5 hábitos que estimulam o consumo consciente de energia elétrica

5 hábitos que estimulam o consumo consciente de energia elétrica

Você sabia que praticamente toda a energia elétrica produzida no Brasil é proveniente de usinas hidrelétricas? E apesar de essa ser considerada uma matriz energética relativamente sustentável e limpa, sua capacidade de geração está totalmente atrelada ao regime pluviométrico. Assim, em tempos de seca e alto consumo, o risco de apagão aumenta de maneira significativa. Mesmo que os grandes responsáveis pelo consumo de energia elétrica em nosso país sejam as indústrias da transformação e o setor agrícola, a sociedade civil tem sim um papel importantíssimo quando o assunto é consumo consciente de energia. É aquela velha história: se cada um fizer sua parte, o todo sai enormemente beneficiado.

Pensando em todo esse contexto é que resolvemos listar, no post de hoje, alguns hábitos bem simples e fáceis de serem adotados, que estimulam o consumo consciente de energia elétrica. Pronto para colocar nossas dicas em prática e dar o exemplo para os filhos? Então acompanhe:

Substitua lâmpadas incandescentes por LED

É fato: as lâmpadas incandescentes usam apenas 10% de toda a energia que consomem para gerar luz. Os outros 90% são perdidos em forma de calor. Por isso é que esse tipo de lâmpada costuma ficar quente quando acesa por longos períodos. Por outro lado, as lâmpadas de LED possuem uma eficiência extremamente alta, usando praticamente toda a energia que consomem para gerar luz. Com isso, diminuem drasticamente o consumo de energia e duram muito mais tempo. Apesar de terem um custo considerado alto, a aquisição de lâmpadas de LED se paga em pouquíssimo tempo, dada a grande economia de energia que proporcionam. Acredite: os resultados podem ser vistos na conta de energia elétrica já no primeiro mês!

Tire os aparelhos em stand by das tomadas

Sabe aquele hábito inofensivo de deixar o carregador do celular sempre plugado na tomada, mesmo quando não está sendo usado? Pois esse vício aparentemente inofensivo pode na verdade ser responsável por mais que 10% do valor total de sua conta de energia elétrica! Assim, só os conecte quando realmente for recarregar os aparelhos. Da mesma maneira, os eletroeletrônicos que possuem o modo stand by, ficando com aquela luzinha vermelha ligada constantemente, gastam uma quantidade considerável de energia por mês. O ideal é se acostumar a retirá-los da tomada quando não forem usados por tempos prolongados.

Use o ar-condicionado de maneira consciente

Vivemos em um país tropical, com temperaturas altas praticamente o ano todo na maior parte das regiões, certo? E com o agravante do aquecimento global, que aumentou a temperatura média em todo o planeta, o ar-condicionado passou da categoria de artigo de luxo para item quase essencial em muitas residências brasileiras. Porém, por ser um equipamento que consome muita energia, é preciso usá-lo de maneira consciente.

Para tanto, regule o termostato para uma temperatura agradável (por volta de 24 graus), mantenha os filtros sempre limpos e feche bem portas e janelas. Essas atitudes não sobrecarregam o aparelho, o que faz com que ele gaste menos energia para resfriar o ar. Além disso, instale o ar-condicionado sempre na parte alta dos cômodos. Isso porque, como o ar frio é mais denso que o ar quente, ele tende a descer. Assim, ao estar no alto, o resfriamento dos ambientes se torna mais fácil e rápido.

Evite abrir a geladeira frequentemente

A cada vez que é aberta, a geladeira deixa o ar frio escapar, fazendo com que o aparelho tenha que trabalhar mais para novamente resfriar o ambiente interno. Por isso, só abra a porta da geladeira quando necessário e, pelo mesmo motivo, evite guardar alimentos ainda quentes. É importante também que a borracha de vedação da porta esteja em bom estado, o que também evita a saída do ar frio. E para testá-la é simples: prenda uma folha de papel na porta. Se, ao puxá-la, ela sair com facilidade, está na hora de subtituir. Por fim, faça degelos frequentes, a fim de evitar o acúmulo de gelo, e esqueça de vez o hábito de colocar roupas para secar na parte de trás, evitando causar danos ao motor.

Dê uma boa acelerada no banho

Em uma família composta por 4 pessoas, ao diminuir em apenas 2 minutinhos o tempo de cada integrante embaixo do chuveiro, a economia na conta de energia elétrica já sofre uma boa queda! No dia a dia, assim como o ar-condicionado, o chuveiro elétrico é um dos grandes vilões da economia de energia. Então que tal acostumar a turma toda a tomar banhos mais rápidos, deixando a chave do chuveiro na posição verão sempre que possível? Além disso, desenvolva o hábito de limpar com frequência os furinhos por onde a água do chuveiro sai. Essa atitude simples faz com que o aparelho não fique sobrecarregado e funcione de maneira mais eficiente.

Todas essas pequenas atitudes listadas acima podem fazer com que a economia em sua conta de energia elétrica seja bastante significativa logo no primeiro mês. Mas ainda é necessário esclarecermos que, muito além dos ganhos financeiros individuais, o consumo consciente de energia é um dever de todo cidadão, visto que vivemos em uma era em que os recursos naturais estão cada vez mais escassos. Sem mudanças efetivas nesse sentido, as gerações futuras correm o risco de ser severamente prejudicadas.

Por isso, é extremamente importante que os pais e também a escola estejam atentos para a importância de estimular o consumo consciente de energia no dia a dia das crianças e dos adolescentes. Afinal, são eles que formarão a sociedade do futuro, que poderá sofrer na pele as consequências de atitudes nada sustentáveis.

Então explique a seus filhos o quanto é essencial ter atitudes conscientes sobre o consumo de energia, estimulando-os a desenvolver hábitos ecologicamente corretos. Apagar as luzes ao sair dos cômodos, não dormir com a TV ligada e tomar banhos mais rápidos são condutas simples, mas que fazem uma grande diferença. E nunca se esqueça de ser o exemplo vivo! Afinal de contas, de nada adianta cobrar uma postura sustentável dos pequenos se você mesmo não as pratica!

E como a escola também desenvolve um papel importante nessa questão, procure se informar se a instituição onde seu filho estuda possui práticas voltadas ao ensino e à conscientização sobre o consumo de energia de maneira sustentável. Ao receber estímulos tanto em casa como na escola, a chance de seus filhos se tornarem adultos ambientalmente conscientes é muito grande!

E se você gostou deste conteúdo, não deixe de assinar a nossa newsletter para receber todos os próximos posts publicados aqui no blog diretamente em seu e-mail!

 
Facebook Comments

Comentários

comentários