Saiba em 5 dicas como demonstrar a importância da faculdade para seu filho

Saiba em 5 dicas como demonstrar a importância da faculdade para seu filho

Até poucos anos atrás, era impensável que qualquer jovem de classe média ou alta sequer cogitasse da possibilidade de encerrar seus estudos no Ensino Médio. O ingresso em um curso superior imediatamente após a conclusão do terceiro ano era o caminho natural que apenas seria adiado caso o aluno não passasse logo no vestibular ou negociasse com os pais um semestre ou no máximo um ano de intervalo para viajar.

Entretanto, essa realidade mudou bastante recentemente. Muitas profissões modernas não exigem diploma, e os jovens se veem atraídos por funções profissionais — muitas vezes bem remuneradas — compatíveis com conhecimentos e talentos que eles já dominam e possuem e não se interessam por ingressar na universidade. Por outro lado, há também aqueles que simplesmente querem “tirar férias” dos estudos.

Só que o ensino superior traz vantagens que vão bem além de simplesmente oferecer uma graduação ou uma profissionalização. O convívio acadêmico em um campus é importante inclusive para o desenvolvimento pessoal dos indivíduos, além de ajudar na construção de uma definição vocacional para aqueles que não sabem exatamente que caminho seguir. Para ajudar os pais no processo de convencimento quanto a isso, elaboramos a lista a seguir com 5 dicas para ajudar você a demonstrar a importância da faculdade para seu filho.

1 – Demonstre interesse nos questionamentos do seu filho

Em vez de simplesmente refutar os argumentos contrários ao ingresso na universidade logo depois dos anos de colégio e dizer que não aceita que ele não entre na faculdade, procure compreender o que há por trás da atitude refratária do seu filho. Passado tanto tempo desde que viveram o próprio drama da escolha sobre o rumo profissional, a maioria dos pais tende a esquecer o turbilhão de dúvidas, incertezas e inseguranças por que passa um adolescente de 17, 18 anos prestes a ingressar na chamada vida adulta.

Nessa idade, costumamos acreditar que qualquer escolha é absoluta, e que uma decisão errada ou malfeita pode representar uma espécie de condenação perpétua à infelicidade. Tendo isso em mente, os pais precisam funcionar como conselheiros e tranquilizar os filhos, mostrando que, apesar de ser uma escolha extremamente importante, a decisão sobre o que estudar na faculdade não é definitiva. Segurar o peso da mão nas cobranças também ajuda, e muito.

2 – Esclareça que a importância da faculdade vai além da definição profissional

Muitas vezes, o adolescente que está terminando o Ensino Médio está tão indeciso quanto ao que pretende fazer pelo resto da vida, que conclui que o melhor é não ingressar na faculdade e ficar um tempo “sem fazer nada”. Neste caso, os pais e professores podem ajudá-lo no sentido de demonstrar que a continuação dos estudos pode ajudar inclusive na definição mais concreta.

Um processo de orientação vocacional é uma boa maneira de afunilar as opções e apresentar as inúmeras possibilidades existentes. Com ele, seu filho pode compreender que pode dar início aos estudos em um curso mais generalista e depois partir para especializações, seguindo o modelo de ensino consagrado no exterior.

3 – Explique que o tempo e o dinheiro dedicados são um investimento no futuro

A máxima de que o que aprendemos ninguém nos tira é muito verdadeira. Assim, reforce para seu filho que toda experiência que ele tiver em uma faculdade — mesmo que depois de algum tempo ele descubra que não era aquele o curso desejado — será válida. Se ele está em dúvida entre um curso de humanas e outro de exatas, frequentar aulas de um outro pode ser um belo aprendizado sobre o que ele (não) quer. Se ele conseguiu um emprego que paga mais do que ele possa imaginar, apresente dados estatísticos sobre como, no longo prazo, a tendência é que a renda de pessoas sem ensino superior fique estagnada e aquelas com mais formação, aumente.

Por outro lado, é fundamental fazer os jovens compreenderem que esse investimento não deve ser desperdiçado ou tratado com indiferença e leviandade. Ajude seu filho a se envolver o máximo possível nessa caminhada, que é, afinal, totalmente dele, para depois não se arrepender por haver perdido tempo ou dinheiro que poderiam ter sido melhor investidos. Mais uma vez, “diálogo” é a palavra-chave.

4 – Conte histórias positivas da sua experiência na faculdade

Se a vivência escolar do seu filho não foi das mais estimulantes, talvez isso possa pesar negativamente na hora de pensar na continuação dos estudos após a maioridade, quando, teoricamente, ele passa a ser “dono do próprio nariz”. Que tal então fazer com que a faculdade vire um objetivo interessante, algo a almejar com gosto, em vez de simplesmente uma meta pragmática? Quem não lembra das muitas histórias divertidas de seus tempos de faculdade?

Claro que não queremos que os filhos escolham a graduação a partir das melhores festas ou da maior possibilidade de fazer novas amizades, mas que mal haverá se essas variáveis contarem na hora do convencimento? Mostre fotos, fale sobre amizades que vêm desde os laboratórios universitários, deixe que ele conheça os trabalhos que você realizou. Vale inclusive destacar acontecimentos ou aulas ruins que acabaram ensinando você por vias tortas.

5 – Estimule a busca por informações sobre vivências de outras pessoas

Uma das melhores maneiras de se compreender a importância da faculdade na vida das pessoas provavelmente é saber o papel que o ensino superior desempenhou não apenas para os pais, mas também na realidade de gente que seu filho admira ou de quem ele goste. Seja através de leituras sobre o assunto, seja por meio de conversas com parentes e amigos da família, os jovens podem ter um panorama bem interessante de como a vivência universitária influencia, melhora e modifica a maneira de ser, viver e pensar.

Outra forma de se conseguir isso é realizando estágios (remunerados ou não) ou visitas a empresas e profissionais das áreas desejadas, quando há afinidades, ou mesmo escolher áreas de atuação aleatoriamente. No último caso, a decisão pode se basear em critérios diversos, como “carreiras em alta” ou “carreiras melhor remuneradas”.

Seu filho tem dúvidas sobre a importância de continuar os estudos depois de terminar o Ensino Médio? Você considera a faculdade fundamental para o sucesso na vida adulta? Deixe seu depoimento nos comentários e participe da discussão.

Facebook Comments

Comentários

comentários