7 atividades de sustentabilidade na escola

7 atividades de sustentabilidade na escola

Principalmente pela urgência em se tomar atitudes, a sustentabilidade vem sendo muito debatida atualmente em todas as esferas. Por isso, o uso inteligente de recursos naturais, a constante preocupação com a saúde ambiental do planeta e as possíveis formas de fazer a diferença são assuntos constantemente trabalhados nas escolas, seja qual for a faixa etária dos alunos. Mas como introduzir essa temática de forma efetiva sem ser considerado chato e desinteressante?

É aí que entra o engajamento da própria escola (e também dos pais), por meio de atitudes sustentáveis. Esse deve ser o ponto de partida para que os alunos façam o mesmo. É hora de priorizar a teoria aliada à prática. Que tal incentivar a escola dos pequenos a enveredar por esse caminho? Pois listamos aqui 7 maneiras inteligentes para difundir ações sobre sustentabilidade na escola que certamente plantarão a sementinha da diferença na cabeça dos jovens. Então confira e sugira!

Apresentar lojas de livros usados às crianças

Uma das principais maneiras de ensinar sustentabilidade de forma prática é estimular o consumo consciente. Fazer com que crianças e jovens entendam que existem formas mais inteligentes de consumir, que agridem menos o meio ambiente, é um dos maiores trunfos de que as instituições de ensino podem dispor. Apresentar aos alunos o mundo dos sebos (lojas especializadas em comercializar livros usados, muitas vezes bem antigos e cheios de história) é mostrar que é possível fugir da máxima de que tudo é descartável.

Como bônus, a ação ainda reforça a importância da leitura para sua formação e oferece algo a mais: faz com que os jovens entendam que fazer o dinheiro girar em pequenos comércios é uma forma de ajudar a comunidade não apenas ecologicamente, mas também socialmente.

Utilizar materiais reciclados

O ditado é antigo, mas continua verdadeiro: o exemplo ensina. Assim, não adianta que a escola apenas fale em sustentabilidade querendo que os estudantes se engajem se ela própria não adota medidas sustentáveis. Priorizar o uso de materiais reciclados e incentivar que os alunos façam o mesmo faz muito mais sentido, não concorda? E isso não vale só para o papel usado no colégio, viu? Existem inúmeros itens úteis feitos de garrafas plásticas recicladas (como estojos e porta-lápis).

Algumas cooperativas produzem objetos até a partir de sobras da produção automobilística, como ecobags e mochilas. Também há várias empresas de móveis que recorrem à madeira de demolição, a pallets ou a outros materiais reaproveitados. E se as escolas apostam nessa opção em vez de outras que agridem o meio ambiente, esse sinal será entendido pelos alunos, traduzindo-se no seguinte recado: sustentabilidade é coisa séria!

Estimular o reaproveitamento

Já parou para pensar quanto material pode ser reaproveitado como insumo para que os próprios estudantes construam seus objetos ou soltem a imaginação nas aulas de arte? Colocar na mão dos alunos itens como garrafas de plástico, embalagens de amaciante de roupas e caixas de leite vazias, tampas plásticas e papelão vai ajudar a estimular a criatividade e ensinar a dar novo uso ao que seria comumente considerado como lixo.

Outra vantagem dessa ação é oferecer a oportunidade para os pais de participarem mais das atividades da escola, estreitando o relacionamento com seus filhos. A tarefa de separar o lixo em casa pode ser feita em conjunto, para que pais e filhos tenham, juntos, ideias de projetos a executar. Nessa parceria entre casa e escola, pode-se pensar em construir luminárias, painéis e brinquedos exclusivos, por exemplo. Com a ajuda e a supervisão dos pais, dá inclusive para ousar nas criações, usando até mesmo pallets e caixotes de madeira!

Usar a água de forma consciente

A escola deve tanto estar atenta em relação a seus próprios hábitos de consumo de água como alertar os alunos sobre a necessidade de usar com sabedoria esse recurso natural tão valioso. Mas atenção: as ações não devem ser promovidas apenas em datas específicas, como o Dia Mundial da Água! É preciso dar continuidade. Sistemas de irrigação de jardins com água da chuva são ótimos exemplo de como as escolas podem adotar medidas de preservação no dia a dia. O mesmo vale para a utilização da água pluvial para as descargas dos banheiros.

Se os alunos vivenciarem essas práticas na escola, inevitavelmente se tornarão mais conscientes quanto ao uso da água. Uma boa atividade por parte dos educadores é promover concursos de ideias e sugestões para a economia de água, por exemplo. E o engajamento pode ser ainda maior quando crianças e adolescentes recebem algum tipo de retorno positivo.

Criar e cuidar de uma horta coletiva

Dentre as várias possibilidades de atividades sustentáveis que uma escola pode propor, uma das mais produtivas e divertidas é a criação e a manutenção de uma horta comunitária. Todo o processo de escolher as sementes e mudas, aprender a trabalhar com a terra, regar e cuidar de cada produção, saber a hora certa de colher e, finalmente, perceber os resultados do trabalho conecta os alunos às formas mais artesanais de agricultura. Indo além, a iniciativa ainda mostra que é possível produzir o próprio alimento sem agrotóxicos e outros produtos prejudiciais à saúde.

Outro ponto positivo é que essa ação pode incentivar os alunos a experimentar alimentos que inicialmente rejeitariam, como diversas espécies de verduras e legumes. Cozinhar essa produção em refeições conjuntas também é uma boa atividade, especialmente se a escola se empenhar em ensinar a utilizar ao máximo todas as partes os alimentos, como as cascas e os talos, para preparar os pratos.

Auxiliar a criação de redes de carona

Essa é uma ação que exige uma parceria efetiva entre instituição de ensino e pais. Para isso, os educadores podem se tornar facilitadores de redes de carona para os alunos, apresentando pais que morem perto para que verifiquem a possibilidade de revezamento para buscar e levar seus filhos à escola. Os pais, por sua vez, precisam estar dispostos a cooperar com a dinâmica, que pode ser vantajosa para todas as partes. Afinal, por menor que seja o trajeto, é muito melhor que apenas um veículo emita poluentes do que dois ou três fazendo praticamente o mesmo caminho.

Outra vantagem da rede de caronas é fazer com que os pais passem a conhecer melhor não só os pais dos colegas de escola do filho como os próprios coleguinhas. A troca pode gerar ótimos laços de amizade e dar ideia para outras atividades em grupo fora da escola, o que é excelente para a sociabilização das crianças e dos adolescentes.

Estimular a produção de conteúdo

Uma das chaves para o engajamento de crianças e jovens em quaisquer projetos é oferecer a eles a autonomia que tanto desejam. E muito mais que um lugar de transmissão de conhecimento, a escola precisa ser um ambiente favorável à produção e ao compartilhamento de conhecimento, onde todos tenham algo a ensinar e a aprender. Sendo assim, incentivar os alunos a produzir seus próprios materiais sobre sustentabilidade, com linguagem e abordagem escolhidas por eles mesmos, pode ser muito proveitoso.

Uma boa opção é criar um blog ou páginas e perfis em redes sociais para que os estudantes postem suas produções em texto, imagem, áudio ou vídeo. Além de levar os jovens a pesquisarem com afinco e também estimular sua capacidade de criação, essa pode ser uma boa forma de usar a tecnologia como aliada dos estudos!

Quer saber mais sobre como participar mais ativamente da vida escolar dos seus filhos? Então não deixe de conferir outros posts caprichados que preparamos para você, como este aqui, que discute se há, de fato, uma metodologia de ensino perfeita!

 

Comentários

comentários