Como ensinar matemática para crianças gostarem da matéria?

Como ensinar matemática para crianças gostarem da matéria?

Uma das disciplinas consideradas mais difíceis desde os primeiros anos escolares é a de matemática. O conteúdo dessa matéria é visto desse modo porque durante muito tempo os professores ministravam as aulas de forma tradicional, fato que não chamava a atenção dos alunos. Porém, há diferentes métodos de ensinar matemática para crianças de maneira divertida, para que haja mais interesse pela disciplina e há também, diferentes formas de aprender.

Existem alunos que questionam sobre a aplicação da matemática na vida diária e também no futuro, quando se tornarem adultos. Isso se deve a uma abordagem no ensino que não trata de conteúdos mais práticos e voltados à realidade.

Com o objetivo de auxiliar nesse processo de descoberta e interesse pelo mundo dos números, nesse artigo serão apresentadas dicas relevantes para desenvolver o pensamento lógico e incentivar a aptidão na área de exatas.

1. Aprendendo com jogos de tabuleiro

Para quem foi criança há algumas décadas atrás, se divertiu muito com os jogos de tabuleiro, que motivavam o raciocínio lógico de forma leve e eficiente. Apesar disso, muitas pessoas ignoram a importância desses jogos para o ensino da matemática às crianças.

Começando pelos tradicionais, destacam-se os jogos como Damas, Jogo da Velha e Xadrez, que contribuem de forma significativa para o desenvolvimento de qualificações como estratégia e lógica. Atuam de forma efetiva no pensamento analítico, noção de tempo, concentração e paciência.

Também é preciso enfatizar a importância dos jogos de tabuleiro que permitem desbravar labirintos, descobrir tesouros escondidos, que ensinam às crianças conceitos como tamanho, geometria, sequência, noção de espaço e contagem.

Há jogos que possibilitam o desenvolvimento de concepções mais avançadas, como é o caso do Banco Imobiliário e do Imagem e Ação. O primeiro ensina a matemática por meio do gerenciamento de valores e o segundo contribui para o aumento da memória e rapidez nas ações.

Muito do que as crianças aprendem nesses jogos são vistos nos conteúdos abordados nas salas de aulas e nas provas escolares. A diferença é que, como nas brincadeiras, os conceitos são construídos de forma leve e divertida, o aprendizado é automático e se torna mais interessante. 

2. Propondo desafios ao cotidiano

As pessoas sabem que a matemática está presente em suas vidas, porém, ainda ignoram o fato de que suas aplicações envolvem decisões que movem a sociedade.

O que se vivencia no dia a dia traz muita experiência e, também, grande aprendizado. Para o ensino da matemática às crianças, os desafios do cotidiano podem se tornar ótimas oportunidades para que os pequenos adquiram gosto pela matéria , por isso é importante considerar cada vez mais o planejamento da aprendizagem matemática cada vez mais aplicado à vida, às situações cotidiana. 

Um exemplo são as compras em um supermercado. Mostrar às crianças a diferença de valores entre os variados produtos, fazer com que elas façam contas de soma ou diferença, pesagem dos itens, são boas formas de praticar a matemática na vida real.

Uma outra atividade que serve de estímulo ao aprendizado prático da matemática é o preparo de receitas na cozinha. Com essa ação, as crianças podem adquirir conhecimento sobre proporção no preparo dos ingredientes e de fração quando precisa cortar os alimentos em pedaços para servir.

Tirar medidas de móveis e de ambientes domésticos como quartos, salas, entre outros, também são incentivos para que a matemática se torne mais divertida. São boas dicas para que as crianças aprendam a calcular área e perímetro.

A experiência com essas atividades é muito significativa e traz bons resultados para quando se retorna à sala de aula.

3. Praticando esportes

Na prática de esportes existem muitas situações que envolvem as operações matemáticas. Tanto os individuais quanto os coletivos apresentam técnicas das áreas exatas, como a distribuição de pontos, cálculos geométricos, probabilidade e estatística. As tabelas de pontuações funcionam para o ensino de operações básicas em situações que envolvem problemas de contagem.

Como um exemplo, pode-se citar o jogo de basquete, no qual o ato de arremessar a bola na cesta exige que a criança faça um cálculo mental da distância necessária, velocidade e força.

A natação também é uma modalidade esportiva que traz muitos aprendizados matemáticos. Para que o aluno faça 100 metros de nado na piscina, ele precisa ter conhecimento aritmético. Quantos 25 metros de exercício são necessários para cumprir o percurso? Também precisa fazer a conta de quantas vezes vai respirar a cada trecho.

Essas são algumas dicas do uso da matemática nos esportes. Outras podem ser utilizadas, de acordo com a modalidade escolhida.

4. Utilizando apps para ensinar matemática para crianças

Hoje, os aplicativos fazem parte da vida das pessoas, até mesmo das mais pequenas. Pode-se observar o grande número de crianças que se entretêm com um celular na mão, navegando no mundo da tecnologia.

Mães e pais, em grande parte, se preocupam com o excesso de tempo que seus filhos ficam diante dos aparelhos eletrônicos, indagando-se sobre os pontos positivos e negativos dessa era tecnológica.

Porém, pode-se aproveitar esse interesse das crianças para levar o conhecimento até elas. E isso possibilita o ensino da matemática como se fosse uma brincadeira, um jogo interativo. No sentido de auxiliar nesse aprendizado na era digital, existem apps educativos que focam nas crianças em diferentes idades. 

Um deles é o Math is Fun, aplicativo direcionado para crianças menores, que ensina os conceitos básicos da matemática, como contar e ordenar os números. 

Para crianças em idade escolar a dica é o eQubes, no qual a ideia é procurar as equações que estão escondidas no mosaico. Trata-se de um jogo no qual as equações que precisam ser resolvidas são realizadas em contrarrelógio. O ponto ótimo do app é o de que ele acompanha o crescimento e aprendizagem das crianças, com fases cada vez mais avançadas.

As disciplinas das áreas de exatas são as que os alunos apresentam mais dificuldades. Isso está associado à forma como essas matérias são ministradas, não vinculando conteúdo com as atividades cotidianas das crianças. Além dos professores, mães e pais também precisam estar presentes nessa fase, estimulando o aprendizado no dia a dia, procurando novas formas de ensinar matemática para crianças.

Se você gostou deste artigo, compartilhe nas redes sociais para que mais pessoas conheçam as dicas!