7 fatores para o sucesso no processo de aprendizagem de idiomas

7 fatores para o sucesso no processo de aprendizagem de idiomas

A barreira imposta por um novo idioma pode assustar igualmente entusiastas, curiosos, estudantes e profissionais que precisam reciclar seus conhecimentos. Já reparou como, tanto nos cursinhos como nas escolas, há pessoas que parecem evoluir sem qualquer dificuldade, enquanto outras tropeçam a cada lição? Mas por que isso acontece? Quais são os fatores que motivam um aluno, garantindo seu sucesso na aquisição e no domínio de uma nova forma de se comunicar?

É bem verdade que cada pessoa possui predisposições e travas que facilitam determinadas atividades e dificultam outras. No entanto, podemos destacar alguns fatores que influenciam positivamente a jornada da aprendizagem de idiomas, garantindo que seu filho alcance seus objetivos e seja bem-sucedido. Acompanhe nosso post e entenda!

1. A língua materna e sua influência

Antes de se aventurar na aprendizagem de um novo idioma, é preciso conhecer uma teoria do campo da linguística: nossa língua materna, aquela que aprendemos quando crianças e crescemos falando, molda a maneira como enxergamos o mundo.

É isso mesmo! Nosso dia a dia é pautado pela forma como interpretamos e compreendemos as informações que chegam até nós. E a língua materna influencia nesse processo ao determinar como nomeamos objetos e pessoas, como formamos frases para expressar desejos, como pronunciamos os sons que formam as palavras e até como nosso pensamento é construído.

Quando você se dispõe a aprender um segundo idioma, não memoriza apenas novos vocábulos, mas aprende a pensar e a organizar informações de uma maneira completamente distinta da que está acostumado. E é aí que está o desafio!

Em francês, por exemplo, a palavra carro é feminina. Em inglês, os substantivos não possuem gênero. No Kanji, um dos 3 sistemas de escrita japonesa, os ideogramas (símbolos escritos) não equivalem a sons e fonemas como em nosso alfabeto, mas sim a ideias e significados.

Por tudo isso e muito mais, ao decidir investir no aprendizado de um segundo idioma para seu filho, ressalte a importância de se manter aberto e disposto a aprender uma forma diferente de pensar e de lidar com o mundo!

2. A facilidade da aquisição linguística na infância

Crianças realmente têm maior facilidade para aprender outros idiomas além do materno. O que acontece é que a percepção de mundo de uma criança ainda não está totalmente solidificada. Aliás, pelo contrário, seu jeito de interpretar o mundo ainda está em construção.

Assim, diferentemente de um adulto, que já formulou conceitos e ideias a respeito de si mesmo e de suas limitações, uma criança consegue absorver mais facilmente diferentes percepções da realidade que a cerca, bem como também tem maior liberdade para experimentar novas expressões, palavras e sons, o que facilita bastante o processo.

3. A mágica da motivação

Tenha sempre em mente que a motivação é um fator interno, pessoal. Isso significa que seu filho precisa encontrar dentro de si os recursos e, acima de tudo, a vontade de aprender e de se transformar.

E por mais que a escola, a metodologia, o tempo, a pressão social e diversos outros fatores sejam estímulos externos que também desempenham um papel importante, se não há motivação alavancando o ímpeto de fazer um esforço intelectual, a mágica da aprendizagem dificilmente acontece.

A moral que podemos tirar disso é que dominar um segundo, terceiro ou até quarto idioma pressupõe escolhas conscientes, dedicação e perseverança! Acha que seu filho está preparado para essa missão?

4. O papel da metodologia de ensino

Um dos grandes empecilhos à aprendizagem de um novo idioma é a inadequação da metodologia escolhida. Mas o que isso significa e qual é seu impacto real? Para entender melhor, pense da seguinte forma: a metodologia é a maneira como algo é ensinado.

Se alguém gosta de estudar gramática e quer se dedicar ao estudo das estruturas linguísticas, é provável que se identifique com uma metodologia que priorize tais elementos. Esse, no entanto, não será o caso de alguém que possui mais facilidade em reproduzir e compreender os sons das palavras ou que aprende melhor improvisando a fala, mesmo tendo um vocabulário pequeno.

Cada pessoa se sente mais confortável fazendo determinados exercícios, progredindo em um determinado ritmo. Portanto, seu filho vai evoluir bem quando encontrar e passar a usar a metodologia mais adequada à sua forma de aprender.

5. A escolha entre aprendizado individual ou coletivo

Aqui também é indicado que o aluno teste as 2 modalidades, estudando tanto com um grupo de pessoas quanto individualmente. Essa experiência o levará a investir, de forma consciente, na opção que melhor funciona para ele.

Muitas pessoas optam por se matricular em uma turma, porque acreditam que a interação com os outros membros do grupo amplia suas chances de aprendizagem, evoluindo mais rapidamente juntos. Enquanto isso, outros preferem uma interação mais personalizada, de preferência somente com o professor.

A questão é que ambas as abordagens possuem vantagens e desvantagens. De uma forma ou de outra, independentemente do que seu filho escolher, é essencial monitorar se está surtindo o efeito desejado. Caso não esteja, procure outras opções imediatamente. Lembre-o de que o objetivo e o resultado podem até ser coletivos, mas o esforço e a iniciativa são individuais!

6. O fator afetivo e o medo de errar

Um dos fatores que influenciam tanto positiva quanto negativamente a aprendizagem de idiomas é o aspecto afetivo do aluno. Isso porque muitas pessoas possuem travas na hora de se expressar ou até de memorizar novas palavras por conta do mais puro e simples medo de errar.

Desde criança, a maioria de nós acaba construindo uma noção equivocada de que erro é sinônimo de fraqueza ou inaptidão. Mas essa visão é bastante prejudicial tanto na infância quanto na vida adulta! Na verdade, os erros devem ser enxergados como sinais de tentativa e interesse, vistos como trampolins para a aprendizagem.

O medo de errar deve ser neutralizado por um grande esforço interno, mas também por incentivos externos. Para ajudar seu filho a desenvolver um aprendizado efetivo, especialmente de idioma estrangeiro, lembre-o de que tanto erros quanto acertos são partes naturais do processo!

7. A aprendizagem de idiomas e a perseverança

Na aprendizagem de idiomas, seja qual for a metodologia e a modalidade escolhida, o nível de dificuldade e a faixa etária, um elemento é essencial: a perseverança. Aprendizagem demanda iniciativa, mas também comprometimento ao longo do processo.

Quem se dispõe a aprender um idioma e está consciente do desafio que isso representa, persevera. E quem persevera, quem segue adiante apesar dos obstáculos, torna-se bem-sucedido! Seu filho pode ser o próximo!

Agora que você já conhece os fatores que influenciam na aquisição de uma nova língua, aproveite para conferir quais são os idiomas mais falados no mundo e entender se seu filho pode aprender todos eles!

 

Comentários

comentários