Escola bilíngue para bebês: 5 razões para matricular seu filho em uma

Escola bilíngue para bebês: 5 razões para matricular seu filho em uma

Se você tem filhos em idade escolar, provavelmente já se perguntou sobre o melhor momento para incentivar o aprendizado de uma língua estrangeira, não é mesmo? Pois você não está sozinho! Essa é uma questão que costuma afligir vários pais pelo mundo afora. Por mais que você saiba que o domínio de uma segunda língua é importante em qualquer fase da vida, na hora de tomar uma decisão envolvendo a família sempre bate aquela preocupação extra. Mas e então, será que colocar meu filho em uma escola bilíngue para bebês não vai atrapalhar a alfabetização e o aprendizado do próprio português? E essa dúvida realmente é muito comum, afinal, o mito de que ensinar 2 idiomas pode confundir bebês e crianças persistiu por muitos anos.

Felizmente, porém, esse equívoco já foi mais que esclarecido! Tanto que, atualmente, aprender uma língua estrangeira ainda na primeira infância é visto com bons olhos por especialistas em comportamento infantil. Aliás, principalmente nos Estados Unidos, muitas pesquisas sobre esse tema vêm sendo desenvolvidas há anos para comprovar que o bilinguismo desde cedo pode favorecer o desenvolvimento das crianças. Que tal abrir as portas do mundo para seu filho ao matriculá-lo em uma escola bilíngue desde bebê? Confira por que você deve fazer esse investimento:

As pesquisas sobre o bilinguismo

Na verdade, essa ideia de que aprender 2 idiomas ao mesmo tempo poderia confundir bebês e crianças não é totalmente sem fundamento. Isso porque quando uma criança se comunica em um determinado idioma, seu cérebro não anula a outra língua que também conhece. Ou seja, se uma criança brasileira entra ainda bebê para uma escola bilíngue que também alfabetiza em inglês, quando se comunicar em português, o cérebro não desativará completamente o inglês.

Essa condição do cérebro pode, de fato, causar certa interferência nos sistemas responsáveis pela alfabetização e comunicação. Mas se antes isso era visto como um problema, hoje já é considerado um benefício! Para os cientistas, essa interferência acaba obrigando o cérebro a resolver o conflito interno causado pela comunicação em diferentes idiomas, o que funciona como um excelente exercício cognitivo que será aplicado a outras situações da vida da criança.

Uma pesquisa recente divulgada pelo Instituto de Ciências do Cérebro e Aprendizagem da Universidade de Washington, nos Estados Unidos, mostrou que o bilinguismo não é uma vantagem só para os adultos. Com apenas 11 meses de idade, quando começam a dizer as primeiras palavras, os bebês bilíngues estimulam partes do cérebro que os monolíngues (aqueles que falam apenas um idioma) não costumam ativar — como a percepção e a diferenciação de sons de idiomas diferentes.

Então nada de ficar com receio de colocar seu filho em uma escola bilíngue, ok? A alfabetização bilíngue só tem a contribuir para o desenvolvimento da criança, aprimorando sua inteligência e capacitando seu cérebro para lidar com situações adversas em qualquer fase da vida.

As vantagens da escola bilíngue

Para você não ter mais dúvidas sobre colocar ou não o seu filho em uma escola bilíngue ainda na primeira infância, listamos aqui algumas das principais vantagens que o aprendizado de 2 línguas traz para os bebês. Então vamos lá?

Melhora a função executiva do cérebro

Esse é um dos benefícios mais importantes que seu filho vai desenvolver ao iniciar logo cedo em uma escola bilíngue. Lembrando que a função executiva é responsável por diversas atividades do nosso cérebro, que vão desde a resolução de problemas e conflitos, passando pelo planejamento até chegar à concentração e à atenção.

Os bebês bilíngues são considerados mais cognitivamente flexíveis que as crianças monolíngues, sabia? Traduzindo: ao aprenderem simultaneamente 2 línguas, o cérebro dos bebês se torna capaz de executar mais de uma tarefa ao mesmo tempo. E tudo isso contribui para que a criança mantenha o foco, dispersando e se distraindo menos, bem como conseguindo mudar a atenção de uma coisa para outra sem perder ou esquecer informações. Crianças bilíngues também são mais eficientes que as monolíngues na hora de tomar decisões ou solucionar problemas lógicos.

Aumenta o vocabulário e a capacidade cognitiva

Não há dúvidas de que ser alfabetizado em 2 línguas ao mesmo tempo aumenta o leque de palavras no vocabulário de qualquer criança. Ainda bebês, elas já conseguem compreender que existem palavras diferentes para um mesmo objeto e também já são capazes de diferenciar em qual idioma devem se comunicar com cada pessoa e em diferentes contextos.

Além disso, durante os primeiros meses de vida é que o cérebro se desenvolve mais rapidamente, usando os estímulos do ambiente para realizar as conexões neuronais responsáveis pelo aprendizado. Por esse motivo, você deve estimular bastante seu filho quando pequeno. E nada melhor que aprender um segundo idioma para ampliar a capacidade cognitiva do cérebro, não acha?

Amplia a abertura para a variabilidade de sons

Como cada língua possui uma fonética diferente, os sons e as entonações mudam bastante de um idioma para o outro. Algumas pesquisas que têm como foco principal a compreensão de como a audição molda o cérebro no começo da vida mostram as vantagens do bilinguismo para a abertura do cérebro em relação a diferentes sons. Dados coletados constataram que bebês monolíngues conseguiam diferenciar sons de diferentes idiomas até os 6 meses de vida. Porém, entre os 10 e 12 meses, essa capacidade diminuía a ponto de passarem a diferenciar apenas os sons do idioma aprendido em casa.

Já com os bebês bilíngues acontecia o contrário: entre os 6 e 9 meses de idade as crianças não conseguiam diferenciar os sons, mas dos 10 aos 12 meses passavam não só a identificar como também a diferenciar os sons de idiomas diferentes. Esses resultados mostram que o aprendizado simultâneo de 2 línguas ainda nos primeiros meses de vida adia o estreitamento de percepção do cérebro, permitindo que compreenda outros sons que não apenas os de um idioma.

Aumenta a capacidade de monitorar o ambiente

Começar a se comunicar desde cedo em diferentes línguas exige que a criança perceba quando tem que mudar o idioma — principalmente aqueles que vivem em ambientes bilíngues, onde conversam com o pai em uma língua e com a mãe em outra, por exemplo. Essa necessidade de perceber e diferenciar o ambiente permite à criança bilíngue controlar melhor as mudanças a seu redor. E pode acreditar: isso costuma exigir menos esforço do cérebro na hora de perceber e monitorar o ambiente.

Prolonga a capacidade de aprendizagem do cérebro

Você já deve ter ouvido falar que a capacidade de aprendizado das crianças é bem maior nos primeiros anos de vida, certo? Essa é inclusive uma das principais justificativas para o aprendizado de um novo idioma: é muito mais fácil aprender uma língua nova na infância. Pois essa informação é mesmo verdadeira!

A capacidade de aprender um novo idioma começa a desaparecer depois do primeiro ano de vida. Mas calma, porque nada está perdido! Se seu filho começar a aprender uma nova língua antes disso, esse período de aprendizagem será prolongado. E a melhor parte é que isso não acontece somente em relação a um novo idioma. Já está mais que comprovado que o cérebro de uma criança bilíngue permanece aberto para todo tipo de aprendizado por muito mais tempo!

Deu para perceber que não tem como errar colocando seu filho em uma escola bilíngue para bebês, não é verdade? Além de ser uma ótima maneira de estimular o aprendizado nos primeiros anos, essa experiência refletirá positivamente em todas as fases da vida do seu pequeno. O segredo está em conhecer bem essa forma de ensino e escolher a escola bilíngue mais adequada ao perfil do seu filho e ao tipo de educação que você deseja oferecer a ele. Pronto para pesquisar?

Quer ficar por dentro de mais dicas e informações sobre educação e bilinguismo? Então não deixe de assinar nossa newsletter!

 

Comentários

comentários