Entenda a importância da arte para as crianças

Entenda a importância da arte para as crianças

Você se lembra de como é enxergar o mundo pelos olhos de uma criança? Difícil, não é mesmo? Então, vamos começar analisando os adultos, que costumam segmentar suas iniciativas por área — caminhar, escrever, cantar, ver TV, aprender coisas novas, observar a natureza e assim por diante.

Até aí tudo bem, certo? Mas e no mundo infantil, como acontece? Nessa realidade, tudo está conectado, o que faz com que uma atividade seja continuação da outra. A arte surge, então, como uma manifestação natural no universo infantil.

Afinal, não há método a ser seguido, tampouco hierarquia. Nesse cenário, há apenas a vontade e o impulso de expressar percepções ainda em construção.

Já deu para perceber ao menos um pouquinho sobre a importância da arte na educação infantil, certo? Mas como será que ela efetivamente ajuda no desenvolvimento dos pequenos? Confira a seguir nossas considerações sobre o assunto!

A importância da arte para o desenvolvimento infantil

A arte pode ser vista de diversas formas, sendo algo muito amplo, e com isso traz consigo diversas vantagens, principalmente para as crianças que a praticam, seja por meio do desenho, da dança, da invenção de histórias, ou até mesmo do próprio consumo de tudo que foi citado, como na leitura de livros.

Nesse sentido, mostraremos como geralmente a arte passa pela vida de um bebê, e em cada fase mostraremos as vantagens desse saber. Portanto, fique atento, pois logo adiante estão os impactos desse conhecimento para a formação do jovem.

Os rabiscos como prenúncio da escrita

Você já parou para pensar que fazer rabiscos no papel é uma forma de treinar as habilidades que serão necessárias mais tarde, na hora da escrita? Antes de desenvolverem a fala e a escrita, nossos ancestrais também desenhavam sua interpretação do mundo nas paredes das cavernas, está lembrado?

O fato é que cada letra do alfabeto nada mais é que um desenho padronizado. Desenhar, portanto, seja com pincéis, lápis de cor, giz de cera ou até com os próprios dedos, auxiliará na formação de palavras na fase da alfabetização.

Fase essa que é uma das mais importantes na formação do saber da criança, pois ela é basicamente o início de seu aprendizado sobre o mundo, possibilitando que o jovem estimule a criatividade por outros métodos, como a leitura.

E não se esqueça: mesmo depois de alfabetizado, seu filho não só pode como deve ser incentivado a continuar se expressando por meio da arte, ok?

A arte como expressão das emoções

À medida que a criança compreende o funcionamento do mundo, vai buscando mecanismos para se expressar em relação a ele. Obviamente, emoções fazem parte da nossa jornada de vida. O detalhe é que na infância tudo é novo!

Não há, nessa fase, categorizações ou reações automáticas. Quando um bebê sente dor de barriga, chora. Quando ele se sente feliz, sorri. Simples assim. Ao longo do tempo, ele vai adquirindo outros meios de colocar para fora o que sente. E é aí que entram ações como cantarolar, desenhar, pintar, dançar e inventar personagens.

Por meio da arte, a criança comunica sua interpretação da realidade que a cerca e também seu estado emocional, mostrando como ela se sente e como o mundo a afeta, tanto de forma positiva quanto de forma negativa, portanto é bom ficar atento para os sinais que o bebê demonstra, por mais simples que sejam.

A arte como trampolim para a criatividade

Além da capacidade de comunicar sentimentos, a arte também serve como um verdadeiro trampolim para o desenvolvimento da criatividade. As iniciativas artísticas, quaisquer que sejam suas naturezas, têm um papel importante no desenvolvimento intelectual infantil, intelectual infantil, devido às diversas qualidades da prática de atividades artísticas e suas influências na vida do jovem..

Isso porque a expressão artística tem a ver com imaginação, com a capacidade de enxergar o mundo além do óbvio, de pensar fora da caixa e elaborar alternativas para problemas.

Cada rabisco infantil é uma história, possui um contexto, é a demonstração de que o ser humano é predisposto a criar desde a mais tenra idade, com os instrumentos que estiverem à disposição. Por isso, lembre-se: a escola não deve ser o único lugar onde a arte é incentivada e celebrada!

As representações e a sensibilidade

A arte na infância também facilita o reconhecimento que a criança tem de si em relação aos outros. As escolhas de formatos, tamanhos e cores nos desenhos e nas modelagens de massinha, por exemplo, são indicativos de que as informações externas vêm sendo absorvidas e interpretadas de forma completa, por todos os 5 sentidos.

Enquanto cria um personagem com determinadas características, a criança aguça sua sensibilidade e sua capacidade de observação. Quando transpõe as características de alguém ou de algum personagem para o papel, por exemplo, é porque se identifica com outro indivíduo, reconhecendo nele tanto semelhanças como diferenças.

A dança e as limitações do corpo

A dança também é um instrumento poderoso nesse sentido. O ato de dançar permite à criança ter ideias e elaborar conceitos a respeito dos movimentos do corpo, de seus limites e de suas possibilidades, bem como da interação com outras pessoas e com objetos ou ambientes.

Um outro ponto importante de se citar é que a arte ajuda no conhecimento do próprio corpo e suas limitações, ou seja, a pessoa que pratica a dança ou formas de expressão parecidas acabam conhecendo melhor o corpo que possuem, exercitando-o e descobrindo suas limitações, sendo assim a arte nesse aspecto amplia o autoconhecimento que uma pessoa tem de si mesma.

Pense bem: a maioria das atividades de uma criança envolve mobilidade. Há, assim, um acúmulo de energia que deve ser liberado. E a dança funciona como uma válvula de escape para manifestar sentimentos e pensamentos que seu filho ainda não consegue verbalizar.

Vale ressaltar que essa atividade artística fortalece a compreensão da linguagem corporal, da estrutura dos movimentos e da noção de tempo e esforço.

A aprendizagem e as associações

As atividades artísticas funcionam como pequenos estímulos ao desenvolvimento cognitivo infantil, servindo como facilitadores da aprendizagem formal que acontecerá posteriormente, na escola. Cada iniciativa representa um processo de reflexão e planejamento que vai ficando mais complexo a cada ano.

Na prática, o aprendizado do ser humano se dá por meio da associação. Em outras palavras, conectamos conceitos novos a vivências e saberes já adquiridos para formar e absorver conhecimentos.

Assim, se não houver uma base de referência, fica difícil aprender ou memorizar qualquer conteúdo novo. A arte atua nesse sentido: fertiliza o terreno para que a criança consiga associar o que vivencia na escola com o conhecimento e a percepção de mundo que já desenvolveu até então.

A arte e a adoção de uma postura crítica

Muito além dos rabiscos e desenhos, brincar com quebra-cabeças ou bloquinhos de montar, modelar sucata e criar esculturas com barro são atividades que estão relacionadas ao pensamento e à adoção de uma postura crítica em relação à realidade.

Essas ações dão a oportunidade não só de observar o processo de concepção de uma ideia, mas também de materializar esse pensamento com as mãos.

Essas iniciativas fomentam a reflexão e a avaliação do esforço e do resultado. O senso crítico provém do fato de que a criança não assume um papel passivo (como quando assiste a programas de TV), mas passa para o lado da proatividade, pois se dedica a efetivamente criar algo.

Lembrando também que essa proatividade estimula a criança a pensar sobre os assuntos vistos e aprendidos ao longo do dia. E, mesmo com pouca vivência, o jovem é capaz de aprender sobre o mundo ao redor e ter a sua própria interpretação diante do que ele vê, mostrando isso efetivamente em suas demonstrações de arte como o desenho e os personagens que cria.

Mas não precisa quebrar tanto a cabeça, discutiremos muito sobre isso nos próximos tópicos.

A compreensão das diferenças

Para dentro dos desenhos sempre há um significado, podendo ser visto tanto de acordo com o compreendimento que a criança tem com o mundo a sua volta quanto em relação às pessoas próximas dela.

Claro que, muitas vezes, os desenhos e personagens feito pelos jovens se referem aos seus desejos e aos programas e livros que lê. Porém, pode ser visto também que uma das grandes influências que uma pessoa tem, principalmente em suas pinturas e artes no papel, são das pessoas de seu convívio social, representando suas diferenças, qualidades e defeitos na visão do pequeno artista.

Portanto é sempre bom ficar atento no que uma criança anda desenhando, para saber sobre seu humor e como o mundo à sua volta vem influenciando na forma como ela vê as pessoas, mesmo tendo apenas poucos anos de idade.

Vale ressaltar que: a criança geralmente possui uma visão do mundo muito diferente da apresentada pelos adultos, sendo assim, ao se observar uma obra feita por uma criança é necessário que se pense fora da caixa, fora do usual, necessitando que se tenha criatividade e imaginação na hora de interpretar a obra.

As crianças e a percepção do mundo

Toda vez que você perceber seu filho rabiscando em um papel ou até pelas paredes da casa, tenha em mente que ele está exercitando habilidades que facilitarão sua aprendizagem formal mais tarde.

É importante que toda criança tenha acesso aos mais diversos materiais, com diferentes cores e texturas, para que possa criar, se expressar e se entender como ser humano.

A arte é essencial para o amadurecimento cognitivo, pois ajuda a criança não apenas a construir sua percepção de mundo, mas a expressá-la.

A consequência no crescimento

Desse modo, a arte ajudará com que o seu filho tenha um crescimento que, além de saudável, terá sido enriquecedor de diversas formas, estimulando a visão de mundo, criatividade, capacidade de se expressar, formação de um senso crítico e de sua cultura.

O que resultará em um adolescente mais maduro e que reconhecerá facilmente os problemas que o mundo lhe apresentar, podendo resolvê-los da maneira mais simples possível. Passando por cima de muitas dificuldades e vendo a vida de forma mais ampla.

Compreendeu a importância que a arte tem na vida das crianças? Então aproveite para conferir também nosso post sobre os brinquedos e seu papel no desenvolvimento cognitivo e motor infantil!