7 dicas para motivar os estudos dos filhos adolescentes

7 dicas para motivar os estudos dos filhos adolescentes

 

Muitos pais costumam enfrentar um dilema: querem que os filhos estudem, pois sabem que é essencial para seu futuro, mas os jovens oferecem resistência, porque ainda não conseguem ter essa visão. Na verdade, eles estão focados no presente, período em que a diversão tende a falar mais alto. Mas esse cenário nos leva a uma pergunta: como motivar os estudos dos adolescentes?

Na prática (e na maioria das vezes), essa motivação não surge sozinha. Os pais são responsáveis por girar as engrenagens, despertando os filhos para a importância e o prazer dos estudos. Neste post, vamos apresentar 7 ótimas dicas para que você consiga motivar os estudos do seu filho, ajudando-o a pavimentar o caminho para um futuro brilhante. Confira!

1. Adote (e demonstre) uma atitude positiva

Nessa fase, é bem provável que seu filho esteja passando por uma forte turbulência. E isso é mais que normal durante a adolescência, período de transição em que o jovem começa a definir sua própria identidade. Por isso, demonstrar uma atitude negativa não vai ajudar em absolutamente nada. Muito pelo contrário, aliás, essa postura só acrescenta mais pressão sobre seu filho, podendo piorar seu desempenho ou até fazer com que desista dos estudos.

O ideal é demonstrar apoio e confiança, encorajando-o. Lembre-se sempre de que suas palavras são muito importantes. Por isso, crie o hábito de efetivamente verbalizar como você acredita na capacidade do seu filho, como sabe que ele é inteligente e capaz de grandes feitos. Pode acreditar: só isso já é motivação pura!

2. Destaque aplicações práticas

Um dos fatores que mais desmotivam os adolescentes em relação aos estudos é a aparente falta de aplicação prática. É bem possível que você já tenha escutado: mas para que eu vou usar isso? Pois aí está uma oportunidade e tanto para motivar os estudos do seu filho!

Aproveite a deixa para explicar ao jovem por que aquela matéria é importante. Dê o máximo de exemplos em que conseguir pensar sobre como você usa aquele conhecimento da escola no seu dia a dia, mesmo como um adulto. Aponte as situações do mundo real em que o estudo é necessário. Ter essa noção de que o conteúdo é realmente útil pode fazer maravilhas para a motivação do seu filho.

3. Defina metas realistas e equilibradas

A falta de uma meta clara ou a definição de objetivos impossíveis também afeta bastante a motivação para estudar. E lembre-se: a menos que o aluno esteja às portas do vestibular, nem mesmo a faculdade costuma ser uma meta eficiente. Como ainda não pensam muito sobre o futuro, os adolescentes precisam de metas de curto prazo. Por isso, foque a atenção deles em algo mais próximo, como as notas do bimestre.

Além disso, evite criar metas como estudar 8 horas toda tarde, porque isso não é nada realista, tampouco compatível com o estilo de vida que o adolescente realmente deseja ter. É lógico que você não deve ceder a todos os desejos do seu filho, mas é preciso sim encontrar um equilíbrio. Dessa forma, o estudante conseguirá cumprir as exigências dos pais, mas sem abrir mão do que é importante para ele.

4. Abandone de vez a recompensa

Esse é um erro bastante comum: trocar uma nota alta por um videogame novo ou um aumento na mesada. Mas por mais que possa funcionar, essa tática cria uma associação negativa na mente do seu filho. Com isso, ele vai entender que só vale a pena estudar se houver uma gratificação imediata. Nesse caso, quando o jovem chegar à faculdade e deixar de ganhar prêmios pelas notas, pode perder a motivação para completar a graduação.

O adolescente precisa entender que não existe gratificação material instantânea pelos estudos. Os frutos poderão sim ser colhidos, mas só muitos anos depois. É bom também deixar claro que, muitas vezes, essa recompensa nem é tangível, palpável, surgindo simplesmente como o benefício de poder realizar seu trabalho com mais qualidade e segurança.

5. Reconheça o esforço feito

Já está entendido: regalias materiais não são boas formas de motivação. Por outro lado, o reconhecimento funciona bem, sendo muito positivo para o desenvolvimento do adolescente. Parabenize seu filho pelas conquistas (mesmo as bem pequenas) e comemore cada vitória em família. Ele precisa sentir que seu desempenho escolar é importante e valorizado por todos à sua volta.

E vale a pena reforçar: não atrele o carinho e o reconhecimento ao bom desempenho. Mesmo que o aproveitamento do estudante esteja abaixo do que você gostaria, é essencial demonstrar apoio, compreensão e interesse. Pense bem: seu filho não pode achar que só é amado quando tira boas notas!

6. Procure manter uma rotina

A adolescência é o momento em que, na maioria das famílias, a rotina vai por água abaixo. Não existem mais horários para estudar, comer ou dormir. O adolescente pula refeições, empurra a lição de casa até a última hora do dia e vai dormir depois da meia-noite. Tudo isso, é claro, afeta os estudos. O papel dos pais é evitar que isso aconteça.

Puxe as rédeas e mantenha a ordem nos horários. Lembre-se: poucas horas de sono e a falta de nutrientes na alimentação podem fazer com que o funcionamento do cérebro seja afetado em funções essenciais, como a memória. Sabendo disso, ajude seu filho a se ajudar!

7. Entenda o que está acontecendo

Na realidade, é muito fácil dizer que seu filho adolescente não estuda porque é preguiçoso e só quer brincar. Mas será que algo mais está acontecendo e você nem sabe? Por isso, uma das principais tarefas dos pais é, antes de mais nada, entender o que acontece com seu filho. Para isso:

  • Pergunte a ele como está sendo a escola e a relação com os colegas;
  • Estreite a relação com professores, coordenação e direção, que podem passar informações valiosas;
  • Converse com os pais de outros adolescentes e aprenda com a experiência alheia.

Motivar os estudos do seu filho só é possível se você, antes, souber o que está causando a desmotivação. A partir daí, ataque o mal pela raiz.

Viu como os pais têm todas as ferramentas para ajudar os adolescentes em seus estudos? Afinal, vocês possuem autoridade, autonomia, convivência, proximidade e influência sobre eles, construindo seu modo de pensar e agir, passo a passo, desde os primeiros dias de vida. Para motivar os estudos, seu papel é o complemento perfeito ao trabalho de educação desenvolvido na sala de aula.

Quer saber mais sobre esse assunto? Então aproveite e leia também nosso post sobre a importância da família para o sucesso nos estudos!

 

Comentários

comentários