Escola infantil: checklist para escolher a melhor opção para seu filho

Escola infantil: checklist para escolher a melhor opção para seu filho

Talvez seja o momento inevitável da separação — depois dos 9 meses de espera e da licença maternidade, é preciso voltar para a rotina. Ou, então, bateu aquele medo de tirar o bebê de casa, você contratou uma babá, mas o tempo passou e parece ser inevitável mandá-lo para uma escola.

Antes que a angústia tome conta do seu coração, vamos tranquilizá-la: essa é a coisa certa a se fazer! Mas como escolher escola infantil?

Neste post, vamos lhe mostrar porque é tão importante a vivência da escola nessa fase de desenvolvimento. Em seguida, para ajudá-la na tarefa de encontrar o colégio ideal, faremos um checklist com os itens a serem avaliados.

Por que o maternal é coisa séria para a educação dos pequenos?

É louvável o impulso de deixar o trabalho, mudar radicalmente de vida e se dedicar à criança. Mas o preço a ser pago por essa decisão pode não ter o resultado desejado. Além do fator financeiro e pessoal, há que se pensar no que isso representa para o seu filho em termos de formação.

O fato é que mesmo que você seja graduada em pedagogia, com especialização em educação infantil, não seria capaz de reproduzir todas as vivências que uma escola pode oferecer.

Ao frequentar outro espaço, a criança começa a compreender que é parte de algo maior, no qual o adulto não pode dedicar 100% de atenção a ele porque existem outras crianças, com as quais ele aprende a compartilhar, administrar conflitos e desenvolver laços de amizade.

No livro “Educação Infantil: pra que te quero?”, a autora Maria Isabel Edelweiss Bujes explica que a educação infantil nasceu não somente da necessidade da mãe sair de casa para trabalhar, mas também do desenvolvimento do pensamento pedagógico moderno, que passou a dar maior destaque à primeira infância.

Nesse aspecto, adicionou-se ao cuidado (que são as atividades primárias de sono, alimentação e higiene) a educação.

“A criança vive um momento fecundo, em que a interação com as pessoas e as coisas do mundo vai levando-a a atribuir significados àquilo que a cerca. Esse processo que faz com que a criança passe a participar de uma experiência cultural, que é própria de seu grupo social, é o que chamamos de educação”, explica Edelweiss Bujes.

Com esses argumentos, possivelmente você já chegou à conclusão de que passar a primeira infância dentro de casa não é a opção que vai proporcionar o melhor desenvolvimento para o seu filho. Mas como escolher uma escola infantil realmente confiável? É o que veremos no próximo tópico.

Como escolher escola infantil?

No momento de avaliar onde seu filho vai passar boa parte do dia, o instinto maternal conta, mas também é preciso somar outros fatores a serem levados em consideração para garantir que a instituição escolhida seja de fato a melhor opção. A primeira providência é fazer uma seleção de escolas e agendar uma visita e uma conversa com o orientador pedagógico.

Para que essa avaliação seja eficaz, listamos os 7 itens principais que devem fazer parte de seus critérios na hora da decisão. Eles envolvem elementos a serem observados e pontos que precisam fazer parte de sua conversa com o orientador. Confira!

1. Ambiente

É possível que sua sirene maternal acenda caso algo esteja muito errado no espaço oferecido pela escola: cheiro de mofo, iluminação precária, escadas e janelas sem proteção. Mas por vezes deixamos passar alguns detalhes que não estão tão evidentes. Por isso, não permita que o passeio pela escola seja apressado! Leve o tempo que precisar para observar o ambiente.

Confira se há boa ventilação nas salas e se sua composição é propensa ao acúmulo de sujeira (móveis, brinquedos, tapetes e cortinas). Os espaços de brincar devem ser adequados para cada faixa etária e os banheiros adaptados com pias e vasos sanitários para os pequenos.

Verifique, também, o trocador (se o seu filho ainda usar fraldas), suas condições de higienização e como os materiais individuais das crianças são guardados.

2. Segurança

Esteja atenta não somente à presença de câmeras, sensores, porteiros e controle de entrada e saída de pessoas. Verifique a existência de extintores, saídas de emergência e planos de evacuação em caso de incêndio — pergunte, também, se a escola tem o alvará de funcionamento do corpo de bombeiros.

3. Linha pedagógica

É interessante fazer uma pesquisa prévia sobre as linhas metodológicas de ensino para não cair em possíveis floreios que o orientador pedagógico possa fazer.

Para verificar se o profissional sabe mesmo do que está falando, procure fazer perguntas práticas do tipo: “Que conteúdos meu filho vai aprender?”, “Como vocês estimulam o processo de aprendizado”, “Que tipo de atividades são oferecidas ao longo do dia?”, “Como é o tempo dedicado às brincadeiras?”.

4. Atividades oferecidas

As atividades oferecidas às crianças também dizem muito sobre a forma como a escola se compromete a estimular os pequenos. Normalmente, são ofertadas aulas de artes plásticas, música, educação física, além das tradicionais (motricidade, elementos da matemática, língua e literatura).

Algumas instituições vão além e disponibilizam aos seus alunos outras práticas, como horta, culinária, teatro, línguas e artes marciais. 

5. Agenda

Se o seu filho ainda não fala, é muito importante verificar como acontece a comunicação da escola com os pais. Geralmente, a própria instituição oferece uma agenda na qual são marcadas observações básicas de alimentação, higiene e desenvolvimento. Além desse sistema, muitas instituições têm adotado aplicativos para celular.

6. Turnos disponíveis

Se você trabalha 8 horas e não tem com quem deixar seu filho no restante do dia, precisa avaliar seriamente o funcionamento do turno integral. Ao contrário do que muita gente pensa, possibilitar a permanência da criança em ambiente escolar durante todo o dia é uma oportunidade de incrementar seu desenvolvimento de forma sadia.

7. Experiência da escola

Apesar de aquele colégio que abriu na rua onde você mora parecer ser um lugar bacana, com brinquedos novinhos e com uma proposta pedagógica interessante, não subestime o peso da experiência.

Escolas que têm mais tempo de mercado já passaram por várias tentativas-erro, encontraram sua identidade e possuem resultados comprovados. Além disso, instituições experientes costumam investir mais em professores capacitados e infraestrutura adequada.

Com este checklist, você já possui as ferramentas necessárias para escolher a escola infantil mais adequada para o seu filho! Quer mais informações sobre educação e desenvolvimento pedagógico de crianças e adolescentes? Então, assine nossa newsletter!