Quais os idiomas mais falados no mundo? Meu filho pode aprender todos eles?

Quais os idiomas mais falados no mundo? Meu filho pode aprender todos eles?

Simplesmente não há dúvidas quanto à importância do aprendizado das línguas estrangeiras para o sucesso profissional hoje em dia, não é mesmo? E também não é nenhum segredo que quanto mais cedo uma segunda língua for aprendida, melhor. No entanto, na hora de proporcionar essa habilidade aos filhos, é comum surgirem dúvidas em relação à quantidade de línguas que a criança pode aprender ao mesmo tempo e qual delas deve ter seu ensino priorizado.

Para ajudá-lo a solucionar a questão, listamos neste post os idiomas mais falados do mundo, explicando como seu filho pode conhecer cada um deles aos poucos, sem se confundir nem atrapalhar o aprendizado do próprio português. Acompanhe os próximos tópicos e veja como seu filho pode se tornar um poliglota!

Os idiomas mais falados no mundo

Segundo a última edição do livro The Ethnologue: languages of the world, o número total de línguas faladas no mundo é 6.912. Confira agora as 10 mais faladas, o respectivo número de falantes e onde são faladas:

  1. Mandarim – 1.051 milhões – China, Malásia e Taiwan.

  2. Hindi – 565 milhões – Índia, regiões norte e central.

  3. Inglês – 545 milhões – EUA, Reino Unido, partes da Oceania.

  4. Espanhol – 450 milhões – Espanha e Américas.

  5. Árabe – 246 milhões – Oriente Médio, Arábia, África do Norte.

  6. Português – 218 milhões – Brasil, Portugal, Angola.

  7. Bengalês – 171 milhões – Bangladesh, nordeste da Índia.

  8. Russo – 145 milhões – Rússia e Ásia Central.

  9. Francês – 130 milhões – França, Canadá, oeste e centro da África.

  10. Japonês – 127 milhões – Japão.

Mas além do total de falantes nativos, é importante considerar o número de países em que um idioma é falado, assim como a quantidade de pessoas que o têm como segunda língua. Afinal, por mais que línguas como o hindi e o bengalês estejam na lista em posições acima do francês e do alemão, isso não significa necessariamente que é mais vantajoso aprender as primeiras do que as segundas.

Aliás, o site do Ethnologue indica, por exemplo, que enquanto o hindi é falado em apenas 4 países, o russo é falado em 17, o alemão em 26, o espanhol em 31, o chinês em 35, o francês em 53, o árabe em 58 e o inglês em nada menos que 106 países! Dessa forma, quem fala esses idiomas pode acabar abrindo muito mais portas mundo afora do que quem aprende línguas de uso mais restrito.

A escolha de uma língua estrangeira

Depois de conferir quais línguas podem ser mais importantes para seu filho no sentido de proporcionar a ele mais oportunidades de crescimento pessoal e profissional, é interessante, ainda, refletir sobre outras questões que podem influenciar sua decisão no que se refere aos idiomas estrangeiros que as crianças ou os adolescentes vão aprender.

Gostos pessoais, interesses determinados, familiaridade cultural ou mesmo sonhos para o futuro também podem ser critérios importantes no momento de decidir que língua estudar. Assim, se há ascendência estrangeira na família, se seu filho sonha em ter uma profissão especialmente ligada a algum país, se você pretende se mudar para o exterior ou mesmo se a criança demonstra alguma afinidade por certa cultura, pode ser extremamente produtivo deixá-la seguir essas tendências na hora de aprender uma nova língua.

Nesse sentido, é importante lembrar que quanto mais a criança conseguir aplicar o idioma estudado (seja lendo livros na língua, conversando com parentes ou viajando ao país em que é falada, por exemplo), mais eficiente será seu aprendizado. Por isso, os elementos acima não devem ser desconsiderados pelos pais, ainda que impliquem na escolha por um idioma de menos prestígio ou com número reduzido de falantes.

A introdução ao bilinguismo

Decidido o idioma estrangeiro mais interessante para o pequeno, agora é preciso conhecer os melhores métodos para ensiná-lo. Nesse momento, cabe ressaltar que a prática oral da língua estrangeira normalmente não gera nenhuma interferência negativa no aprendizado e no desenvolvimento da criança. Embora precise de alguns cuidados na fase da alfabetização, em que é essencial contar com o auxílio de profissionais para ajudar seu filho a distinguir entre os dois sistemas, mantendo-os tão separados quanto estavam na oralidade, o bilinguismo só traz benefícios. Mas sabia que a criança já pode ter contato com a língua estrangeira desde a gestação?

No caso de pais que falam idiomas diferentes, é interessante manter uma constância (se um dos pais fala com o filho em inglês, por exemplo, só deve se comunicar com ele nessa língua) a fim de incentivar o pequeno a discernir entre a língua do papai e a língua da mamãe, evitando que ele se perca na tradução. Independentemente de os pais poderem educar a criança em dois idiomas, entretanto, é recomendável que o aprendizado também aconteça na escola, com o apoio de profissionais formados para lidar com os desafios da educação da educação bilíngue.

A passagem para a educação multilingual

Para que a criança aprenda dois idiomas de maneira bem natural, aproveitando ao máximo sua capacidade de absorção (que, até certa idade, é consideravelmente aumentada), o ideal é começar o quanto antes. Mesmo assim, jovens que entram em contato com outra língua já na pré-adolescência conseguem acompanhar seus colegas sem dificuldades. E quanto mais forem aprendendo, mais facilidade terão para adquirir novos idiomas.

Mesmo assim, o indicado é não sobrecarregar seu filho com as línguas estrangeiras. Deixe que ele se consolide em cada uma aos poucos antes de introduzir uma nova. Dessa maneira, ele ganha confiança em sua própria capacidade e tem menos chances de se esquecer de uma língua enquanto aprende outra. A educação multilingual pode ir acontecendo, então, junto com o desenvolvimento natural da criança, transformando-a em poliglota sem que sequer sinta que está se esforçando para tal.

Com o português entre os idiomas mais falados do mundo, é certo que seu filho já iniciará bem seu caminho no mundo globalizado. Contudo, quanto mais abertura e habilidade ele tiver para adquirir novas línguas e, com elas, novas ideias, novas tradições e novas culturas, mais sucesso terá em seu futuro.

E então, gostou do nosso post? Então aproveite e conheça também nosso artigo com 11 dicas para introduzir seu filho no mundo da leitura. Assim você pode estimular o pequeno a ler em todos os idiomas que vier a dominar!

 

Comentários

comentários