Estresse com o vestibular: 7 dicas para garantir a aprovação sem perder a cabeça

Estresse com o vestibular: 7 dicas para garantir a aprovação sem perder a cabeça

Acredite: nós entendemos o que você está passando! Até outro dia, sua maior preocupação era conseguir uma vaga na equipe de natação ou garantir boas notas no primeiro semestre para ficar mais tranquilo no fim do ano — agora tudo mudou.

De repente, é preciso escolher a carreira a seguir e, para alcançar esse objetivo, abandonar a vida normal para estudar feito louco. A sensação é que você foi arremessado para o mundo adulto e nem tinha plaquinha de boas-vindas. Acertamos? É. Você está sofrendo de estresse com o vestibular!

Mas estamos aqui para lhe assegurar que passar por essa fase não é um monstro tão verde e assustador assim. Claro que, nem de longe, alcançar uma boa nota nos exames para um curso superior não será tão fácil quanto um estalar de dedos. Afinal, você não é Thanos e nem tem a manopla do infinito — entendeu a referência?

Mas, com uma dose de organização, é possível ser aprovado sem perder a cabeça. Para isso, separamos 7 dicas. Confira!

1. Crie uma rotina de estudos sem exageros

Estudar 24 horas por dia, 7 dias por semana é humanamente impossível. Em situações de estresse, tendemos a pintar o problema maior do que realmente é, gerando um pânico que nos deixa paralisados. Para minimizar essa sensação, a primeira coisa a fazer é organizar a agenda.

Vamos supor que você estuda pela manhã. Organize seus horários a partir do momento que deixa o colégio. Marque o tempo de almoço, descanso, e comece o cronograma de estudos a partir das 15h.

Divida blocos de 50 minutos, com 10 de descanso, até 19h. Depois disso, programe-se para as outras atividades do seu dia. Não deixe de reservar espaço no sábado também! Nesse dia, priorize conteúdos mais tranquilos, como atualidades, redação etc.

Sua rotina também deve levar em conta seu espaço de estudo. Ele precisa ser confortável e tranquilo. Aparelhos com acesso à internet, a não ser que sejam fundamentais para o aprendizado de um conteúdo, devem ficar do lado de fora. A música o ajuda a relaxar e se concentrar, vale um Spotify de vez em quando!

Agora, se o espaço é dividido com seu irmão ou se toda hora alguém o chama para perguntar alguma coisa, não pense duas vezes! Procure um lugar para chamar de seu — pode ser a biblioteca ou outra sala disponível em sua própria escola ou uma cafeteria tranquila.

2. Faça mapas mentais

Sabe aquela sensação de branco? Parece que nenhum conteúdo se fixa na parede da sua memória? O estresse pode ser o responsável por isso também. É que ele faz seu corpo liberar o cortisol, um hormônio que ataca o hipocampo e destrói as células que atuam na recuperação de lembranças.

Esse efeito negativo pode ser eliminado com uma série de atitudes saudáveis (falaremos melhor sobre isso mais adiante), mas nesse tópico vamos dar a grande dica para ajudá-lo a apreender melhor os conteúdos que serão importantes na prova: produzir mapas mentais!

Já ouviu falar nessa técnica? Não? Há uma grande chance de você já ter feito um mapa mental intuitivamente sem nem ao menos perceber do que se tratava! Pegue uma folha em branco (se for A3, melhor ainda!).

Escreva no centro do papel o tema — 2ª Guerra Mundial, por exemplo. Agora, trace setas para diferentes espaços com subtemas (causas, consequências, fases, principais personagens e ideologias envolvidas). Desenvolva cada um desses itens em tópicos, da forma mais sucinta que possa compreender.

Vale desenhar, usar canetas de cores diferentes e fazer recortes — dê vazão à sua criatividade nesse processo! Tenha certeza de que, enquanto realiza essa atividade, seu cérebro está fazendo uma série de associações que vão ajudá-lo a se lembrar do conteúdo estudado.

O resultado é muito bacana e pode até ficar na parede do quarto por um tempo. Você vai perceber que, quando passar os olhos por um mapa mental, as lembranças vão brotar da sua cabeça.

3. Pratique uma atividade física

Praticar esportes é uma ótima forma não só de aliviar o estresse com o vestibular, mas também para prevenção de doenças! Ele ajuda a fortalecer suas defesas, oxigena o corpo e incentiva a produção de serotonina, o hormônio do bem-estar. Todo esse processo, promovido pela atividade física, traz mais energia para o seu corpo!

Não estamos falando aqui daquele treino pesado para entrar para o time de futebol americano que acontece todos os dias, a não ser que seu objetivo seja uma universidade no exterior e esteja pensando em um programa para atletas. O ideal é que seu tempo para os esportes aconteça 3 vezes por semana durante 50 minutos até 1 hora.

4. Tenha uma alimentação saudável

A tentação de beliscar uma batata chips ler as matérias cobradas é enorme, sabemos disso! Mas manter uma alimentação saudável também ajuda a dar aquela turbinada nos estudos. Uma pesquisa realizada pela Universidade de Goldsmiths, em Londres, mostrou que o consumo de fast-foods prejudica o desenvolvimento cerebral, reduzindo o quociente de inteligência (QI).

Converse com sua família para que haja alimentos saudáveis em casa, especialmente frutas e cereais. Faça todas as refeições e inclua bastante cor no seu prato.

Aproveite os benefícios do ferro e potássio (presente nas carnes, verduras escuras, banana, tomate, entre outros) para ajudar a repor as energias. Também é interessante investir em alimentos ricos em ácido fólico (beterraba, brócolis, amendoim, frutas cítricas e oleaginosas). Ele ajuda no crescimento e regeneração celular além de combater a depressão.

5. Durma bem

Muitas pessoas encaram o tempo de sono como um desperdício. Caso você tenha a intenção é virar a noite estudando, tenha certeza de uma coisa: está fazendo tudo errado! Enquanto dormimos, nosso cérebro continua trabalhando. É nesse momento que ele absorve tudo o que foi aprendido durante o dia.

Tempo e qualidade de sono também são fundamentais! Para ficar com a mente descansada, um adolescente precisa, em média, de 8 horas de sono por dia. Caso esse período de descanso também não seja profundo, apenas 10% do conhecimento obtido será aproveitado pela memória.

Por isso, valorize o momento de dormir! Desligue qualquer aparelho que emita luz, evite alimentos pesados ou bebidas estimulantes e tenha uma boa noite.

6. Separe tempo para a diversão

Então, você nem chegou a assistir ao último filme da Marvel por que só tem tempo para os estudos? Mal sabia que o Sr. Tony Stark também pode te dar um empurrãozinho para conquistar sua vaga em um curso superior. Tanto quanto a atividade física, o tempo de diversão é importantíssimo para a sua saúde mental.

Não gosta de cinema? Leia um livro, jogue seus games, dê uma volta com o crush. Para que esse tempo seja na medida certa, volte à sua agenda e reserve um horário especial para o ócio! Seu corpo e sua mente agradecem.

7. Compartilhe seu estresse com o vestibular

Cultivar sofrimento sozinho só traz prejuízo! É um momento difícil e seus pais e amigos podem não se darem conta de que estão colocando ainda mais pressão nas suas costas. Não tenha vergonha de falar sobre o que sente! Muitas vezes, uma simples conversa pode resolver 99% do estresse com o vestibular que você tem vivido.

Esteja aberto a ser ajudado e receber ideias de outros pontos de vista. Aproveite para começar agora e compartilhe este post nas redes sociais! Certamente, muitos dos seus amigos estão passando pela mesma situação e precisam dessas dicas!