Como meus filhos podem fazer um Ensino Médio que os passe direto no vestibular?

Como meus filhos podem fazer um Ensino Médio que os passe direto no vestibular?

Ao fim do Ensino Fundamental, inicia-se um período muito importante na vida de todo estudante: o Ensino Médio. É durante essa etapa escolar que o aluno passará por momentos decisivos da sua formação estudantil, e que serão essenciais na hora de conquistar uma vaga no Ensino Superior.

Nessa etapa, o desejo dos pais é garantir que seu filho faça um bom Ensino Médio, abrindo portas rumo à universidade. Para muitos, pode parecer impossível ingressar em um bom curso superior sem o suporte de um cursinho preparatório. Porém, com um ensino de qualidade, a aprovação direta no vestibular está a seu alcance.

Acompanhe o post de hoje e saiba como o Ensino Médio pode garantir a aprovação de seu filho no vestibular!

Como entender a dinâmica do vestibular?

Quando o estudante está prestes a concluir o Ensino Médio, surge a grande dúvida: qual curso superior escolher?

Essa decisão, complexa tanto para pais como para filhos, é marcada por questionamentos, momentos de insegurança e incertezas. Nessa fase, além do apoio da família, testes vocacionais podem oferecer um bom suporte aos jovens.

Uma vez decidido, se coloca à frente do estudante um dos maiores desafios de sua vida até o momento: ser aprovado no vestibular para começar seu caminho rumo à carreira desejada. Dependendo do curso de graduação de seu interesse, e também da instituição pretendida, o vestibular pode funcionar de diferentes maneiras, podendo ser extremamente concorrido.

Independentemente da escolha, o momento das provas parece assustador para muitos, se tornando fonte de ansiedade. Porém, não há por quê entrar em pânico: o vestibular pode ser difícil, mas conseguir a aprovação desejada está longe de ser impossível. Entender como funcionam os processos seletivos existentes pode ajudar o aluno a desenvolver estratégias de estudo ainda mais eficientes, permitindo conquistar a vaga no Ensino Superior de modo mais tranquilo, sem tanto desgaste ou estresse.

Destacamos a seguir algumas informações importantes que te ajudarão a compreender melhor a dinâmica do vestibular e que, se conhecidas por seus filhos, poderá auxiliá-los significativamente a obter melhores resultados em qualquer processo seletivo.

Cada instituição tem seu próprio tipo de vestibular

Quando se fala em vestibular, em primeiro lugar, é importante saber que nem toda instituição de Ensino Superior aplica o mesmo tipo de exame para selecionar quais candidatos estão aptos a ingressar em um curso de graduação.

Na grande maioria das instituições de Ensino Superior públicas federais e estaduais brasileiras, por exemplo, o processo seletivo adotado é o SISU (Sistema de Seleção Unificada).

Criado no ano de 2009 pelo Governo Federal, o SISU exige que o candidato que tem por objetivo ingressar em alguma das melhores universidades públicas brasileiras, tenha realizado o ENEM (Exame Nacional do Ensino Médio) no ano anterior. O exame se tornou a base nacional para cálculo das notas e cômputo dos aprovados.

O ENEM é uma prova criada pelo Ministério da Educação (MEC), composta, atualmente, por 180 questões de múltipla escolha e uma redação. Cada uma dessas etapas é realizada em dois dias distintos e exige um tipo diferente de preparo. A parte objetiva do ENEM é composta por quatro provas, cada qual contendo 45 questões, relacionadas às seguintes áreas do conhecimento:

  • Linguagens, Códigos e suas Tecnologias, que inclui questões de língua estrangeira (podendo-se optar por língua inglesa ou língua espanhola), língua portuguesa, educação física e artes;

  • Matemática e suas Tecnologias, que traz perguntas relacionadas aos saberes matemáticos;

  • Ciências humanas e suas Tecnologias, que contempla temas inerentes às áreas de sociologia, filosofia, geografia e história;

  • Ciências da Natureza e suas Tecnologias, que abrange questões sobre biologia, química e física.

A prova do ENEM tem características próprias

A prova do ENEM tem características próprias e se diferencia de outros vestibulares aplicados no país em alguns aspectos. O primeiro deles relaciona-se com a forma pela qual as questões são apresentadas ao estudante. O que se espera é que o aluno não apenas domine os conteúdos especializados de cada uma das disciplinas próprias do Ensino Básico, mas que seja capaz de fazer conexões entre conhecimento e prática. Para testar tais conteúdos e habilidades, o ENEM apresenta muitas questões interdisciplinares, focadas no uso cotidiano das teorias aprendidas.

A segunda característica que diferencia o ENEM de outros processos de seleção é sua metodologia de cálculo dos acertos de cada candidato. A nota final do estudante não é obtida apenas com base nas questões que ele respondeu corretamente, mas sim na Teoria da Resposta ao Item (TRI) que, a partir de uma análise dos padrões de resposta do candidato, é capaz de verificar se o aluno acertou determinada questão por sorte ou se efetivamente sabia a resposta.

Além disso, cabe notar que o ingresso dos alunos nas instituições federais pelo SISU não se dá unicamente com fundamento na média total do ENEM. Algumas instituições costumam atribuir peso diferenciado a cada uma das 4 provas do exame, sendo possível que o aluno obtenha diferentes classificações ao concorrer a vagas em instituições distintas.

E fique atento: nem toda instituição de Ensino Superior exige apenas o ENEM como critério de seleção. Embora o exame possa ser usado para complementar a nota do candidato, algumas grandes instituições particulares e até mesmo públicas, como a UNESP, USP e Unicamp, contam com processos seletivos próprios, cada qual com suas exigências e regras.

As provas de vestibular seguem certos padrões

Cada vestibular tem seu próprio sistema de avaliação e certamente traz, a cada ano, questões novas e imprevisíveis. Porém, isso não quer dizer que não existam padrões. Há uma boa maneira de tentar estimar quais conteúdos serão cobrados e de que maneira eles serão abordados: analisando as provas anteriores.

Quando se trata da preparação para o vestibular, a excelência só é alcançada com a prática. Assim, o primeiro passo para o aluno que quer sair na frente e se preparar muito bem para o dia da prova é, antes de começar a estudar, acessar as provas antigas do vestibular que vai fazer e identificar quais são os temas mais cobrados. Fazendo isso, o aluno saberá de antemão o que costuma ser exigido pela instituição na qual deseja ingressar e conseguirá direcionar melhor os seus estudos.

Provas de habilidades específicas podem ser requisitadas

Em algumas instituições, os vestibulares para determinados cursos, como música, artes cênicas e arquitetura, exigem que o candidato, além das provas teóricas gerais, realize uma prova de habilidades específicas. Essa é maneira que as instituições encontraram para verificar se o aluno não apenas tem interesse na área pretendida, mas se já possui certas aptidões e conhecimentos básicos relacionados à carreira na qual quer ingressar.

Para não ser pego de surpresa, é preciso ficar atento ao edital do vestibular, verificando se o curso escolhido exige alguma prova de habilidades e como ela ocorrerá. Se o candidato não apresenta absolutamente a menor intimidade com a área para a qual candidatou-se, tem grandes chances de ser reprovado na prova específica. Por isso, o ideal é preparar-se com bastante antecedência.

Como saber se a escola que seu filho estuda é boa para o ENEM?

Nesse ponto você já deve saber que, para quem pretende ingressar no Ensino Superior, o ENEM é uma prova que merece muita atenção. O exame, além de servir como processo avaliativo para diversas instituições de ensino superior públicas, é também porta de entrada para o FIES (Fundo de Financiamento ao Estudante) e para o ProUni (Programa Universidade para Todos).

Isso significa que, ao longo de sua formação no Ensino Básico, principalmente durante todo o Ensino Médio, é relevante que o estudante tenha acesso a uma educação que esteja alinhada com as exigências do ENEM, o que aumentará suas chances de obter sucesso na prova sem que precise passar por um cursinho preparatório.

Agora, provavelmente, você deve estar se perguntando: como saber se a escola que meu filho estuda é boa para o ENEM? Existem algumas maneiras efetivas de desvendar essa questão e nós vamos compartilhá-las com você, confira.

Fique de olho nos rankings do ENEM

Se você fizer uma pesquisa rápida pesquisa pela internet, vai encontrar diversos rankings do ENEM, que agrupam as notas por região do país ou por tipo de escola (pública ou particular). E vai acabar esbarrando também no ranking oficial do Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira).

O Inep é o responsável pela aplicação do ENEM no país e disponibiliza na internet um ranking oficial bastante completo, que traz o desempenho de todas as escolas do país. Isso facilita bastante a vida dos país que querem saber a média do ENEM da escola onde seus filhos estudam.

Avalie o nível de exigência da escola para o aluno

Embora importante, a média obtida por uma escola no ENEM aplicado nos anos anteriores, por si só, não é garantia de que a instituição escolar fará com que seu filho obtenha uma excelente nota no exame. O bom desempenho de um aluno no ENEM depende não apenas de uma ótima escola, mas sim de uma boa dose de dedicação por parte do estudante.

Assim, não se iluda com os rankings. Escolas boas provavelmente estarão bem posicionadas no que se refere às notas do ENEM, mas seu filho também terá de dar duro para ter uma boa performance.

Descubra se há ações especificamente voltadas à preparação para o ENEM

Uma escola forte tem professores bem preparados, uma boa estrutura física e excelente material didático. Entretanto, para auxiliar seu filho a ser aprovado no ENEM, a escola deverá ter ações especialmente voltadas à preparação para o exame.

Escolas que promovem a realização de simulados, maratonas de estudo e resolução de provas anteriores são ótimas aliadas de seu filho, à medida que facilitam a preparação do estudante e aumentam suas chances de apresentar um bom desempenho na hora da realização da prova.

Quais as vantagens da educação integral para o vestibulando?

A educação integral é uma das ferramentas mais poderosas para o aluno que pretende passar direto no vestibular, sem a necessidade de empregar meses e meses fazendo cursinho. Escolas de tempo integral proporcionam um ambiente voltado ao estudo diário intensivo, próprio para lidar com a grande carga de matérias exigidas pelo vestibular, ao mesmo tempo em que oferecem atividades extras que trabalham a criatividade, sociabilidade e o relaxamento, também essenciais para o estudante do Ensino Médio.

Atividades complementares

Além de respeitarem a carga horária prevista para cada disciplina que faz parte do currículo obrigatório mínimo brasileiro, como língua portuguesa, história, geografia e matemática, escolas de tempo integral permitem que o aluno tenha contato com matérias que normalmente não fazem parte da grade escolar de instituições de meio período convencionais, como, por exemplo teatro, pintura, esportes e horticultura.

E não tenha dúvidas: o envolvimento com esse tipo de atividade fornece, direta ou indiretamente, um importante suporte para que o vestibulando consiga manter sua saúde mental e emocional em equilíbrio durante o processo do vestibular, sentindo-se mais relaxado e tranquilo para alcançar seus objetivos.

O período que antecede à realização da prova pode ser muito estressante para o aspirante ao Ensino Superior. Para que o aluno obtenha a aprovação, a carga de estudos diária deve ser muito intensa, o que, somado a preocupações constantes em relação à concorrência que precisará enfrentar no dia da prova, pode levar o estudante a sentir-se estressado e pressionado.

As atividades extras oferecidas pela educação integral podem ajudar a aliviar a tensão do aluno, fazendo com que não fique restrito a atividades acadêmicas ao longo do dia, mas interaja com seus colegas, pratique esportes e mantenha o foco em outras coisas que não necessariamente estão relacionadas a conteúdos didáticos. Sabemos que mecanismos de aprendizado e apreensão de novos conteúdos estão relacionados à alternância entre foco nos estudos e relaxamento, de modo que as atividades extras oferecidas pelo ensino integral se confirmam bastante benéficas para a performance estudantil.

Suporte intensivo

Escolas de período integral oferecem, ainda, muito mais oportunidades e suporte para que o aluno participe de simulados, grupos de estudo e aulas complementares.

Para obter as melhores colocações em um vestibular, não basta assistir às aulas e realizar leituras e resumos. Seja para qual carreira for, praticar constantemente o que é estudado no dia a dia é imprescindível. Assim, por incentivarem os alunos a trabalharem regularmente na resolução de provas anteriores, simulados e outras atividades que permitem exercitar aquilo que é aprendido, as escolas que oferecem educação integral têm maiores chances de formar campeões.

Uma das grandes vantagens em investir em escolas de educação integral é que elas colaboram para que o estudante tenha uma preparação completa, dispensando cursos pré-vestibular. Um dos propósitos dos cursinhos é, basicamente, suprir eventuais deficiências do ensino básico, reforçando conceitos que não foram muito bem aprendidos. Contudo, ao formar-se por meio de educação integral, o estudante tem acesso a um processo de ensino e aprendizagem focado, intenso e completo, e isso dificilmente deixa espaço para a necessidade de fazer um curso preparatório.

Muitos vezes, alunos que cursam o Ensino Médio em escolas de meio período acabam não aproveitando o restante do dia para estudar para o ENEM ou qualquer outro processo seletivo. Em casa, distrações como a internet, televisão ou simplesmente um cochilo, dificultam a concentração e exigem do estudante muita força de vontade para manter-se focado nos estudos em período integral.

Assim, outro aspecto benéfico da educação integral é permitir que o aluno mantenha-se em contato com os conteúdos escolares por mais tempo, o que faz toda a diferença na hora de construir conhecimento. Por passar o dia ao lado de seus amigos e com um bom suporte por parte dos professores e do restante da equipe escolar, o aluno se sente ainda mais motivado e tem mais ânimo para dar prosseguimento aos seus estudos.

Como os pais podem participar do estudo para o vestibular?

Na preparação para o vestibular, muitos pais se sentem apreensivos quanto aos desafios pelos quais seus filhos terão de passar. Mas, embora os resultados dependam quase que exclusivamente do grau de dedicação dos jovens, os pais podem participar dessa fase tão importante de muitas formas.

Motivação

É comum que o jovem, em algum momento, se sinta inseguro e receoso quanto ao vestibular. É claro que a possibilidade de reprovação existe, mas o papel dos pais é fazer o possível para manter os filhos motivados, mostrando a eles que todo o esforço valerá a pena.

Respeito

Alguns pais tendem a projetar nos filhos os próprios sonhos e anseios, mas esse é um grande erro. Embora sua opinião como mãe ou pai seja importante, é preciso que a decisão do jovem quanto à carreira a seguir seja respeitada e, ainda que a decisão do estudante não esteja de total acordo com a expectativa dos pais, cabe aos adultos demonstrarem respeito e colaboração com os caminhos escolhidos pelo filho na preparação para o vestibular.

Compreensão

Durante a maratona de estudos, é comum que o estudante tenha que enfrentar uma pesada carga diária de estudos, o que poderá afastá-lo um pouco da família. Os pais devem manter-se por perto, mas sendo compreensivos com o momento desafiador pelo qual o jovem está passando e tentando minimizar as cobranças e os momentos de estresse.

Interesse

Os pais devem mostrar-se interessados na evolução dos estudos do aluno. Perguntar como tem sido seu progresso, quais são suas dúvidas e no que eles podem ser úteis é algo de grande valor ao estudante, que pode estreitar os laços familiares e ajudar o jovem a sentir-se seguro e acolhido.

Como se preparar para a redação do ENEM?

A redação do ENEM é do gênero dissertativo-argumentativo, e geralmente versa sobre temas atuais e relevantes. É impossível ter certeza de qual será o tema da redação da próxima edição do ENEM, mas é possível se preparar com algumas dicas simples:

Conhecer as propostas anteriores

Nada melhor do que conhecer o estilo das propostas de redação do ENEM para se preparar para a prova que virá. É fácil encontrar na internet os temas de todas as redações já aplicadas no ENEM. Conhecer os assuntos que já serviram de base para a redação poderá ajudar seu filho a prever quais serão os possíveis assuntos para a redação de sua prova.

Ler muito

É impossível escrever bem se não se tem o hábito da leitura. Para se preparar não apenas para a redação do ENEM, mas para qualquer exame e para a vida, é essencial que seu filho leia muito: livros, jornais, revistas, artigos na internet. Isso o ajudará a aumentar o domínio da língua portuguesa, otimizará sua interpretação textual e o permitirá construir textos com estruturas mais ricas.

Acompanhar as notícias

Geralmente a redação do ENEM é focada em temas relevantes e contemporâneos. Para facilitar a argumentação durante a prova, é indispensável que o aluno saiba o que está acontecendo de importante no Brasil e no mundo, desenvolvendo a capacidade de analisar informações e formar uma opinião consciente e crítica sobre os fatos.

Praticar bastante

Não há como desenvolver a escrita sem praticar. Para ter bom desempenho no ENEM, é essencial que o estudante previamente realize várias outras redações e dedique-se em aprimorar suas habilidades de escrita, para que no dia da prova tenha uma boa performance.

Aproveitar o suporte da escola e dos professores e, depois de fazer redações, pedir aos professores explicações e dicas para aprimorá-las, são estratégias simples, mas que no momento do ENEM podem fazer toda a diferença.

Como você percebeu, é perfeitamente possível que seus filhos façam um Ensino Médio que os passe direto no vestibular, sem a necessidade de cursinho preparatório. Porém, é preciso que a escola na qual eles estudam seja uma instituição de qualidade, com professores comprometidos e ótima estrutura. E, acima de tudo, será necessário uma boa dose de dedicação e esforço ao longo do processo se preparação.

Estudar, seja para o vestibular ou para qualquer outra prova, é um processo que necessita de constante motivação e foco. Seu papel nessa jornada, como pai ou mãe, é oferecer suporte, apoio e segurança, sempre mostrando interesse pela evolução acadêmica do estudante. Faça as melhores escolhas

Seu filho já está nessa fase? Como a escola o está preparando para o vestibular? Compartilhe conosco suas impressões, queremos saber sua opinião sobre o assunto!

 

Comentários

comentários