9 perguntas e respostas sobre as escolas bilíngues

O estudo de línguas, em especial da língua inglesa no contexto do mundo globalizado, é cada vez mais importante. Tanto que pais e mães já estão muito conscientes disso. Afinal, o domínio do inglês por crianças e adolescentes permitirá que mais portas sejam abertas na vida adulta deles.

Porém, ainda existem muitas dúvidas a respeito das escolas bilíngues, sejam elas de nível maternal, fundamental ou médio. Para esclarecer as nove questões mais comuns, damos a resposta de cada uma delas a seguir.

1. Existe idade mínima para começar a segunda língua?

Não. A língua é um componente básico no desenvolvimento de uma criança. Por isso, ela deve estar presente o quanto antes. O fato de acrescentar uma segunda língua logo cedo só contribuirá mais para o desenvolvimento de um cérebro bilíngue para o seu filho.

Por isso, existem escolas que oferecem o ensino do inglês desde o maternal. E o aprendizado acontece de forma muito natural, principalmente entre os 2 e 5 anos, que é quando o ser humano começa a consolidar as informações sobre a linguagem.

2. Os professores falam inglês ou português na educação infantil?

Preferencialmente, deve haver uma imersão no idioma. Portanto, o mais recomendado é que toda a comunicação entre o professor e o aluno seja na segunda língua, o inglês.

Isso é importante porque a educação bilíngue ensina a criança a pensar nos dois idiomas, diferentemente dos cursos para adultos, que tendem a focar na tradução das palavras.

3. As crianças não confundirão os dois idiomas?

Quanto mais novas as crianças forem submetidas ao estudo do inglês, menor confusão elas terão, porque o aprendizado se dará de forma mais fácil. No entanto, é muito comum que haja uma mistura no início.

Um exemplo simples é a troca de letras no processo de aprendizagem de idiomas diferentes devido à similaridade dos sons: trocar o “d” em português pelo “th” do inglês ou o “r” pelo “h” — que algumas vezes tem sonoridade do “r” em português. No entanto, com o tempo, o cérebro dos pequenos se adapta, e eles tiram de letra o desafio.

4. Em quanto tempo as crianças conseguem dominar o segundo idioma?

Depende. Já é sabido que cada ser humano, seja criança ou adulto, tem o seu próprio ritmo de aprendizado. Mas com as crianças, o processo é muito mais rápido. Por isso, é bem mais comum que em poucas semanas elas já comecem a interagir adequadamente em inglês.

Naturalmente, a proficiência, a complexidade do vocabulário e o respeito às regras gramaticais vão sendo adquiridos e desenvolvidos com o tempo.

5. A criança pode ter dificuldades de aprendizado por causa da segunda língua?

Não existem estudos que relatem alguma dificuldade de aprendizado à frequência em uma escola bilíngue. Muito pelo contrário. O aprendizado da segunda língua promove um melhor desenvolvimento do cérebro da criança.

No entanto, as pessoas costumam direcionar a culpa para o biletramento (processo de leitura e escrita em dois idiomas). Isso é equivocado, pois até crianças com comprovado comprometimento cognitivo e atraso de aprendizado são capazes de aprender uma segunda língua.

6. Como deve ser o ambiente dessas escolas?

Como a criança precisa ter uma imersão na segunda língua, as escolas bilíngues tendem a aplicar o inglês também em seu ambiente físico. Portanto, certamente você verá cartazes no outro idioma, materiais didáticos totalmente na segunda língua e até a execução de trabalhos em inglês, conforme o aluno vai avançando no aprendizado.

Outro ponto fundamental é lembrar que a língua é um pilar da cultura. Por isso, uma boa escola bilíngue incorpora festividades americanas em seu calendário, como o Halloween, mas sem excluir comemorações da cultura brasileira.

7. Em casa, teremos que falar duas línguas também?

O ideal seria que sim, pois o envolvimento dos pais influencia no desempenho dos alunos. E, como já dito, uma imersão total no segundo idioma facilita muito o seu aprendizado.

Por isso, se alguém em casa dominar o inglês e puder interagir com a criança para auxiliá-la em tarefas e trabalhos, ótimo. Mas essa não é uma necessidade primordial. 

8. A carga horária é diferente de uma escola comum?

Sim. A carga horária das escolas bilíngues tende a ser maior. Isso porque todas as escolas brasileiras devem seguir a Lei de Diretrizes e Bases da Educação de determinações do Ministério da Educação (MEC) e dos conselhos estaduais. Por exemplo, são obrigadas a ter, pelo menos, 200 dias letivos com conteúdo na língua portuguesa.

Dessa forma, as escolas que ensinam uma segunda língua costumam adotar o formato de educação integral ou semi-integral, de forma que o aluno tenha mais tempo para as imersões na língua inglesa.

9. Todos os funcionários devem falar inglês?

Não é obrigatório. Como dito na questão anterior, as escolas têm a obrigação de cumprir um calendário letivo mínimo em nossa língua oficial, o português. Portanto, não há a necessidade de todos os funcionários, do porteiro à direção, terem o domínio da segunda língua.

No entanto, para os profissionais que trabalham com o ensino do inglês, é fundamental a proficiência — inclusive comprovada — na língua estrangeira.

Pergunta de ouro: o que devo analisar em escolas bilíngues antes de matricular meu filho?

O principal ponto que os pais devem analisar é a metodologia de ensino. Ela deve ser imersiva e rica. Isso quer dizer que a escola deve contar com o auxílio da tecnologia e incorporar jogos, músicas, livros em inglês e filmes, entre outras ferramentas. Todos esses recursos extras são extremamente importantes na consolidação do aprendizado de seus filhos.

Também é fundamental entender que uma verdadeira escola bilíngue, diferentemente de um simples curso de idiomas, é aquela na qual o inglês é vivenciado no dia a dia.

Isso acontece da forma mais natural possível. Por exemplo, se a criança falar em português com o seu professor, ele demonstrará que entendeu, mas responderá em inglês.

Uma escola bilíngue entende a segunda língua como uma ferramenta de comunicação tão poderosa quanto a nossa língua materna. Portanto, o idioma não é apenas um simples tema de estudo, em que exercícios de treinamento da língua são aplicados.

Essas são apenas as dúvidas que mais povoam as cabeças dos pais que entendem a importância do inglês para o futuro dos filhos. Agora, se você deseja conhecer melhor os benefícios do biletramento, baixe o nosso e-book gratuito sobre escolas bilíngues e descubra todas as vantagens desse tipo de educação para seus filhos.

Comentários

comentários