Por que o planejamento estratégico de uma escola é importante para os pais?

Por que o planejamento estratégico de uma escola é importante para os pais?

Uma grande instituição de ensino é aquela que fornece aos alunos a formação necessária para eles alcançarem seus sonhos, estarem preparados para as cobranças do presente e do futuro, e vencerem os desafios que se colocarem diante deles. E para articular todos os fatores necessários para conseguir isso, o planejamento estratégico pode ser uma ferramenta fundamental.

Uma instituição educacional precisa de aprimoramento constante de forma a conseguir estar sempre alinhada às necessidades, linguagens e exigências que se apresentam tanto por parte dos alunos quanto dos pais e do próprio mercado que cobra da instituição em si e dos alunos em particular — afinal, são os resultados deles nesse ambiente que referendarão a qualidade da instituição.

O planejamento descreve detalhadamente um plano de ação que visa objetivos e metas. É por meio dele que se gerenciam, planejam e executam as ações. A realidade da escola é refletida no planejamento, que deve traçar as mudanças necessárias para atingir um novo e mais elevado patamar de funcionamento.

A importância de um bom planejamento estratégico

Muitas vezes, o planejamento estratégico é algo que não está no campo de preocupação dos pais pois se apresenta nos “bastidores” do ensino. Quase não se trata disso em sala de aula e também não se cobra um assunto desses nas provas e vestibulares. Contudo, ele é justamente o alicerce no qual se assentam os bons (ou maus, no caso da sua ausência) resultados da instituição e, consequentemente, dos seus estudantes.

Atualização constante garante os melhores resultados

Uma boa escola é aquela que garante os melhores resultados de desempenho dos alunos. É isso que os pais esperam ao escolher uma instituição na qual matricular seus filhos. Para os pais, o planejamento estratégico é extremamente importante porque garante, por exemplo, que a instituição se mantenha atualizada e, com isso, ministre um ensino altamente relevante para os estudantes.

Dessa forma, a escola se transforma ao longo do tempo, se adaptando às novas demandas educacionais, culturais e sociais, implantando as mais modernas tecnologias e garantindo ao aluno a atualização permanente. A palavra de ordem é inovação constante. Com isso, os pais sabem que seus filhos estão inseridos em um contexto de extrema relevância educacional.

Ensino permanente de excelência

O planejamento também garante que a escola se perpetue no mercado, alcance cada vez uma excelência maior e transfira isso aos alunos. Sendo assim, os pais sabem que seus filhos não terão uma interrupção no modelo e ambiente de ensino. Em algumas instituições de ensino um estudante ingressa bebê e sai um vestibulando, sem sobressaltos, sem interrupções.

Outro fator de enorme relevância para os pais é o custo. Com um bom planejamento, é possível manter a escola permanentemente atualizada em termos tecnológicos e pedagógicos, sem promover elevações bruscas nos valores das mensalidades, permitindo aos pais saberem aproximadamente o aumento dos valores ao longo do tempo.

O bom planejamento é a base que permitirá tudo isso, pois possibilitará de um lado realizar um grande, minucioso e real diagnóstico da instituição e, em seguida, definir as metas que se quer atingir, sempre promovendo melhorias e realinhamentos ao longo do tempo.

Algumas etapas do planejamento

Um bom planejamento possui passos que podem ser seguidos para garantir o melhor resultado. Dessa forma, nada ficará para trás e não serão esquecidos elementos essenciais. Em geral, é o gestor escolar que deve ter a iniciativa e coordenar as ações do planejamento. Veja quais são os alguns passos que podem ser seguidos:

Realizar um diagnóstico

Podem ser utilizados questionários, realizadas entrevistas e utilizados documentos junto à comunidade escolar, para fazer um amplo levantamento com os envolvidos sobre as atividades da escola. Compreender o cenário em que a escola se insere, entendendo as necessidades e expectativas da comunidade escolar será o ponto de partida para estrutura do planejamento.

Identificar as oportunidades de melhoria

Com base nas respostas e no diagnóstico concretizado, já é possível identificar as principais queixas sobre a instituição de ensino, os pontos que precisam ser melhorados e as possíveis inovações que a escola precisará buscar para crescer e atender as diferentes vozes.

Compreender as informações sobre a realidade da escola

Como é possível verificar, ouvir as pessoas que compõem a comunidade escolar é tarefa essencial para se realizar o mais preciso diagnóstico possível. Evite acreditar que se sabe tudo sobre a escola. É na posição de alguém efetivamente interessado em ouvir e entender as demandas que reside a melhor atitude para elaborar um diagnóstico real.

Para isso, deve ser feita uma ampla pesquisa sobre o contexto de cada problema que foi elencado, bem como os aspectos culturais e sociais neles implicados. Estatísticas são excelentes fontes de informação, pois apoiam os gestores na percepção da realidade da escola e na promoção do melhoramento contínuo de rotinas e práticas pedagógicas.

Definir o cenário futuro

Agora que o diagnóstico está em mãos, as oportunidades de melhoria foram identificadas e adequadamente entendidas em seus cenários culturais e sociais, é hora de definir o cenário que se pretende atingir.

Planejar as metas, ações e medidas

Agora, já se sabe “onde se está” e “onde se quer chegar” está na hora, portanto, de definir os objetivos e as metas que se quer alcançar, e descrever detalhadamente as ações que precisam ser adotadas pra atingi-los e as medidas necessárias, criando um conjunto de indicadores que permitirão perceber a evolução e o melhoramento contínuo das ações. É essencial que tudo seja realizável, factível. Nada de propor algo que não se pode fazer.

É necessário, após todas as fases, estabelecer as metas para cada uma das áreas que influenciam o dia a dia da instituição. Entram na lista as gestões:

  • administrativa;
  • financeira;
  • pedagógica;
  • de infraestrutura;
  • de relacionamento (com a comunidade e com os alunos); e
  • de resultados.

Todas as áreas são importantes e devem ser pensadas sistemicamente. Os pais devem ter a mais absoluta convicção de que o investimento que fazem na formação de seus filhos vale a pena e se reflete no aprimoramento da qualidade da instituição em todos os aspectos.

Avaliar, monitorar e melhorar o planejamento

Depois de construída as metas, as ações e as medidas em diferentes áreas que influenciam o cotidiano da instituição, é preciso fazer a avaliação periódica e acompanhar os resultados.

É possível que em ciclos de melhoramento menores a escola consiga fazer ajustes nas ações, corrigir rotas e promover o melhoramento contínuo de cada área.

O cuidado com as metas pedagógicas e as formas de entrega às famílias são essenciais, pois garantirão a efetivação das matriculas, a fidelização dos alunos, a satisfação da comunidade escolar e a aprovação dos alunos em avaliações externas.

Gestão participativa e transparente

O gestor escolar pode evitar centralizar absolutamente todas as decisões em suas mãos. Uma gestão democrática, com a participação da comunidade escolar nos assuntos que lhes são pertinentes, pode gerar resultados surpreendentes e extremamente satisfatórios.

gestão participativa permite que pais, alunos, professores, funcionários e outros personagens importantes da escola, apresentem pontos de vista, sugestões e soluções para as mais diversas questões que se apresentam.

Compartilhar informações, tirar dúvidas de pais, alunos, docentes e funcionários e prestar contas sobre a gestão, é uma excelente forma de dar a todos a exata pertinência e importância do planejamento estratégico e coletar informações e sugestões para o redirecionamento de ações e esforços.

Se você gostou deste artigo, assine a nossa newsletter e receba textos importantes como este em primeira mão.