Como é o processo de aquisição do inglês na educação infantil

Como é o processo de aquisição do inglês na educação infantil

Vivemos em um mundo que se comunica em inglês. Esse idioma é tão presente e importante em nosso cotidiano que muitas escolas oferecem uma educação bilíngue para seus alunos desde a primeira infância. Daí vem a dúvida: como ocorre a aquisição do inglês na educação infantil?

A proposta dessas instituições é justamente providenciar tanto contato com o inglês quanto com o português antes mesmo da criança ser alfabetizada, geralmente no período que vai dos dois aos quatro anos.

Você já se perguntou quais são os benefícios do bilinguismo precoce? Como acontece o desenvolvimento cognitivo de uma criança que aprende a ver o mundo sob a lógica de dois idiomas ao mesmo tempo? É sobre isso que vamos debater ao longo deste artigo. Acompanhe!

A diferença entre aquisição e aprendizagem do inglês na educação infantil

Antes de começarmos a falar sobre as vantagens e desafios da inserção do inglês na educação infantil, vamos esclarecer a diferença entre “aquisição” e “aprendizagem”. 

Ao internalizarem sua língua materna, os bebês passam por um processo de aquisição linguística, e não de aprendizagem. Eles absorvem os significados do idioma falado por seus pais e familiares por meio de sons, gestos e expressões. Com o auxílio da visão, audição, tato e olfato, as crianças vão aprendendo a dialogar com o mundo que as cerca.

A aprendizagem vem depois, quando elas já são alfabetizadas e são submetidas ao ensino formal na escola. Nessa fase, seu foco será canalizado para conhecimentos específicos, como matemática, artes, educação física, também a sistematização gramatical da segunda língua, etc.

Agora, preste atenção: quando um idioma estrangeiro, como o inglês, é introduzido na fase de aquisição linguística, não há exatamente um aprendizado, e sim uma absorção de significados. Dessa forma, o domínio da língua estrangeira ocorre paralelamente ao da língua materna.

A facilidade infantil para o desenvolvimento linguístico

Você já deve ter ouvido que, quanto mais cedo uma criança começa a ter contato com o idioma estrangeiro, mais rápida e fácil será sua aquisição e mais fluente na língua essa criança será no futuro, certo? Uma pesquisa com 108 crianças feita pela Kings College em Londres, e pela Brown University, em Rhode Island, mostra que, entre os dois e os quatro anos, uma parte do cérebro que é crítica para o desenvolvimento da fala está sendo formada.

Nessa fase, portanto, o cérebro infantil é mais flexível do que o cérebro adulto, o que facilita a absorção de novas palavras. O estudo ainda sugere que a inserção da criança antes dos quatro anos em um ambiente bilíngue melhora suas chances de ser proficiente nesse idioma mais tarde.

Pense assim: a criança só inicia seu aprendizado formal a partir dos seis ou sete anos. Então, o inglês acadêmico, isto é, as normas e a lógica que regem a língua, só serão apresentadas nesse período. Antes disso, o foco estará no inglês como instrumento de comunicação!

O inglês no cotidiano dos alunos

Quando a aquisição da língua inglesa acontece desde a primeira infância, ela se dá por meio dos mecanismos que já fazem parte do cotidiano infantil, como brincadeiras, expressões artísticas e interações sociais. Como ocorre com o português, o vocabulário vai sendo construído de forma orgânica e natural.

Aprendemos a nos comunicar por meio de iniciativas lúdicas e sociais. E são exatamente esses os aspectos usados para fazer com que a criança viva a língua inglesa e associe palavras a ações, emoções e objetos, apesar de não ter desenvolvido ainda plenamente a fala ou a escrita. 

Quando você pensar em bilinguismo escolar infantil, não pense em alunos enfileirados repetindo palavras que não têm sentido para eles. Imagine, em vez disso, que seu filho aprenderá enquanto se diverte, enquanto ouve uma história ou brinca com os colegas, ao fazer teatrinho com fantoches e ao cumprimentar os professores pela manhã. 

As vantagens de perceber o mundo sob duas óticas

O cérebro infantil é altamente receptivo a diferentes fontes e formatos de informação.  A criança que cresce em um ambiente bilíngue, seja educacional ou familiar, tem uma percepção diferenciada do mundo que a cerca, pois aprende que tudo tem dois ou mais nomes, duas ou mais classificações. Isso faz com que ela seja mais flexível ao interagir com outras pessoas e ao projetar resoluções para seus problemas.

Seu raciocínio lógico é mais desenvolvido e a capacidade de driblar obstáculos é muito maior. Por isso, ela também performa muito bem ao aprender novos conteúdos e disciplinas. Os próprios processos de aprendizagem são aperfeiçoados e a absorção de informações acontece de forma mais fluída.

Como já está acostumado a manejar dois instrumentos de comunicação, o bilíngue enxerga muito mais opções ao ter um diálogo, ao tomar uma decisão e ao planejar uma ação. O mundo, para ele, é muito mais complexo e cheio de possibilidades.

De acordo com um estudo realizado pelo Centro de Neurociências Integradas de São Francisco, nos EUA, o bilinguismo altera o cérebro de tal maneira que tanto o processamento auditivo quanto o cognitivo é melhorado.  

Comparado a uma pessoa monolíngue, o bilíngue consegue se concentrar em uma fonte de informação com mais facilidade. Em um auditório superlotado e barulhento, por exemplo, ele filtra os ruídos e direciona sua atenção para aquilo que desperta seu interesse. 

As benefícios de ser proficiente em inglês

Até aqui, falamos dos benefícios que o bilinguismo traz para a vida de uma criança e, posteriormente, para um adulto. Entretanto, quais são os benefícios específicos da aquisição do inglês?

Pois bem, uma criança que domina a língua inglesa já cresce com um sentimento de pertencimento muito grande, pois sabe que esse é o idioma das comunicações globais, da tecnologia e da ciência. Saber se comunicar em inglês é o requisito para ser cidadão do mundo e poder fazer parte desse avanço.

Mais tarde, esse jovem vai fazer um intercâmbio com muito mais segurança. Quando entrar no mercado de trabalho, sua integração e ascensão será mais rápida, pois uma segunda língua destaca qualquer currículo, ainda mais quando se chega ao nível de proficiência.   

Assim, como você pôde perceber, a introdução do inglês na educação infantil traz inúmeros benefícios para o desenvolvimento intelectual e social de seu filho, já que potencializará suas habilidades comunicativas, decisórias e perceptivas.

Quer saber mais sobre os benefícios do aprendizado e aquisição de outros idiomas na infância? Então, baixe nosso Guia sobre aprendizado de línguas para crianças! 

Comentários

comentários