Por que levar em conta a metodologia de ensino no ensino superior?

Por que levar em conta a metodologia de ensino no ensino superior?

Quando o ensino médio é finalizado, é normal aparecerem as dúvidas com relação à carreira que se pretende exercer. Além desses questionamentos, a escolha da universidade também é algo a levar em consideração, pois muitas vezes a instituição tem boa reputação, mas não combina com o seu perfil. Por essa razão, um dos critérios utilizados para escolher a universidade é o de pesquisar sobre a metodologia de ensino no ensino superior.

Nesse artigo serão levantados os critérios que envolvem a abordagem dessa metodologia para facilitar a sua escolha da instituição seguindo esse parâmetro. Continue a leitura!

Preparação para o mercado de trabalho

Uma instituição de ensino superior que realmente investe na formação de seus alunos deve prepará-los muito bem para o mercado de trabalho.

O que se observa em algumas universidades é o fato de que o conhecimento é transmitido de forma muito teórica, sem realizar atividades que estimulem o desenvolvimento de competências.

No sentido de que os estudantes tenham esse preparo completo para atuação nas organizações depois de terminar o curso superior, é preciso alinhar a teoria com a prática. Dessa forma, é importante realizar trabalhos em equipes, apresentação de projetos, desafios que simulem a realidade profissional dentro das empresas.

Existem instituições que não incentivam os estudantes a apresentar soluções viáveis para problemas que possam aparecer dentro de um projeto. Apenas focam as disciplinas de forma conteudista, somente solicitando a realização de pequenas atividades e provas.

Uma boa universidade precisa levar em consideração que seu objetivo é formar jovens para seguir uma carreira de sucesso. E uma das formas de conseguir chegar a esse objetivo é levando as experiências do mercado de trabalho aos estudantes.

Corpo docente qualificado

Outro critério dentro de uma metodologia de ensino no ensino superior que você deve considerar, é o de que a instituição deve ter professores qualificados e atualizados. Dentro de todo o cenário no qual se destaca a era da informação e das novas tecnologias, os docentes precisam estar preparados para esses avanços.

Para que um professor possa ministrar aulas em uma universidade, é preciso que tenha, no mínimo, curso de mestrado. Mas há instituições que não fazem essa exigência no momento da seleção dos profissionais que vão compor seu corpo docente. Pós-graduações, como o mestrado e o doutorado preparam o profissional para ser um pesquisador, uma pessoa qualificada para desenvolver estudos avançados em uma determinada área.

As universidades devem incentivar os professores a adquirirem cada vez mais formação e conhecimento. Uma das maneiras de selecionar uma instituição de ensino superior é a de pesquisar se seu corpo docente é composto por professores mestres e doutores.

Além dessa formação acadêmica, é importante que você procure saber também se o docente tem experiência em empresas na profissão na qual é formado, para que possa alinhar seu conhecimento teórico com a prática. Um profissional capacitado somente consegue transmitir o dia a dia de uma profissão se realmente vivenciou essa experiência.

Com relação ao regime de trabalho dentro da universidade, é necessário que uma boa parte dos docentes realizem suas atividades em tempo integral. Isso é importante porque, além da possibilidade de trabalhar melhor com pesquisas científicas, você poderá contar com a presença desses professores em salas para tirar dúvidas sobre os conteúdos das disciplinas.

Sistema de ensino inovador

Pode-se afirmar que o sistema de ensino não evoluiu muito dos últimos anos para cá. Os assuntos das disciplinas ainda são abordados de forma tradicional, causando desinteresse por parte dos estudantes. Os jovens que pretendem entrar em uma universidade já têm conhecimento sobre essa falha educacional, pois realizaram recentemente as provas do ENEM

Uma das maneiras de  você selecionar a instituição para cursar a graduação é averiguar se ela possui um sistema de ensino inovador. A maioria dos jovens são atuantes nas redes sociais e têm habilidades com a nova onda tecnológica.

Por essa razão, uma das formas de inovar no ensino é utilizar alguns aplicativos digitais para incentivar os alunos a aprender.

Uma instituição inovadora não tem somente aulas expositivas, mas sim trabalhos práticos e em equipe, nas quais os protagonistas são os estudantes. Os professores devem dar as bases, o caminho, para que depois você consiga prossiguir por meio de roteiros de estudos.

Existem cursos que, nos anos iniciais, as abordagens são focadas nas disciplinas básicas, para depois entrar nas específicas. Mesmo nesses conteúdos fundamentais, é possível seguir roteiros interdisciplinares para estimular seu pensamento crítico e a pesquisa contextualizada.

Os projetos de extensão também são grandes oportunidades de inovar em uma universidade. Esses projetos são focados em trabalhos para além da academia, nos quais os estudantes interagem com a comunidade, permitindo que seus atores participem ativamente, envolvendo os alunos com a realidade local.

A inovação pode se expressar também na postura do professor em sala de aula. Como exemplo pode-se citar a semana de provas, na qual os alunos atingem grande nível de preocupação e estresse. Cabe ao professor conversar com seus alunos, para que eles encarem essa semana apenas como uma avaliação do que foi transmitido até então, e não focar apenas em notas boas ou ruins.

O sistema de ter uma semana de provas também pode ser modificado, podendo ser substituído por atividades avaliativas no decorrer da disciplina.

Flexibilidade dentro de uma metodologia de ensino no ensino superior

Para que haja um projeto de ensino inovador, um dos critérios é o de que a instituição tenha uma metodologia flexível. Essa flexibilidade já pode ser percebida nos critérios de seleção para conseguir uma vaga na universidade, como provas específicas, foco na redação, utilização da nota do ENEM, entre outros.

Existe a necessidade de ter espaço para que o aluno experimente coisas novas, por isso necessário verificar a estrutura e instâncias capazes de dar condições flexíveis para iniciar e manter um processo de inovação no ensino.

Universidades muito tradicionais e rígidas com relação à execução de tarefas e abordagem têm dificuldades em implantar um sistema de educação flexível.

Uma outra forma de garantir a flexibilidade, é a possibilidade de os estudantes escolherem algumas disciplinas que desejam cursar, compondo eles mesmos suas próprias grades horárias.

Mais uma maneira de averiguar se uma instituição flexível, é a de se informar se ela proporciona aos alunos a possibilidade de agendar as provas, dentro de um prazo determinado.

Algumas modalidades de ensino, como o Ead, permitem esse agendamento, mas ele também pode ser aplicado nas modalidades presenciais e semipresenciais. Dessa forma, os estudantes realizam as provas dentro do seu tempo e de sua agenda.

Considerando o que foi apresentado, confirma-se a importância de fazer uma pesquisa para saber como é o sistema de ensino das instituições que você pretende fazer seu curso superior. Essa busca pela metodologia de ensino no ensino superior mais adequada aos seus interesses pode evitar que você desista do curso posteriormente.

Gostou do conteúdo desse post? Se deseja saber mais sobre como este, siga-nos em nossa rede social!