Texto infantil: descobertas e potencialidades

Texto infantil: descobertas e potencialidades

O livro nos ajuda a formar e aguçar todos os sentidos, estimulando a criatividade, a capacidade verbal, de concentração, a imaginação e a inteligência. Por isso, uma biblioteca deve estar tão presente na vida das crianças quanto os brinquedos. Sabia que quando seu filho lê desde pequeno, acaba se desenvolvendo mais depressa, apura seu senso crítico, enriquece seu vocabulário, minimiza as dificuldades na escola e, no futuro, também melhora sua escrita? É isso mesmo!

E a leitura é importante desde os primeiros meses de vida do bebê, podendo ser colocada em prática com livros para ler no banho e historinhas divertidas. Assim, a criança desenvolve suas habilidades de comunicação antes mesmo de aprender a usar talheres! Ficou curioso para descobrir as principais vantagens do hábito e como inserir o texto infantil na vida do seu filho? Então acompanhe agora mesmo nosso post!

Crie o hábito da leitura

Assim como a maioria das atividades criativas, a leitura é uma questão de hábito. Em meio à rotina apressada, com trabalho, trânsito e compromissos sociais, muitas pessoas acabam deixando os livros de lado. O excesso de tarefas também é uma desculpa bastante comum para se recorrer a outras formas de entretenimento, como a TV. Não deixe que isto aconteça em sua casa!

Lembre-se de que as crianças aprendem com o exemplo. Por isso, nada será mais estimulante para os pequeninos do que pais demonstrando que a leitura pode ser uma fonte de prazer e diversão. Assim, leia não só perto delas como em voz alta, para elas, mostrando que essa pode ser uma atividade tão divertida quanto jogos, filmes e outras brincadeiras. Solte seu talento representando personagens e explorando as ilustrações para realmente prender a atenção dos leitores iniciantes.

Recomenda-se estipular um horário fixo para a leitura. Assim, aos poucos, a criança passa a entender a importância da concentração. Seja após o jantar, antes de dormir, ou durante uma horinha na parte da tarde, o importante é que o horário de leitura seja dedicado a essa tarefa, sem interrupções.

Comece desde cedo

Não é preciso que a própria criança leia para que ela tenha contato com os livros. Afinal, existem exemplares só com ilustrações, para que os pais indiquem os nomes das figuras e a criança possa repetir, assim como livros para que as crianças aprendam a associar imagens e palavras, livros interativos, exemplares para brincar no banho, colorir, dentre muitos outros.

Quanto mais cedo entrar em contato com os livros, também mais cedo ele tirará proveito dos benefícios trazidos pela leitura. E você pode começar mesmo enquanto ele é apenas um bebezinho, viu? A dica é introduzir o texto infantil contando histórias mais simples e curtas, fazendo interpretações divertidas. Aos poucos, aumente o tamanho das narrativas e a intensidade das emoções provocadas.

Escolha livros apropriados

A maioria dos livros infantis vem com a idade recomendada na contracapa ou, às vezes, na primeira página. Na dúvida, consulte o vendedor da livraria ou o professor da escola para saber que tipo de livro é mais indicado para a faixa etária do seu filho. Vale ter atenção redobrada em relação a isso, porque as obras infantis mudam muito de acordo com a idade da criança. Assim, se o título não for adequado e a criança não se identificar com o conteúdo, a compreensão e até o envolvimento com a história serão comprometidos.s.

Leia contando histórias

Principalmente para as crianças menores, a leitura funciona como uma espécie de teletransporte para outro universo. Nos livros, princesas e dragões ganham vida nos mais diferentes cenários e roteiros. A imaginação infantil parece não ter limite, não é mesmo? Por isso, para tornar tudo ainda mais divertido, as histórias devem ser contadas pelos pais com todos os recursos possíveis.

Solte a sua criatividade e faça diferentes vozes para os personagens, mudando a entonação quando quiser criar suspense ou enfatizar alguma emoção. E que tal usar os brinquedos do seu filho, bonecos e objetos para montar as cenas da trama, fazendo uma espécie de teatrinho? A brincadeira ajudará a criança a entender a história e ainda transformará o momento em uma diversão só! Marionetes encantam os mais novos e podem ser feitas em família — veja algumas ideias neste painel do Pinterest!

Explore bem as imagens

Um artigo do New York Times intitulado Picture books no longer a staple for children (em tradução livre: livros ilustrados já não são uma constante para crianças), de 2010, reportou que as crianças estão lendo menos livros ilustrados devido a fatores econômicos e à influência dos pais. De acordo com o artigo, as famílias das crianças as têm influenciado a ler livros mais densos cada vez mais cedo, fazendo com que percam um importante gênero literário: o texto infantil ilustrado.

O detalhe é que a linguagem visual vem antes da linguagem falada ou da escrita. Portanto, as imagens não são mera figuração, não estão lá somente para que o livro fique bonito — embora isso também seja importante! Na verdade, a ilustração também é uma linguagem. Pela interpretação do ilustrador, a criança tem a oportunidade de conhecer outras visões da história.

É preciso considerar também que os livros com textos corridos não são necessariamente mais complexos em comparação com os livros ilustrados. Na realidade, as ilustrações levam as narrativas para outros limites, enriquecendo a história. Isso sem contar que elas também ajudam as crianças a interpretar o que estão lendo, traçando um caminho mais claro para os pequenos leitores.

O mercado editorial brasileiro está repleto de novidades em livros ilustrados, com edições em pop-up, brinquedos para acompanhar a leitura, jogos e diferentes técnicas de ilustração. Então nada de pular etapas: adquira, troque ou pegue emprestado livros ilustrados e se beneficie ao máximo das imagens. Questione seus filhos sobre os personagens nas figuras, sobre os elementos no cenário e explore as histórias que estão nos desenhos.

Aproveite para interagir

Indo além das imagens, atualmente existe uma série de livros interativos, com botões que emitem sons, texturas aplicadas para caracterizar diferentes animais ou objetos e por aí vai. Essas são opções especialmente interessantes para as crianças menores, pois ajudam a deixar a leitura ainda mais divertida. Aproveite esse tipo de mecanismo para estimular a interação do seu filho com a narrativa. Em uma história sobre o mundo animal, por exemplo, vale interromper a leitura e perguntar que som cada animal faz, por exemplo. Bem mais divertido, não concorda?

Desenvolva seu lado afetivo

À medida que a criança cresce, tende a se mover e explorar diferentes ambientes, ora na escola, ora no parquinho, fazendo a maior bagunça! Sentar-se para ler é uma oportunidade para que tanto ela quanto você desacelerem, aproveitando um momento de aconchego. Para seu filho, o momento da leitura será importante para que ele se aproxime de você. Por isso, aproveite ao máximo esse tempo!

Observe como a criança reage às diferentes histórias e libera suas emoções. Afinal, acompanhando a história, ela vai sentir medo, excitação e compaixão, dentre outros sentimentos igualmente importantes para seu desenvolvimento.

Arrisque com novos idiomas

O mercado editorial brasileiro já dispõe de uma série de livros infantis bilíngues muito atraentes. Assim, caso queira que seu filho aprenda novas línguas desde pequeno, aproveite seus momentos de leitura para introduzir a educação bilíngue!

É importante que, a princípio, você leio junto com a criança e a ajude na interpretação de palavras, fazendo perguntas sobre a história e pedindo para que ela repita algumas palavras. Ouvindo histórias em inglês, espanhol ou qualquer outro idioma, a criança já começa a absorver vocabulário para posteriormente repetir as palavras com uma naturalidade que vai deixá-lo impressionado.

Marque as conquistas da criança 

Outra forma de estimular o hábito da leitura é registrar as conquistas do seu filho, seja escrevendo em um caderno, com gráficos ou uma escala. Pode acreditar: demarcar os feitos da criança com os livros a ajuda a desenvolver um senso maior de comprometimento. Para aumentar a diversão, proponha desafios de acordo com os temas favoritos da criança. Assim, vocês podem fazer a leitura de livros sobre animais em um mês, sobre o folclore brasileiro no outro e assim por diante. Quando a criança atingir uma meta, recompense-a com uma tarde de piquenique ou uma ida a uma reserva ecológica, por exemplo.

Deixe a criança escolher

A leitura deveria ser uma escolha e não uma obrigação, certo? Por isso, o ideal é ter à mão uma boa variedade de livros e revistas para que a criança escolha o que deseja ler, desenvolvendo seus próprios gostos literários. É ótimo fazer sugestões, mas obrigar seu filho a acatá-las pode acabar transformando a leitura em um fardo. E fique de olho: ajude a criança a desenvolver suas habilidades, estando pronto para agir quando ela se sentir desestimulada.

Tenha a tecnologia como aliada

Hoje em dia, cresce cada vez mais o uso de e-books em detrimento dos tradicionais livros impressos. E, para as crianças, os livros eletrônicos são simplesmente encantadores, porque incluem muito mais recursos que as páginas físicas. A versão para tablet do clássico de Lewis Carroll, Alice no País das Maravilhas, por exemplo, permite que a criança vire o livro de cabeça pra baixo, interagindo com a personagem central enquanto ela cresce e encolhe.

Mas a leitura de livros digitais na infância é um assunto controverso. A Scholastic aponta que 68% dos pais preferem que as crianças de 6 a 8 anos leiam livros impressos. Há alguns sinais de que os e-readers sejam positivos para pequenos leitores, especialmente por oferecerem aprendizado direcionado para determinada faixa etária. Mas há ainda outros prós e contras.

Livros impressos são melhores para incentivar a experiência tátil das crianças, fazendo com que elas folheiem as páginas, sintam o cheiro do papel e explorem as ilustrações. Enquanto isso, os especialistas ainda não conseguiram entrar em um consenso sobre os efeitos da experiência da leitura em e-readers.

De acordo com Julia Parish-Morris, pós-doutora da Universidade da Pensilvânia, os e-books são ótimos para leitores independentes. Contudo, durante sua pesquisa de pós-doutorado, Julia levantou que os pais tendem a ficar mais focados no que a criança está fazendo com o dispositivo e menos na história, o que pode ser prejudicial para a relação de afeto entre a criança e a leitura.

Lisa Guernsey, diretora da New America Foundation, afirma ainda que animações, músicas e jogos dos e-readers também podem deixar as crianças mais distraídas em relação à história. Por outro lado, os livros digitais estimulam bastante o engajamento dos leitores. Afinal, com esses dispositivos, as crianças podem dar zoom em palavras que desconhecem e clicar em links que as ajudem a fazer conexões entre diferentes conteúdos.

Kim Floyd, professora e pesquisadora da Califórnia, tem testado o uso de tablets e livros impressos em seus alunos do jardim de infância. Com a experiência, ela notou que o vocabulário das crianças aumentou significativamente no caso do uso de e-readers. Além disso, a tecnologia deixou os alunos mais contentes com o que leem, já que o tablet permite mais privacidade. A pesquisadora afirma, no entanto, que colocar as crianças em contato com livros impressos antes de recorrer aos eletrônicos é a melhor pedida.

Continue lendo com seu filho

Mesmo depois que a criança cresce, é importante a manutenção do incentivo dos pais para que a leitura permaneça como um hábito. O que acha de inverter os papéis, fazendo com que seu filho passe a ler para você? Assim você pode acompanhar de perto sua alfabetização e ainda mantém a rotina da leitura. Outra opção é ler juntamente com ele, você com seu livro e ele, com o dele. Mesmo que não tão próximo, esse momento de leitura conjunta pode dar o incentivo que faltava para manter a leitura em dia.

Gostou das nossas sugestões para explorar o texto infantil no incentivo à leitura? O estímulo ao aprendizado constante começa em casa, com pais que ajudam os filhos a desenvolver a curiosidade e a explorar o mundo dos livros. Se você deseja conhecer mais motivos para planejar uma ida à biblioteca com seu filho, leia também sobre a importância da leitura para o desenvolvimento da criança!

 

Comentários

comentários