Mochila escolar: dicas para levar em consideração na escolha

Mochila escolar: dicas para levar em consideração na escolha

A imagem é comovente: na porta das escolas, diversas crianças correm para encontrar seus grupos, antecipar as brincadeiras do recreio, conversar e, por vezes, fugir dos intimidadores acenos e beijos de despedida dos pais. Nas costas, muitas vezes, as mochilas são desproporcionais, fazendo com que as crianças ganhem uma silhueta engraçadinha. Mas o que parece uma brincadeira agora pode causar consequências irreversíveis no futuro.

É que para carregar mochilas de tamanho e peso desproporcional para a altura, as crianças fazem um grande esforço, por vezes ficando até curvadas para suportar.  E a bolsa, que deveria estar ajudando o dia a dia da criança, passará a ser lembrada, no futuro, como uma das maiores responsáveis por lesões na coluna. Mas o que fazer para que a mochila escolar recupere a sua função, sem prejudicar a rotina da criança? Confira nossas dicas para escolher e preparar uma verdadeira mochila escolar “ajudadora” para seu filho!  

Quais são os danos causados pelo mau uso da mochila escolar?  

Na maioria das vezes, a mochila das crianças ganha um peso extra pelo fato de as crianças e os pais não saberem arrumar a mochila de forma prática, acrescentando ali itens desnecessários. Especialmente para quem está em fase de crescimento, a mochila pesada pode provocar alterações posturais, problemas na coluna lombar e dores. 

Segundo um estudo publicado no Archives of Disease in Chilhood, ao avaliar o peso das mochilas e a saúde da coluna de 1.403 alunos com idades entre 12 e 17 anos na Espanha, mais de 60% dos alunos estava carregando um peso superior a 10% do seu peso corporal. Um a cada quatro alunos alegava sofrer com dores nas costas por mais de 15 dias. A escoliose era a principal responsável por essas dores, representando 70% dos casos. Nos 30% restantes, dores lombares ou contraturas, bem como contrações musculares involuntárias contínuas, eram responsáveis por incômodos nas costas. Uma boa parte das lesões eram causadas por negligências de longo prazo. Daí a importância de os pais conferirem a mochila dos filhos todos os dias.

Caso tenha uma balança em casa, confira o peso da mochila de seu filho. Ela não deve ultrapassar 10% do peso da criança. Observe o que seu filho coloca na mochila, o que é requerido pela escola e retire o que for desnecessário. Brinquedos e casacos extras podem dar certo alívio aos pais, mas se eles estão apenas cumprindo funções decorativas, é preciso retirá-los dali! 

Verifique também se o seu filho está carregando a mochila de maneira certa: a mochila deve ser usada nos dois ombros, e as alças não devem ficar frouxas, mas simétricas. Uma dica é observar se a mochila está a cerca de 5cm da linha da cintura. Ela nunca deve ficar em cima do bumbum. 

Ao arrumar os materiais na mochila, coloque os objetos pesados e volumosos, como livros, próximo das costas e na vertical. 

Qual é o modelo de mochila ideal para o dia a dia da escola?

Apesar de ter uma série de critérios para a manutenção da saúde de seu filho, escolher uma mochila escolar de acordo com as recomendações da Ortopedia não é uma missão impossível. Confira o que separamos para você! 

Verifique se o tamanho e o peso da mochila são ideais para a estatura da criança. O ideal é que, quando a mochila estiver vazia, ela não pese mais de meio quilo. 

Observe também se as alças e as costas são acolchoadas, de forma a se adaptar bem ao corpo do usuário. As alças devem ter pelo menos 4 centímetros de largura na região dos ombros. Além disso, elas também não devem roçar no pescoço, característica de alças muito juntas, o cair pelos ombros, o que ocorre quando as alças estão muito afastadas. 

Os modelos com cinto abdominal ajudam a equilibrar o peso da mochila, fazendo com que a criança não tensione o corpo para frente ou para trás, já que o peso é compartilhado entre os ombros e a zona lombar. 

Bolsos e compartimentos ajudam a organizar melhor o material escolar. A garrafinha de água deve sair de casa apenas com a quantidade de líquido para satisfazer a sede da criança durante o trajeto para a escola. Se a escola da criança oferece aulas de natação, ballet ou judô, observe se a mochila oferece um compartimento para guardar os uniformes extras.  

As mochilas com rodinhas são ideais para crianças que precisam carregar mais peso, poupando o esforço na coluna. As rodinhas facilitam a locomoção e ajudam a aliviar a carga da mochila. Este modelo apenas apresenta dificuldades para quem precisa enfrentar muitos obstáculos, como escadas, que obrigam o usuário a carregar a mochila. Fique atento se a alça da mochila  fica na altura do quadril da criança. Desta forma, ela não precisa se inclinar ou tensionar o corpo para o lado ao carregar a bolsa.

E não é por ser de rodinhas que a mochila pode sair por aí com peso extra! Também no caso da mochila de carrinho, a recomendação é que ela tenha até 10% do peso da criança.  

A mochila tradicional é recomendada a partir dos 6 anos de idade e é uma das mais práticas, já que permite que o peso da mochila fique equilibrado sobre os dois ombros. Ainda assim, ela não deve ficar muito pesada, já que assim ela pode causar lesões na coluna da criança.  Exigem especial atenção para que a criança não tome o hábito de usá-las em apenas um dos ombros. 

Já a mochila transversal pede especial atenção. Também conhecida como “bolsa carteiro”, ela não é ideal para carregar muitos materiais escolares, já que, por ficar apenas de um lado,pode causar danos ao ombro da criança. O modelo pode ser adquirido para uso em dias esporádicos, nos quais a criança não precisa carregar muitos livros e cadernos. 

Qual é a relação entre a mochila escolar e a idade da criança/adolescente? 

A idade de seu filho tem uma influência direta sobre o tipo de mochila ideal. No maternal, por exemplo, seu filho não precisará de uma bolsa grande, já que a maioria dos materiais escolares é oferecida pela creche e ele precisa apenas de uma muda de roupas e de utensílios para higiene e alimentação. 

Entre os 4 e 5 anos, a criança pode levar uma lancheira, bem mais leve. Assim, ela divide o peso entre as mãos e as costas. O ideal que é a mochila de rodinhas seja utilizada até os 12 ou 13 anos. A mochila de costas é liberada a partir dos 6 anos, desde que a criança não carregue muito peso. 

Caso a escola esteja pedindo muitos materiais para a rotina de estudos, entre em contato com a coordenação da escola e veja o que pode ser feito. Os livros didáticos, por exemplo, podem ser escaneados em lidos em fotocópias ou no tablet. Já materiais pesados podem ser armazenados em escaninhos. 

Após ler todas estas dicas, quando você partir para as comprar a mochila, leve a criança para que ela possa experimentar o modelo e dar a própria avaliação sobre o conforto.  

Se você ainda tem dúvidas ou deseja trocar experiências sobre a escolha da mochila escolar, dê a sua contribuição na nossa sessão de comentários abaixo! 

Comentários

comentários