Entenda a importância da família na educação integral

Entenda a importância da família na educação integral

Com a alta competitividade presente nos dias atuais, a qual exige tanto dos indivíduos, a preocupação com a educação dos filhos surge cada vez mais cedo. Muitas vezes, antes mesmo da gravidez, pais e mães já imaginam e idealizam o tipo de instituição de ensino em que pretendem matricular os seus pequenos. Essa postura é excelente, já que a importância da família na escola é muito grande.

Sabemos que mesmo com a abundância de informações disponíveis, especialmente na internet e nas redes sociais, ainda há muita gente que acredita que para proporcionar uma boa base educacional para as crianças e para os adolescentes, basta escolher uma escola adequada e, de preferência, que ofereça ensino em tempo integral. Mas não é bem assim.

A seguir, vamos ver a razão pela qual apenas isso não basta. Educação integral vai muito além de passar a manhã e a tarde em sala de aula. Especialmente nessa modalidade de ensino, na qual as crianças e os jovens ficam o dia inteiro na escola, a participação da família na educação é fundamental e faz tanta diferença na formação quanto a qualidade pedagógica da instituição frequentada.

Sabendo disso, neste texto vamos explorar um pouco mais a importância da família na escola integral e como deve se dar esse processo. Acompanhe para saber mais!

A relação de parceria deve ser maior do que a de prestação de serviço

No contexto das escolas particulares, acaba sendo natural a existência de uma relação de prestação de serviços, com os pais agindo como clientes zelosos de seus direitos como contratantes. Embora esse aspecto da relação não possa ser negligenciado, a “contratação” de uma escola nem sempre faz valer a máxima: “o cliente tem sempre razão”.

É essencial que os pais baixem a guarda e enxerguem os professores e funcionários da instituição escolhida como parceiros e não como simples subordinados. Afinal, mais que uma estrutura física, o que se está contratando é a expertise de profissionais com formação específica e conhecimentos importantes sobre formação de cidadãos.

Pesquisas de instituições como a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) e o Insper confirmam a importância da família na escola. Segundo os dados, atividades simples como auxiliar nas tarefas de casa e comparecer às reuniões de pais podem aumentar as notas dos estudantes em até 15%.

É essencial que os pais estejam cientes disso, procurem se envolver e não deixem os resultados positivos na educação dos filhos somente nas mãos da escola.

As instituições devem envolver a família na educação

Por outro lado, as escolas precisam fazer todos os esforços possíveis para passar e reforçar essa ideia de compartilhamento de responsabilidades. Comunicação e transparência são palavras-chave na construção dessa relação de confiança. Para isso, é imprescindível manter um canal aberto de troca de informações tanto sobre o dia a dia quanto a respeito de excepcionalidades. Abrir as portas periodicamente para os pais, com festas, reuniões e encontros informais, é uma boa maneira de integrá-los à instituição.  

A educação é um processo vivo e em permanente construção. Nesse sentido, o ideal, do ponto de vista da educação integral, é que essa construção ocorra com a colaboração contínua não apenas de alunos, professores e profissionais de educação das escolas, mas também, e fundamentalmente, com a participação ativa dos pais e responsáveis. Apenas assim será possível proporcionar uma ligação entre o que acontece no âmbito escolar e a identidade, o contexto e a vida cotidiana dos alunos. Dessa forma, eles viverão em aprendizado constante, independentemente de estarem em sala de aula.

Há algumas maneiras de a escola promover e incentivar essa participação. Veja algumas delas a seguir.

Reuniões periódicas 

Uma boa forma de incentivar a participação dos pais na educação dos filhos é promovendo reuniões periódicas. Nessas ocasiões, eles podem acompanhar o desempenho dos estudantes. Nossa recomendação é que as reuniões sejam mensais ou, pelo menos, bimestrais. 

É importante a escola não somente promover as reuniões, mas encontrar maneiras de estimular a participação dos pais nesses momentos, destacando que não basta se fazer presente em momentos de entrega de boletins. O acompanhamento precisa ser mais próximo e periódico para trazer resultados positivos.

Também é crucial que os professores sejam francos com os pais e que não apenas apontem as dificuldades do estudante, mas também sugiram alternativas e caminhos para solucionar esses problemas. Assim, a família pode acompanhar o desempenho do aluno de casa. As pesquisas já citadas apontam que com isso a aprendizagem torna-se mais efetiva. 

Atividades de integração entre pais e filhos

Além das reuniões, também é importante oferecer atividades que promovam a integração entre pais e filhos. Mais que acompanhar o desempenho escolar, como é a proposta das reuniões, a ideia é aumentar a proximidade na família. 

Para esse tipo de evento, a nossa sugestão são campeonatos esportivos, gincanas, clubes de leitura, corais e outras atividades artísticas, como grupos de dança ou a montagem esporádica de alguma peça teatral. A escola pode fazer a ação uma vez por semestre, colocando as famílias lado a lado — competindo ou apenas se apresentando juntas. 

Em alguns casos, como o coral, há a possibilidade de permitir que a família também integre o grupo. Desse modo, a participação ocorre durante todo o ano letivo e não somente em alguns momentos, como no caso de campeonatos esportivos. Geralmente, atividades como essas acabam aproximando os participantes, sendo ou não membros da família.

Oportunidade dos pais participarem de momentos importantes 

Dar a possibilidade de os pais participarem de momentos importantes da vida dos filhos também é uma maneira de tornar mais próxima a relação da família. 

Esses momentos podem ser desde almoços — já que estamos falando em educação integral, modalidade na qual os estudantes passam o dia na escola —, até situações como festinhas de aniversário e viagens de estudos. Muitos colégios não possibilitam a entrada dos pais para almoçar com os filhos. Entretanto, na correria do dia a dia, um almoço pode ser uma excelente oportunidade de passar um tempo com a família.

As festinhas de aniversário promovidas na escola também são uma ótima forma de integração, bem como a oportunidade de os pais integrarem o grupo em uma possível viagem de estudos. Por isso, vale a pena verificar se a escola na qual você pretende matricular os seus filhos tem políticas de integração com essa. Elas são bastante importantes e podem fazer a diferença!

As escolas e famílias que compartilham princípios trabalham melhor juntas

A melhor maneira de se garantir uma integração saudável entre família e escola é se certificar de que a instituição escolhida está de acordo com as crenças e os princípios familiares. É claro que sempre haverá diferenças nos detalhes, especialmente no convívio com outras crianças e famílias de origens e histórias distintas, mas o básico precisa ser respeitado.

Para pais que não abrem mão do contato dos filhos com a religião, uma escola laica certamente não suprirá esse anseio. Da mesma maneira, pais ateus ou agnósticos, que não admitem a inclusão de qualquer menção à religião em sala de aula, certamente terão problemas com escolas religiosas.

Quando matriculamos nossos filhos em uma instituição e concordamos com o que ela nos oferece, cumprir as regras informadas não é uma opção. Elas até podem vir a ser questionadas no futuro, mas simplesmente ignorá-las ou descumpri-las não é uma mensagem que desejamos passar para as nossas crianças.

Somente com a proximidade entre os pais e os professores e uma relação de transparência entre todos os envolvidos é que os estudantes poderão estar focados em alcançar bons resultados, como no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e em vestibulares.

Além disso, essa integração também é fundamental para tornar a criança ou o jovem um cidadão com valores semelhantes aos que a família acredita. Você só pode saber quais os princípios estão sendo repassados ao seu filho se conhecer bem o local no qual ele passa boa parte dos seus dias, as pessoas responsáveis pela sua educação e os métodos escolhidos para o repasse de conhecimentos. 

Participar não significa interferir constantemente

Uma das maneiras mais eficazes de participação é demonstrar interesse pelas atividades curriculares e extracurriculares. Porém, como em tudo, a busca pelo equilíbrio é o objetivo dos pais no que diz respeito ao envolvimento na vida escolar dos filhos.

Conversar sempre com as crianças sobre o que acontece em sua rotina, acompanhar atentamente as comunicações de professores e da direção e observar pessoalmente o ambiente de vivência delas, quando houver oportunidade, é essencial para não ignorar aspectos relevantes do processo educacional.  

Entretanto, os pais também precisam preservar o espaço exclusivo de vivência dos filhos, deixando que questões que possam ser resolvidas apenas entre eles e a escola sejam assim concluídas. O auxílio nas tarefas e no estudo também tem um limite. Existe uma grande diferença entre colaborar tirando dúvidas e fazer o trabalho pelo aluno. Acredite: você não quer ser aquele pai que tira satisfação sobre toda nota baixa do filho ou briga com o coleguinha que não emprestou o brinquedo na hora do recreio.

A sintonia entre a escola e a família é muito importante nos momentos críticos

Se no dia a dia as pontes entre casa e escola têm um peso muito grande na busca pelos melhores resultados na educação das crianças e dos adolescentes, nos momentos mais marcantes do desenvolvimento dos alunos, a sintonia e a parceria tornam-se ainda mais fundamentais.

Mudanças de série, trocas de escola e a escolha da carreira ao final do Ensino Médio são alguns exemplos de marcos que devem ser observados atentamente. É aí que o envolvimento da família na educação se torna imprescindível.

Ninguém conhece melhor o aluno que os pais, irmãos e familiares mais próximos. Certamente, eles terão mais facilidade de identificar que algo não vai bem ou algum aspecto precisa de mais atenção.

Da parte da escola, é esperado que ela tenha um conhecimento do aluno que vai além do indivíduo que frequenta as aulas. Cada criança e adolescente tem a sua própria história de vida, sua própria constituição familiar, dramas e vivências pessoais. Entender isso aproxima os educadores das melhores condições de educá-la e prepará-la para uma vida adulta de sucesso.

Grandes resultados são alcançados quando a família participa

Agora que já sabemos a importância da família na escola, vamos abordar os resultados alcançados quando os pais ou familiares responsáveis se envolvem ativamente no processo educativo. 

Mudança de comportamento

Um dos principais resultados alcançados quando a família participa da educação é uma mudança de comportamento no estudante. Sabendo que os pais estão acompanhando de perto o processo, eles tendem a se comportar melhor, já que sentem que serão cobrados também em casa.

Mais do que isso, eles percebem que os pais não aparecem somente na hora da cobrança, mas também nos momentos onde o apoio é necessário. Crianças e adolescentes muitas vezes adotam comportamentos com o objetivo de chamar atenção. Se forem notados sempre, não precisarão fazer isso e se comportarão melhor.

Estudante mais comprometido

Este ponto é um pouco do que abordamos no item anterior, mas que também merece ser destacado. O estudante que percebe o envolvimento da família torna-se mais comprometido. Ele percebe que o seu desempenho não é algo que será benéfico somente para si, mas também para a família e, por isso, tende a se esforçar para orgulhar os pais ou irmãos.

No caso de irmãos, muitas vezes o objetivo dos mais velhos é dar o exemplo para os menores. Em uma família envolvida, esse processo ocorre de maneira mais natural. Portanto, se você quer que o seu filho esteja comprometido com os estudos, mostre que você também está comprometido com ele e com a sua educação.

Melhores notas

Como consequência da mudança de comportamento e do aumento do comprometimento do estudante, as notas melhoram. Afinal, o aluno está prestando mais atenção nas aulas e estudando mais em casa. 

Isso não será bom somente para o desempenho dele no colégio, mas também na busca de aprovação no Enem e em vestibulares. Logo, a importância da família na escola é muito grande e auxilia, inclusive, em momentos decisivos do futuro do jovem, como as tão temidas provas que podem colocá-lo na faculdade.

Sabemos que você se preocupa com os seus filhos e que se envolve no processo educativo deles, desde a escolha do melhor colégio até a participação nas atividades oferecidas pela escola. Contudo, esperamos que esse texto lhe ajude a tornar ainda melhor e mais prazerosa essa relação entre todos os envolvidos: aluno, pais, professores e funcionários. Dessa forma, todo mundo cresce junto e os resultados positivos virão. Você poderá comprovar na sua própria casa os benefícios das pesquisas citadas aqui.

Gostou deste texto? Assine a nossa newsletter e receba outros conteúdos interessantes sobre a importância da família na escola, metodologias de ensino, benefícios da escola integral e vários outros assuntos relacionados à educação.