conjunto com colegas e, principalmente, com os professores. Assim, a metodologia contribui para que os estudantes consigam desenvolver e aprimorar habilidades importantes para o trabalho em equipe, o que inclui argumentação sólida, análises e até mesmo a empatia e a cooperação.

Estimula a criatividade

Esse é um dos métodos alternativos de ensino que ajudam a estimular a criatividade dos estudantes, uma vez que é necessário buscar informações, organizá-las, analisá-las e, principalmente, utilizá-las para criar soluções acertadas para os problemas propostos.

Isso significa que o modelo de escola tradicional, no qual o professor repassa as informações e o aluno as recebe de forma destrinchada, já não é mais adotado. Nessa alternativa, os estudantes sempre serão incentivados a explorar melhor o pensamento e a elaborar o conhecimento adquirido.

Sendo assim, a situação se inverte e é o próprio estudante que vai em busca do conhecimento, em vez de apenas recebê-lo “mastigado” e de forma totalmente passiva. As consequências disso envolvem a aplicação em avaliações que simulam situações reais (no lugar de reproduzir os conceitos que foram compartilhados em sala de aula).

O papel dos professores na metodologia

Como já é de se esperar, os professores, dentro do modelo da aprendizagem baseada em problemas, podem assumir diversas funções, menos a de detentores de todo o conhecimento.

Em outras palavras, esses profissionais deixam de se posicionar como uma figura que tem todo o conhecimento disponível e se tornam mentores desses jovens em desenvolvimento.

Contudo, para que isso seja possível de aplicar na prática, é necessário que os professores tenham em mente a necessidade de adotar determinadas ações, como:

  • promover o engajamento e o desenvolvimento da capacidade reflexiva dos alunos;
  • realizar atividades em sala que estejam dentro do entendimento dos estudantes;
  • transmitir segurança, para que seus alunos consigam se sentir confiantes, a ponto de testarem novas ideias e experimentarem novas abordagens;
  • fornecer apoio;
  • praticar a empatia;
  • ser fonte de inspiração;
  • auxiliar na coleta de fontes e motivar os estudantes a aplicarem o aprendizado em sua vida (seja na área acadêmica, profissional ou pessoal).

É necessário destacar a importância de buscar atividades, questões e problemas que estejam de acordo com a realidade vivida pelos estudantes. Isso faz com que seja fundamental conhecer bem quem são os alunos e o contexto geral que os envolve, de forma que os projetos, problemas e perguntas sejam capazes de estimular o pensamento crítico e a ação, por meio de soluções direcionadas e eficazes.

Como o próprio nome sugere, a aprendizagem baseada em problemas gira em torno de propor questionamentos reais, para que os alunos consigam desenvolver habilidades de análise e, assim, chegar a soluções viáveis para as atividades que os professores propõem em sala de aula.

O que achou do artigo? Quer aproveitar para se aprofundar no tema de aprendizagem (com este e outros modelos) e aperfeiçoar ainda mais os seus conhecimentos sobre o assunto? Então siga-nos nas redes sociais e receba em sua timeline conteúdos exclusivos, estamos no Facebook e no YouTube!