Avaliação da aprendizagem: como saber se os filhos estão aprendendo?

Avaliação da aprendizagem: como saber se os filhos estão aprendendo?

Quando acontece de durante o ciclo escolar o aluno não ter um alto desempenho, alguns pais cobram a si mesmos com perguntas como: “o que fiz de errado?”, “será que escolhi a melhor escola?” ou “será que posso fazer algo para ajudar meu filho?”.

Você sabia que os pais podem auxiliar seus filhos usando a avaliação da aprendizagem? Continue a leitura deste artigo e saiba como fazer isto.

Os primeiros passos

Para avaliar a aprendizagem e melhorar o rendimento escolar do seu filho, você não precisa ser especialista no assunto que seu filho está estudando, até porque são muitos os conteúdos da grade escolar. O seu filho não precisa que você responda sem piscar a todas as dúvidas que ele tiver na tarefa; o que realmente importa para ele é saber que pode contar com a família.

Para isso basta um pouco mais de atenção ao estudante. Quanto mais cedo você perceber que ele está com alguma dificuldade na escola, mais rápido poderá ajuda-lo superar,  mostrar uma aprendizagem eficiente e ser um aluno mais motivado.

Uma boa ideia é fortalecer a parceria com a equipe da escola, buscar o apoio e esclarecimento de todas as suas dúvidas. Com certeza a equipe pedagógica terá informações preciosas para compartilhar.

Uma outra dica é verificar se está tudo certo com a visão e com a audição do seu filho. Esses bloqueios sensoriais podem ser a causa da sua dificuldade escolar. Caso ele esteja ótimo fisicamente, você pode considerar fazer a verificação da desordem de aprendizagem em aspectos educacionais.

A avaliação da aprendizagem

Avaliar a aprendizagem significa fazer uma análise sobre a forma de ensino que o aluno recebe, ou seja, considerar pontos fortes e oportunidades de melhoria nos aspectos do desenvolvimento e desempenho do aluno. O objetivo verificar os conhecimentos adequados, habilidades conquistadas e buscar ações para ajudar os alunos alcançarem alto desempenho.  

Essa avaliação é estendida à gestão escolar, à maneira de atuar dos professores e ao currículo de ensino. É essencial instrumentalizar os pais para a avaliação da aprendizagem dos alunos por meio do conhecimento de como a escola se origaniza.

Os pais devem participar e procurar saber como os seus filhos são avaliados em sala de aula e os instrumentos avalizativos, que incluem: provas, trabalhos, tarefa de casa, seminários, comportamento e apresentações escritas ou orais.

Saber que seu filho terá que resolver uma folha de exercícios ou que na semana seguinte apresentará um seminário pode ajudar a entender como cada instrumento funciona e fazer com que você consiga apoiá-lo.

A importância dos pais no auxílio às tarefas escolares 

Segundo o artigo “O desempenho escolar dos filhos na percepção de pais de alunos com sucesso e insucesso escolar”, o auxílio dos pais é muito importante durante as tarefas escolares e influi diretamente no sucesso acadêmico do estudante.

Pais que mostram preocupação com o desempenho de seu filho e observam se o processo de ensino e aprendizagem está sendo efetivo ajudam no desenvolvimento escolar. As mães que conseguem ajudar na aprendizagem dos seus filhos têm em comum as seguintes ações:

  • estar presente na resolução das tarefas;
  • prestar atenção às dificuldades do estudante.

Essas atitudes asseguram ao filho que ele tem uma base de apoio e faz com que ele se sinta mais interessado e motivado por saber que tem alguém zelando pela sua aprendizagem. O acompanhamento do estudante deve fazer parte da rotina familiar.

Mesmo aqueles que trabalham fora devem estar atentos às tarefas que seus filhos levam para casa, ainda que não consigam efetivamente participar da resolução dos exercícios. Perguntar ao aluno sobre suas dúvidas e como foi seu dia é uma forma de ser participativo e cuidadoso.

As dificuldades de aprendizagem

O livro “Dificuldades de Aprendizagem de A-Z: Guia Completo para Educadores e Pais”, de Corine Smith e Lisa Strick, aborda algumas das dificuldades mais comuns na aprendizagem entre os estudantes e a forma de identificá-las.

Segundo as autoras, o aluno com dificuldades:

  • tem antipatia com a escrita e não quer aprender sobre;
  • entrega trabalhos escolares sujos, incompletos e com muitas rasuras;
  • tem dificuldade para lembrar das formas dos números e das letras;
  • inverte com freqüência números e letras;
  • tem a ortografia fraca (escreve de acordo com a fala);
  • prepara com dificuldade esboços gerais e organiza mal trabalhos escolares;
  • faz confusão com letras similares (p e a, b e d);
  • faz confusão com palavras similares (preto e perto);
  • encontra problemas para achar palavras em sentenças ou letras em palavras;
  • tem dificuldades ao segurar o lápis ou caneta (segurando de forma muito apertada ou muito frouxa);
  • derrama líquidos ou derruba objetos com frequência.

Estar atento a esse sintomas pode apoiar a trazer mudanças significativas no desempenho do seu filho.

O acompanhamento

Ter um cuidado especial com as datas de provas e testes é muito importante. Saber se as avaliações são bimestrais, trimestrais ou semestrais ajuda sua organização na hora de acompanhar o seu filho. Isso facilita no auxílio ao seu filho na tarefa de passar de ano.

Acompanhar o boletim também é de suma importância. Algumas escolas disponibilizam as notas em uma plataforma online e quando o boletim estiver impresso procure saber como é o processo de entrega dos resultados no colégio do seu filho.

Para continuar acompanhando o desempenho do seu filho e avaliar a sua aprendizagem, você pode seguir as dicas abaixo:

  • saber identificar problemas de aprendizado;
  • acompanhar as notas;
  • conversar sobre temas aprendidos na escola;
  • participar de reuniões com professores;
  • escutar as queixas do filho sobre a escola etc.;
  • identificar se seu filho está realmente absorvendo o conteúdo;
  • observar se estão com alguma dificuldade;
  • estimular a leitura.

Para colocar essas dicas em prática, você pode fazer algumas vezes por semana as perguntas a seguir para seu filho:

  • Qual tarefa você tem hoje?
  • Quando vai ser sua prova de matemática (português, geografia etc.)?
  • Qual o seu cronograma de estudos da semana?
  • Quanto tempo de estudo você acredita que precisará para sua a tarefa de hoje?
  • Quando você planeja concluir seu trabalho escolar?
  • Precisa de algum reforço?

Essas perguntas simples fazem o estudante saber que sua família está prestando atenção a ele e torna-o mais confiante. Estar engajado na educação dos filhos, fazendo a avaliação da sua aprendizagem cria estudantes mais autônomos, criativos e com vontade de ter um bom desenvolvimento escolar.

Dialogar com a escola e ser participativo, mesmo com a vida corrida de hoje em dia, talvez seja o suporte que o aluno precisa para estar mais estimulado nos seus estudos.

Quer saber mais dicas para proporcionar uma melhor educação ao seu filho? Que tal assinar nossa newsletter? 

Comentários

comentários