7 motivos para seu filho aprender xadrez

7 motivos para seu filho aprender xadrez

A história deste jogo já traz muitos motivos para seu filho aprender xadrez. Ela remete do século III a.C, tendo ele, então, se disseminado a partir do século VI e se consolidado como passatempo preferido de muitos grandes homens da história antiga, como reis e brâmanes indianos, generais chineses e imperadores persas. E, por volta de 1250, o jogo se popularizou como uma metáfora para o ensino da ética e da moral.

Também os antigos soviéticos incentivaram o ensino do xadrez para as grandes massas como forma de estimular o treinamento da mente. Aliás, já até falamos sobre a importância do uso de jogos no aprendizado para as novas gerações. Mas, dessa vez, abordaremos como este jogo, em específico, é fundamental para o desenvolvimento da mente, além de outros 6 bons motivos para seu filho aprender xadrez.

1. Aprender xadrez é fácil

Apesar dos adultos terem muitos bloqueios quanto ao aprendizado, é preciso lembrar de que as crianças são sempre muito receptivas à descoberta e ao conhecimento do novo. Além disso, as regras do xadrez são fixas e relativamente simples. Ou seja, existem normas de movimentação de cada tipo de peça e para algumas movimentações especiais, como o roque, a tomada en passant e a promoção de um peão.

Outro ponto que facilita muito a uma criança aprender xadrez é o fato de as peças serem caracterizadas de acordo com figuras de fácil assimilação: o peão, o cavalo, o bispo, o rei, a rainha e a torre. Por isso, esse jogo pode ser iniciado até mesmo em crianças de quatro anos de idade. Mas, para tal, é preciso transformar o jogo em uma diversão. E, como a nova geração prefere aprender com atividades práticas, uma sugestão é desenvolver uma historinha no decorrer do jogo, como a da rainha sequestrada pelo rei perverso que precisa ser resgatada pelas peças do príncipe bonzinho.

2. As regras exercitam a mente

O xadrez é um jogo de lógica, baseado nas possibilidades de movimentação de cada uma das peças dispostas no tabuleiro. Diferentemente do jogo de damas, que é mais dinâmico, a necessidade de analisar as possíveis movimentações das diferentes peças faz com que a criança force sua própria mente na busca por jogadas que a farão atingir o objetivo, que é o xeque-mate no rei adversário.

Esse estimulo, de analisar cada uma das possibilidades tentando descobrir os desdobramentos de suas jogadas e as ações do adversário, é uma excelente forma de exercitar a mente e expandir o potencial analítico do seu filho. Só é preciso lembrar que deve-se estimular a criança com exemplos e de forma lúdica, não forçando o aprendizado do jogo.

3. O jogo estimula a paciência

Normalmente, os pais acreditam que o xadrez é um jogo demasiado lento e que, por isso, pode estimular na criança a ansiedade pelo desenrolar das jogadas. De fato, é possível que isso aconteça – e, neste caso, pode ser que seu filho ainda não esteja no momento certo para aprender xadrez. Contudo, por ser um jogo que exige a análise de diversas possibilidades de movimentação e inúmeras outras de desdobramento de suas jogadas, a criança tende a exercitar cada vez mais a paciência e a reduzir o estresse infantil.

E isso é só possível justamente por ela precisar de mais tempo para tomar suas próprias decisões. No início, é muito comum que a criança aja no impulso. Mas, com a prática, ela perceberá que o xadrez não é uma brincadeira de batata quente, na qual é preciso passar a vez para o adversário o quanto antes. Esse benefício foi observado no projeto “Xeque Mate ao TDAH”, realizado com estudantes de Madrid, na Espanha. Neste estudo, os pais dos alunos participantes notaram que seus filhos conseguiram se concentrar mais e pensar mais tempo em seus deveres escolares sem ter nenhuma interrupção, após receberem aulas e praticar o xadrez durante uma hora por dia.

4. Xadrez desperta o respeito pelo adversário

O desafio do jogo, de fato, não é chegar ao xeque-mate do rei adversário, mas sim conseguir ter um raciocínio melhor do que seu adversário para conseguir isso. Apesar desta ser uma análise profunda, a criança assimila isso com grande facilidade ao aprender xadrez e passar a praticá-lo.

Esse ganho é o ponto central no desenvolvimento do respeito pelo adversário e só é conquistado conforme a criança vence e perde peças ou partidas. Ou seja, ela passará a entender que, do lado oposto do tabuleiro, existe outro jogador capaz de criar estratégias de jogo que ela não saberá ou não entenderá até que os resultados sejam alcançados pelo adversário.

5. A capacidade da memória é desenvolvida

Por ser um jogo de movimentações sucessivas de ambos os lados, os jogadores precisam consultar constantemente a sua memória. Isso é preciso para que possam entender o posicionamento atual das peças no tabuleiro e até mesmo recordar das movimentações e jogadas realizadas em outras partidas.

É através desse exercício constante de vascular a mente e analisar as informações do tabuleiro que a criança estimula as memórias de curto prazo e conseguem expandir sua capacidade de reter informações e acessá-las facilmente.

6. As partidas motivam a tomada de decisões

No começo, quando as crianças – principalmente as muito pequenas – ainda estão a aprender xadrez, é muito comum que adotem as chamadas “jogadas-espelho”, nas quais elas imitam exatamente os mesmos movimentos que você faz no tabuleiro. No entanto, no decorrer do jogo e com algumas leves interferências suas, elas são obrigadas a criar suas próprias jogadas e desenvolver a tomada de decisões.

Uma forma interessante de motivar esse processo é sempre fazer questionamentos ao seu filho. Fazer perguntas, tais como “o que você acha que vai acontecer com seu bispo se eu colocar a minha torre aqui?” ou “se você colocar o seu cavalo aqui, o que pode acontecer com a minha rainha?”, sugerirão reflexões e induzirão a tomada de decisões para ataques e defesas. 

7. A prática aumenta a habilidade de prever cenários

Conforme seu filho aprender xadrez, desenvolvendo a paciência, exercitando a mente, melhorando a memória e sendo cada vez mais capaz de tomar decisões próprias, a habilidade de prever cenários será aumentada. Com isso, todas as outras habilidades serão ainda mais potencializadas, como em um círculo virtuoso.

Do tabuleiro para a vida, facilmente seu filho estará mais apto a analisar o cenário ao seu redor e prever possíveis desdobramentos, tantos dos próprios atos como dos de terceiros. E este ganho não se restringe à lógica, mas também à sua capacidade cognitiva, de perceber que algo é fruto de determinadas ações.

Como listado, não faltam motivos para estimular seu filho a aprender xadrez. Além do raciocínio lógico, este jogo milenar é uma excelente forma de educação além da escola e grande responsável por contribuir na melhoria da atenção, na capacidade de tomar decisões e até mesmo no desenvolvimento da paciência, algo tão importante nos dias de hoje.

Por fim, não é só o xadrez que pode ser tão benéfico assim para seu filho. Se quer saber mais, confira outras 7 brincadeiras de criança que você pode ensinar aos filhos em casa mesmo. Temos certeza de que eles se divertirão muito.

Comentários

comentários