O que é ensino híbrido e quais são os benefícios para as crianças?

O que é ensino híbrido e quais são os benefícios para as crianças?

A tecnologia está impactando positivamente todos os setores da vida humana. E na educação não é diferente. Um dos maiores avanços no setor é o ensino híbrido, que tem a capacidade de potencializar a relação ensino-aprendizagem e tornar o aluno o autor da sua história acadêmica, dando a ele autonomia e garantindo seu relacionamento interpessoal.

Você quer saber mais sobre essa modalidade de ensino que está demonstrando ser extremamente eficaz? Então continue a ler este artigo e saiba mais sobre o tema, que pode mudar a sua visão sobre a integração entre o ambiente on-line e off-line.

O que é o ensino híbrido?

Trata-se de um modelo de educação que integra, mesclando, o ensino on-line e o ensino off-line (ou presencial). Mas acima de tudo, esse modelo deve ser visto como um processo contínuo de ensino, e não duas formas separadas, distintas e totalmente diferentes.

Com essa inter-relação, o que há de melhor em cada um dos ambientes é aproveitado, potencializando a experiência educativa do aluno e tornando-a mais significativa e eficiente.

Afinal, uma geração que já nasce conectada à internet quer ter à mão essa tecnologia, mas não pode prescindir da relação interpessoal com seus colegas e professores, o que é essencial para desenvolver a noção de comunidade, promover o amadurecimento emocional da criança e aumentar sua criatividade.

Quais são as vantagens dessa metodologia?

A principal e mais notória vantagem do ensino híbrido é justamente permitir que o estudante tenha flexibilidade de ambiente e horário para estudar, mas também tenha o contato físico com seus colegas de sala e professores.

Quando estiver em sala (ensino presencial), o aluno deverá atender às estratégias educacionais propostas pelos seus professores. Ou seja, ele vivenciará a disciplina e o relacionamento interpessoal. Quando estiver em seu ambiente virtual (especialmente criado para que ele desenvolva as atividades e pesquisas propostas), ele terá controle sobre os elementos que compõe a rotina de estudos convencional, como tempo, local e ritmo.

A grande vantagem do ambiente virtual é dar ao estudante a responsabilidade de cumprir tarefas com a autonomia de escolher e tomar suas próprias decisões acerca de alguns componentes dos estudos.

Em alguns momentos, o aluno pode escolher estudar no laboratório de informática, em seu quarto, na sala de sua casa, ou mesmo na biblioteca da escola. Para isso, utilizará instrumentos como o celular, o tablet ou o computador. Com isso, ele adquire maior capacidade de coordenar as tarefas do dia a dia e aprimorar a sua disciplina, tendo um rendimento superior.

Nos momentos de estudo presencial, realizados dentro da escola, o aluno se relacionará com os professores fisicamente, bem como com seus colegas de sala. Os estudos podem ser desenvolvidos em grupo ou individualmente. O importante no ensino híbrido é entender que os dois momentos, on-line e off-line, se complementam, não sendo, como já dissemos, separados.

Qual é o papel do professor e do aluno nesse método?

Como a tecnologia é um elemento essencial nessa modalidade de ensino, educadores e estudantes devem ter excelentes habilidades para lidar com ela, o que é algo extremamente comum nos dias atuais, afinal, todos têm celulares, tablets e computadores, e passam boa parte do tempo interagindo com esses equipamentos.

Os educadores precisam pensar a correta organização da sala de aula. A simples utilização da organização tradicional não é recomendada e sequer efetiva. Além disso, eles devem elaborar um plano pedagógico totalmente voltados para o ensino híbrido, o que é essencial para garantir a plena utilização de todos os recursos possíveis. O próprio tempo em sala de aula e na escola precisam ser repensados e redimensionados.

Existem diversas estratégias que os professores aplicam, como a Flipped Classroom, em que os estudantes recebem os conteúdos da aula antes mesmo do momento presencial em sala de aula, iniciando o processo do aprendizado em casa, através de estudos e desafios estrategicamente propostos pelo professor.

Em sala, o professor cria dinâmicas de grupo e promove o debate entre os alunos, aprofundando os conteúdos.

Outra estratégia é Challenge Based Learning, em que os alunos desafiam a si mesmos. Nesse processo, eles recebem os conteúdos das disciplinas e trabalham sobre esses dados, enquanto os professores atuam refinando, fortalecendo e complexificando os desafios propostos. Com isso, os estudantes desenvolvem novas competências e habilidades.

O uso da gamificação para incentivar o aprendizado também pode ser uma das estratégias propostas.

E qual a influência do ensino híbrido no grau de aprendizagem?

Podemos dizer que a influência é enorme, uma vez que ele tem a capacidade de se ajustar à velocidade de aprendizagem dos estudantes, bem como lançar mão de recursos que as aulas tradicionais (somente presenciais) não possuem, ou que exploram pouco, como, por exemplo, jogos interativos, vídeos que podem ser vistos várias vezes até o conteúdo ser entendido, e momentos presenciais, em que o aluno pode tirar suas últimas dúvidas com os professores.

Quais são os modelos mais utilizados de ensino híbrido e como é possível aplicar na escola?

O ensino híbrido pode ser explorado de várias formas, em vários modelos. Abaixo, vamos listar e falar um pouco dos mais usuais e efetivos.

Sala de aula invertida

Na sala de aula invertida, a teoria de uma disciplina é estudada em casa, no ambiente virtual. Já o ambiente físico da escola é utilizado para a realização de atividades, discussões e dinâmicas de grupo.

Como o estudante já teve contato com a matéria em casa, ele terá um desempenho muito superior em sala, quando os professores utilizarão o tempo disponível para aprofundar e esclarecer conceitos e promover debates.

Depois da aula, os alunos podem, ainda, ser convidados a aprofundar ainda mais os conteúdos estudados, pesquisando em livros, na web ou em outros meios.

Rotação de laboratório

Nesse modelo, a sala de aula é dividida em dois grupos. Uma parte dos alunos ficará, por um período, incumbido de realizar tarefas no ambiente virtual (por isso, o laboratório de informática será muito utilizado). Enquanto isso, o outro grupo fará suas atividades no ambiente off-line (sala de aula, laboratório de ciências, ou local de educação física). Depois, os grupos invertem seus locais.

Rotação por estações

Aqui, a sala de aula é dividida em estações, e ao menos uma delas deve ter atividades on-line, com ferramentas conectadas à internet. Após um tempo pré-estipulado, os alunos devem rodar entre as estações, que precisam ter atividades independentes umas das outras.

Rotação individual

Nesse modelo, o professor estabelece um roteiro específico para cada aluno, de forma que o estudante passe pelas estações que sejam mais pertinentes aos seus interesses ou supra suas dificuldades.

Como você pode perceber, o ensino híbrido utiliza diversos recursos de forma a potencializar a experiência educativa do aluno, tornando-o protagonista de seu sucesso acadêmico. Além disso, é um formato que favorece o desenvolvimento da autonomia e da capacidade de tomada de decisões.

Muito interessante esse tema, não é? Se você quiser ficar inteirado sobre mais conteúdos como este, curta a nossa página no Facebook e receba-os diretamente no seu feed de notícias!