Cuidar e educar na educação infantil: como escolher a melhor escola?

Cuidar e educar na educação infantil: como escolher a melhor escola?

Chegou a hora de se distanciar um pouquinho do filho e o levar para a escola? Mas se você continua se perguntando se por acaso não é cedo demais ou se fez a escolha certa da instituição de ensino, melhor acompanhar nosso post de hoje! Especialmente se é o primeiro filho ganhando independência, as dúvidas e inseguranças dos pais são ainda maiores, não é mesmo? Mas há um ponto de partida que deixará tudo mais fácil tanto para os pais de primeira viagem como para outros mais experientes, sabia?

O mais seguro é fazer a si mesmo uma pergunta básica: o foco da instituição de educação infantil é cuidar, educar ou ambos? Pois vamos entender um pouco melhor essa diferenciação para que, a partir daí, você veja que não é assim tão difícil escolher a escola certa para seu filho. Pronto? Então acompanhe:

Cuidar e educar na educação infantil

Hoje em dia, há instituições de educação infantil que priorizam os cuidados com a criança, proporcionando, além de carinho e afeto, também higiene e alimentação. São, em geral, ambientes bastante acolhedores e cuidadosos, que criam vínculos fortes entre as próprias crianças assim como entre crianças e professores. Mas a verdade é que, ao focar excessivamente nesse aspecto, deixa-se de lado questões pedagógicas importantes da pré-escola, que vão desde aprender a contar até o estímulo à leitura desde cedo.

Por outro lado, existem também aquelas escolas que dão excessiva importância ao aprendizado de conteúdo a fim de preparar a criança para os próximos anos letivos. Nesse caso, acabam descuidando daquele lado mais humano da educação que os pais esperam encontrar na instituição. Assim, as crianças se familiarizam com lápis e cadernos desde cedo, desenvolvendo atividades de linguagem, Matemática e afins, mas acabam tendo uma relação afetiva um pouco mais distante com a escola.

Como provavelmente nem você nem seu filho querem lidar com esse tipo de polarização na escola onde ele vai estudar, o mais recomendável é procurar um meio-termo. Afinal de contas, por mais que essa seja uma idade muito propícia para iniciar o aprendizado intelectual das crianças, elas também sentem muita falta do colo, do afeto e das brincadeiras. O primeiro critério a ser observado na escolha de uma escola infantil é, portanto, a junção do aprendizado e do afeto no dia a dia. Isso porque quanto mais acolhidas as crianças se sentirem, maior será seu rendimento nas atividades pedagógicas.

Aplicação da proposta pedagógica

Para saber se a proposta educacional da instituição realmente envolve cuidar e educar, é preciso, primeiramente, conhecer tanto a teoria como a prática. Por isso, uma ótima dica para levar em conta quando for fazer aquela visita guiada é: não preste atenção só no que é dito, veja também alguns detalhes que dizem muito sobre a escola, só que sem palavras. Verifique o espaço e como ele é organizado, como são as condições básicas de segurança para as crianças e, claro, o lado humano.

Os murais têm a função exclusiva de comunicação entre os membros da equipe escolar ou boa parte deles é decorada com atividades artísticas das crianças? Esse é também um ótimo indício sobre o foco da instituição. Não tem segredo: quanto mais humanizado for o espaço, maiores são as chances de o cuidado ser o lado privilegiado. Observe também aqueles quadros que ficam espalhados pelas áreas internas. Divulgação de horários, de listas de regras sobre como proceder e outros tipos de comunicado nesse modelo costumam indicar uma preocupação excessiva com o ensino formal.

Já se a exibição de pinturas, desenhos e outras demonstrações da criatividade infantil coexistem com avisos mais práticos, ótimo. Nesse caso, há uma grande chance de a escola equilibrar bem o cuidar e o educar. Então não se esqueça de que o meio-termo costuma ser o mais interessante.

Perfil dos professores da instituição

Faça questão de conversar com o primeiro professor que seu filho terá na vida. Afinal, já parou por um minutinho para pensar na importância desse profissional para a maneira como sua criança vai encarar toda a jornada escolar que vier pela frente? Mas é bom ir além do papo, viu? É mais que válido, por exemplo, avaliar a relação entre os membros da equipe de funcionários da escola, já que a forma com que eles se relacionam uns com os outros pode sim determinar como se relacionarão com os alunos. E o professor, como núcleo do time que efetivamente cuidará do seu filho, está mais que incluído nesse contexto.

Então mantenha o foco no professor! Reserve um tempo para observar como ele se relaciona com os outros profissionais, se parece ser uma pessoa aberta ao diálogo ou se reage negativamente a críticas e sugestões. Ele é afetuoso, calmo e organizado? Pode parecer difícil se atentar a todos esses detalhes em tão pouco tempo, mas há pistas. Veja, por exemplo, a forma como ele fala, sua postura e receptividade no diálogo com os pais. Uma observação atenta pode desvendar muito. Então faça o teste!

Você conhece muito bem seu filho e suas necessidades, certo? Pois não se esqueça de que ele carregará as mesmas demandas para o ambiente escolar. Por isso, tal ambiente deve estar adaptado para lidar com tudo isso. Ensinar a ler e a escrever estão longe de ser as únicas preocupações de qualquer escola! Além das primeiras lições de Matemática e dos primeiros passos no mundo da leitura, a criança em idade pré-escolar precisa de contato, afeto e colo. Você quer que seu filho comece sua vida escolar ali orientado para a construção de uma personalidade sadia, autônoma e feliz, não é verdade? Então faça a escolha certa!

Viu só como escolher uma escola envolvida não só com os cuidados como com a educação infantil não é nenhum bicho de sete cabeças? Já vinha pensando sobre o assunto e todos os detalhes envolvidos na escolha da escola certa para seu filho? Comente aqui e divida suas opiniões conosco! Participe! E aproveite para saber também a partir de quantos anos seu filho pode começar a estudar inglês!