Escola forte: o que os pais precisam saber antes da matrícula

Escola forte: o que os pais precisam saber antes da matrícula

A concepção do que é uma escola forte mudou bastante. Será que realmente uma escola de qualidade é aquela que faz o aluno decorar mais conteúdo? E, com isso, chegando ao ponto de muitos pais precisarem investir em um professor explicador para conseguir atender à demanda de algumas instituições?

A educação está em transformação constante e o advento da tecnologia modificou muito a forma de ensino tradicional. Isso porque os aparatos tecnológicos possibilitaram o acesso mais fácil à informação. Logo, a forma de adquirir conhecimento foi modificada e tornou-se cada vez mais instantânea.

Acompanhando o movimento de inovação educacional, o conceito de escola forte também foi modificado. Entenda mais sobre a ideia de educação de excelência e o que deve ser avaliado antes de fazer a matrícula em uma instituição.

A visão antiga de escola forte

Há alguns anos, para o aluno realizar uma pesquisa escolar era preciso ir à biblioteca. Nisso, com a ajuda dos pais, o estudante precisava ler vários livros e copiar a matéria à mão. Contudo, para a escola de hoje, esse fato parece muito distante.

A matéria que será pesquisada está disponível em diversos sites, bastando realizar uma pequena busca na internet. E, com isso, é muito comum o uso da tecnologia na sala de aula e também nos momentos de realizar os trabalhos extras em casa.

A ideia de que escola forte é aquela que passa mais matéria não atende mais às necessidades da nova geração. O estudante que realiza com sucesso as provas de vestibular já não é aquele que decora nomes e datas à exaustão.

Para o novo aluno, não basta apenas achar uma resposta pronta ou seguir um padrão predeterminado. O jovem de hoje tem contato com diversas culturas e com pessoas de várias partes do mundo. Os acontecimentos em outros países chegam a ele com uma velocidade impressionante. Esse aluno não quer repetir um conteúdo, ele busca entender o fato.

O aluno forte para os vestibulares

Os vestibulares buscam verificar a capacidade de reflexão e análise crítica dos estudantes. Isso é visto, por exemplo, no formato que a redação é pedida. É necessário fazer um trabalho dissertativo-argumentativo. Ou seja, é preciso discorrer sobre assuntos e, também, saber argumentar e jogar o ponto de vista questionador sobre o tema.

Isso é visto em toda a prova do Enem. O aluno forte é aquele que sabe relacionar fatos de uma maneira interdisciplinar e também avaliar aquela problemática sob o prisma de um cidadão consciente do seu meio social.

A educação mudou e cada vez mais os educadores buscam formar sujeitos pensantes. A escola forte do passado, quando o aluno era apenas um receptor do conhecimento, não se aplica ao contexto do século XXI.

Uma educação forte é aquela que coloca os estudantes no centro do processo e valoriza cada avanço individual. O conceito de assimilar a matéria apenas decorando o que o professor ensina está cada vez mais ficando para trás. Dessa maneira, a educação vanguardista motiva um ensino personalizado.

A escola forte quer alunos felizes

A geração contemporânea busca aprendizados além dos que podem ser encontrados e copiados do livro didático. O aluno de hoje necessita de desafios e questões nos quais sejam utilizadas a capacidade lógica e a criatividade durante a resolução.

E é isso que as instituições verdadeiramente fortes estimulam. Trazendo a experiência de 50 anos no mundo educacional, o Grupo SEB criou a Escola Concept. Com ela, vem um método de ensino inovador, tendo como base as escolas de excelência em diversos países.

A Escola Concept propõe um modelo de educação autônoma e uma forma de ensino vanguardista. Logo, a preocupação está em formar cidadãos analíticos que possam ser atuantes na sociedade. Alunos que consigam ser participantes e protagonistas no seu processo de aprendizagem.

A educação contemporânea busca o aluno atuante e engajado em sala de aula. Com um conteúdo que desperte seu interesse, esse estudante pode ser lapidado ao seu potencial máximo. Dessa maneira, é levado a ser mais realizado e feliz dentro da escola. E, indo além, também pode ser melhor preparado para o seu futuro.

O aluno do ensino vanguardista

O aluno que aprecia o processo de aprendizagem e participa ativamente da construção do saber desenvolve maior autoconfiança. Ao perceber que está sendo um cientista do conhecimento e não apenas um receptáculo para temáticas prontas, acaba sendo mais responsável por si mesmo ao aprender. Com isso, focando na independência emocional dos estudantes.

Assim, ele desenvolve mais autoconfiança e responsabilidade. Participando de um ambiente que estimule seus potenciais, o estudante consegue ser cada vez mais ele mesmo. Logo, pode alcançar excelentes resultados na vida prática e no desenvolvimento educacional. 

Isso significa que em uma proposta, além de desenvolver as competências cognitivas, os alunos vivenciam situações que favorecem o desenvolvimento de competências socioemocionais também, tão importantes no cenário do século XXI.

Grupos que trabalham com as novas tendências para a educação, como a Escola Concept, buscam um ensino verdadeiramente forte. Ou seja, a educação que é voltada para as habilidades e talentos dos seus alunos.

Uma escola de qualidade tem como valores a educação transformadora. Nesse modelo, o aluno não é submetido a uma carga de estresse desnecessária, mas sim a um modelo que o faça refletir e questionar. Com isso, alguns pontos são destacados como:

  • aprendizagem personalizada;

  • bilinguismo;

  • foco em resultados;

  • preparação para exames de vestibular, como o Enem.

A educação voltada para o estudante

Um sistema de ensino que coloca o aluno no centro do processo de aprendizagem é o fator determinante para ser considerado antes da matrícula. Dessa maneira, uma tendência pedagógica explorada atualmente é a educação personalizada.

A orientação individualizada consegue entender que os estudantes não são um grupo homogêneo. Cada um possui talentos, dificuldades, bagagem cultural e interesses distintos. Logo, os alunos apresentam um ritmo de aprendizagem diferente que deve ser levado em conta.

Ao atribuir autonomia à aprendizagem, as habilidades de organização, atenção e motivação acabam sendo estimuladas na classe. Dessa forma, os docentes convidam cada aluno a ser crítico e refletir sobre o conteúdo aprendido.

Logo, para avaliar se a educação é de fato voltada para os estudantes, ela deve apresentar as seguintes características:

  • ser direcionada para o contexto dos alunos;

  • oferecer aulas dinâmicas;

  • observar o modelo de aprendizagem individual;

  • focar na rotina de cada estudante;

  • estimular a participação em sala de aula;

  • possibilitar avanço ou recuo no programa de estudos.

O que considerar antes da matrícula

A fim de apresentar uma educação de qualidade para os estudantes, é preciso ir além da escola conteudista. Não basta apenas exigir que os alunos decorem temas do material didático apenas para manter datas e nomes em mente.

Uma escola forte apresenta um ensino focado no estudante, com uma aprendizagem personalizada. Assim, proporciona uma educação voltada para a obtenção dos melhores resultados em provas como o vestibular. Essas avaliações geralmente cobram do aluno o pensamento crítico e criativo, que está muito além da matéria meramente decorada.

Gostou de entender mais sobre a verdadeira escola forte? Para saber mais sobre o novo conceito de educação da Escola Concept, não deixe de entrar em contato conosco.