Intercâmbio High School: como preparar o filho para essa experiência?

Intercâmbio High School: como preparar o filho para essa experiência?

Estudar fora do País faz com que o jovem adquira experiência, se torne mais independente e tenha a tão solicitada proficiência em inglês.  Você sabia que não é mais preciso esperar seu filho entrar na universidade para poder vivenciar essa possibilidade? Os estudos no exterior podem ser realizados durante o ensino médio, por meio de um intercâmbio High School.

Esse programa tem o objetivo de proporcionar uma experiência fantástica em outro país para jovens de 14 a 19 anos, que terão aulas das disciplinas do ensino médio no idioma local durante um ou dois semestres. Para que essa oportunidade seja vivenciada da melhor forma possível, é necessário muito preparo e organização, tanto por parte dos pais quanto dos filhos. 

Neste artigo, serão apresentadas dicas de como fazer isso com eficiência. Confira!

1. Estabeleça um tempo de duração

O intercâmbio High School pode ter duração de seis meses a 1 ano. Esse tempo deve ser decidido pelo estudante junto a seus pais, analisando os objetivos de se participar do programa.

Se o objetivo de estudar no exterior é ter um primeiro contato com outro país, fazer algumas disciplinas e aprimorar um pouco mais a língua estrangeira, o período de seis meses pode ser suficiente.

Já se o objetivo é vivenciar uma experiência mais completa, ter tempo para se adaptar ao país, se adequar à rotina longe da família e dos amigos e adquirir fluência no idioma, o melhor é fazer o intercâmbio de 1 ano.

A escolha depende de cada caso e, principalmente, do que você espera que esse período no exterior proporcione ao seu filho. O importante é que, seja qual for o tempo necessário, tudo seja bem planejado. 

2. Procure por bolsas de estudo para intercâmbio High School

Intercâmbios de ensino médio também oferecem possibilidades de bolsas de estudo. Caso você tenha se assustado com o valor dos gastos, pode optar por procurar oportunidades de garantir essa experiência para seu filho sem gastar muito.

Existem programas de diferentes organizações que oferecem bolsas de estudo para High School — alguns inclusive arcam com 100% do valor. É o caso do AFS e do Jovens Embaixadores.

Algumas agências também realizam processos seletivos com o intuito de auxiliar o período de estudos no exterior. Fique atento!

3. Procure vagas com antecedência

O intercâmbio é um investimento para a vida acadêmica e profissional do seu filho.

Por essa razão, tudo precisa ser bem planejado. A partir do momento em que se opta por estudar no exterior, deve-se iniciar a pesquisa sobre o país de interesse e as oportunidades de vagas.

A procura por vagas em uma escola estrangeira precisa ser feita com, no mínimo, seis meses de antecedência. A própria instituição brasileira na qual o aluno está matriculado pode auxiliar nessa pesquisa.

Outra opção é contar com a ajuda de empresas especializadas em intercâmbio.

4. Procure sua acomodação/hospedagem

Estabelecendo o tempo de duração é importante saber sobre as formas de moradia porque isso pode influenciar no seu planejamento financeiro e impactar na fluência e sistematização do uso da língua.

Selecionamos algumas formas de acomodação para melhor ajuda-lo:

Homestay

O programa “Casa de Família”- Homestay, é uma das opções que mais gera procuras quando se pensa em acomodação em outro país. Os estudantes quando estão passando por esta etapa, já estão cientes dos benefícios que este programa pode acrescentar em seu projeto.
Seu filho irá fazer parte de uma família, aprenderá todos os dias sobre a cultura local do país, comidas típicas, atividades inovadoras, amigos novos, lugares inéditos. Todas essas experiências serão vividas por ele e sua nova família. Algumas agências tem esses pacotes completos para oferecer, sem se preocupar com toda a parte da procura, um grande benefício caso não tenha tempo para pesquisas.

Sharehouse

Muito dos intercambistas deixam seu país engajados neste programa.
Atualmente, está cada vez mais fácil encontrar lugares para morar/dividir. Nas redes sociais existem muitos grupos/comunidades de pessoas que estão compartilhando da mesma situação. Além de ter um custo menor, este programa proporciona o convívio com outras culturas, hábitos novos e muito conhecimento. 

Campus

Várias escolas oferecem acomodação em suas próprias dependências. Nesse caso, a acomodação está localizada na própria escola ou universidade. Uma opção interessante para autonomia, fluência e o custo benefício do campus agrada muitas famílias.

5. Organize a documentação o quanto antes

É importante listar todos os documentos necessários para regularizar a situação do intercambista. Além da documentação pessoal, visto e comprovante de matrícula no ensino médio, também são indispensáveis os documentos para a hospedagem.

Por exemplo, há estudantes que ficam hospedados em casas de famílias cadastradas no programa, vinculadas às escolas. Para conseguir essa hospedagem, é preciso preencher a documentação com informações sobre o perfil do jovem e enviar às famílias. 

6. Considere os prós e os contras

É fato que a experiência de um intercâmbio High School dará uma guinada na vida estudantil e na futura profissão do seu filho. No entanto, mesmo com os pontos positivos já levantados, muitos pais ficam apreensivos com a possibilidade de o jovem ficar um tempo morando no exterior, longe de casa.

Por essa razão, é necessário pesar os prós e os contras para que a decisão seja a mais acertada possível. Pensando de forma positiva, com o intercâmbio, seu filho vai adquirir independência, proficiência em uma língua estrangeira, conhecer outras pessoas que tenham os mesmos objetivos e ter contato com culturas diferentes.

Mesmo com esses pontos a favor, analise como você vai se sentir ao deixar seu filho tendo que se organizar sozinho. A preocupação em demasia e a necessidade de sempre estar em contato são fatores que indicam despreparo dos pais diante da ausência temporária do filho. Portanto, reflita bastante antes de tomar a decisão.

7. Deixe os filhos cientes dos gastos

Os pais precisam ter em mente que a experiência de um intercâmbio High School gera gastos — que compensam, quando se faz a análise de quanto esse investimento será oportuno para seus filhos.

No entanto, é importante deixar também o legado da consciência econômica. Por essa razão, o jovem deve ficar a par dos gastos relacionados ao intercâmbio, para valorizar as despesas.

Os custos variam bastante, dependendo do país, ficando entre US$ 4 mil e US$ 78 mil. Você pode estar achando os valores altos demais, porém faça o seguinte cálculo: coloque no papel os gastos mensais com seu filho e compare com as despesas do intercâmbio. Às vezes, os custos podem até ser iguais ou ter uma diferença pequena. Procure também por bolsas, como mencionado anteriormente.

8. Planeje a volta ao país

Tudo bem, seu filho conseguiu a vaga para fazer o intercâmbio dos sonhos, praticar um novo idioma, conquistar um cerificado de uma escola de renome. Mas como fazer esse investimento valer a pena? 

Antes de tudo, é preciso focar nos objetivos do estudante ao querer cursar parte do ensino médio no exterior. Se a ideia for a de fazer as disciplinas e depois voltar mais preparado para os vestibulares mais concorridos e nas melhores universidades brasileiras, o melhor é fazer o intercâmbio quando o estudante estiver no primeiro ou no segundo ano do ensino médio.

Caso o desejo for o de emendar o High School com o curso superior fora do país, é importante que o jovem esteja no segundo ano. Dessa forma, dá tempo para ele pensar se é isso que realmente quer e, então, fazer o processo seletivo para o curso e universidade escolhida.

9. Pesquise formas de validar o diploma

É possível e relevante aproveitar as disciplinas cursadas no exterior e essa possibilidade também precisa ser vista antes de viajar.

Para saber como validar as matérias, recomenda-se procurar informações na escola em que o jovem estuda no Brasil e estar atento às recomendações. Vale lembrar que o órgão responsável por informações oficiais é a Secretaria de Educação de cada Estado.

Com exceção da Argentina e do Japão, que não concedem o histórico escolar, os demais países permitem validar tudo o que foi estudado no intercâmbio. Ainda assim, para evitar problemas, é preciso estar atento à burocracia e toda a documentação exigida.

O intercâmbio High School fornece uma experiência para toda a vida. É um momento relacionado às oportunidades de amadurecimento, fazendo com que o estudante seja colocado à prova e possa adquirir mais independência. Também pode ser a porta de entrada para conseguir ingressar nas melhores universidades.

Gostou do artigo? Se quiser saber mais sobre o tema, baixe o nosso guia para preparar seu filho para um intercâmbio e continue recebendo dicas para enfrentar essa nova experiência em família.